NASCIMENTO, Matos

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NASCIMENTO, Matos
Nome Completo: NASCIMENTO, Matos

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NASCIMENTO, Matos

NASCIMENTO, Matos

*dep. fed. RJ 1999-2003.

 

Matusael do Nascimento nasceu no Rio de Janeiro no dia 2 de junho de 1954, filho de Mário Manuel do Nascimento e Noêmia do Nascimento.

De origem humilde, concluiu o ensino fundamental. Músico profissional, tocou com diversas bandas e nomes de sucesso do cenário fonográfico brasileiro. Em 1989 converteu-se à religião evangélica e passou a dedicar-se à música religiosa, tendo alcançado grande sucesso. Além disso, tornou-se pastor da Assembleia de Deus.

Iniciou sua vida política em 1995, quando se filiou ao Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB), e em outubro do ano seguinte obteve uma suplência de vereador do Rio de Janeiro, tendo exercido o mandato entre 1997 e 1999.

Em outubro de 1998, foi eleito deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro na legenda do PSDB. Assumiu o mandato em fevereiro de 1999 e nesse mesmo ano ingressou no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em 2000, deixou o PMDB e trocou várias vezes de legenda, filiando-se ao Partido Social-Trabalhista (PST), depois ao Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), e voltou ao PST. No ano seguinte, ingressou no Partido Liberal (PL), mas pouco depois voltou ao PST, partido em que permaneceu até o fim da legislatura em janeiro de 2003.

Na Câmara dos Deputados, foi titular da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e vice-presidente da Comissão Especial de Inelegibilidade, por ocasião do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) nº 639/1999, que propunha o fim da reeleição para presidência da República, governadores e prefeitos, unificando todos os mandatos com duração única de 5 anos e eleições coincidentes. Votou contra o fim dos mandatos para juízes classistas na Justiça do Trabalho, bem como contra a lei que proibiria procuradores de fornecerem informações à imprensa sobre processos em andamento. Posicionou-se favoravelmente à restrição das medidas provisórias, à prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que apesar de aprovada na Câmara acabou sendo rejeitada no Senado e extinta, à criação do Fundo de Combate à Pobreza e à Desvinculação de Receitas da União (DRU).

No pleito de outubro de 2002, não disputou a reeleição. Deixou a Câmara dos Deputados no fim da legislatura.

Em maio de 2006, foi citado por Darci Vedoin e Luís Antônio Vedoin como um dos participantes, e beneficiário, da chamada máfia das ambulâncias”, descoberta após investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Filiado ao Partido Social Cristão (PSC), em outubro de 2006, Matos Nascimento se candidatou a deputado federal pelo estado de Goiás. Obteve uma suplência tendo conquistado mais de 52 mil votos. Em 2007, filiou-se ao Partido Progressista (PP) e disputou uma vaga na Assembleia Legislativa de Goiás, mas novamente não obteve sucesso.

 

Fontes: Correio Braziliense (08/06/2009); Gazeta Mercantil (04/09/00, 22/03/00, 14/12/00); Jornal da Câmara (28/11/00); Observatorio da Imprensa  (5/6/2000); Olho no voto/Folha de S. Paulo (27/07/02); Tribuna do Planalto (20/10/07); Veja (26/07/06); <www.alerj.rj.gov.br; www.camara.gov.br>;  revistaepoca.globo.com;

<www.senado.gov.br/web/relatorios/cpi/Sanguessugas/Anexos/Depoimentos/Darci/interrogatorio-2%20(21.07.06)%20cont..pdf>.


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados