NOSCHESE, RAFAEL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NOSCHESE, Rafael
Nome Completo: NOSCHESE, RAFAEL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NOSCHESE, RAFAEL

NOSCHESE, Rafael

*pres. FIESP-CIESP 1962-1966.

 

Rafael Noschese nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 17 de janeiro de 1910, filho de Antônio de Sousa Noschese e de Maria Musco Noschese. Seu pai, membro da Associação Comercial e da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP-CIESP), foi suplente de deputado federal por São Paulo na legenda da União Democrática Nacional (UDN) na legislatura de 1951 a 1955, sendo convocado diversas vezes para exercer o mandato.

Logo após o nascimento de Rafael Noschese, a família transferiu-se para São Paulo, onde seu pai e José Cândido de Sousa criaram a Fundição Industrial Paulista. Rafael diplomou-se em engenharia pela Universidade Mackenzie, viajando em seguida para os Estados Unidos, onde se especializou em siderurgia freqüentando cursos de fundição, economia, esmaltação e fornos elétricos na New York University. Ao regressar, ocupou os cargos de diretor técnico e comercial da Comércio e Indústria Sousa Noschese S.A., empresa de propriedade de seu pai dedicada à fabricação de artefatos de ferro.

A família Noschese participou ativamente da Revolução Constitucionalista que conflagrou São Paulo entre julho e outubro de 1932. Seu pai, major das forças rebeldes e comandante do Batalhão Marcondes Salgado, determinou que todos os filhos se alistassem como voluntários para a luta e, ao mesmo tempo, a indústria da família foi adaptada para fins de guerra, passando a produzir granadas e bombas para serem utilizadas por aviões de combate. Depois da derrota dos paulistas frente ao governo federal, os Noschese prosseguiram suas atividades industriais na siderurgia, exercendo importante papel no desenvolvimento desse setor da economia nacional.

Presidente do Sindicato da Indústria de Artefatos de Metal durante longo tempo, Rafael Noschese foi eleito para a presidência da FIESP-CIESP em 1962. Como uma das atribuições desse cargo, presidiu também os departamentos regionais do Serviço Social da Indústria (Sesi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), além de organizar e dirigir o setor de ensino profissional da FIESP.

Nessa época já estavam em curso as articulações entre empresários e oficiais das forças armadas para a deposição do presidente João Goulart, que tiveram como resultado do movimento político-militar vitorioso, que eclodiu em 31 de março de 1964. Segundo Hélio Silva, Rafael Noschese foi um dos empresários paulistas procurados por civis que se haviam reunido no Rio de Janeiro em novembro de 1961 com os três ex-ministros militares do governo Jânio Quadros — marechal Odílio Denis, almirante Sílvio Heck e brigadeiro Gabriel Grün Moss — para aquele fim. Noschese apoiou a conspiração, e depois da vitória do movimento declarou-se empenhado em colaborar com a política econômica do novo governo, chefiado pelo marechal Humberto Castelo Branco. No mesmo ano, a convite oficial, viajou à França, Itália e Espanha, recebendo depois o título de “Líder do Ano” pelo seu desempenho nessas missões. Mais tarde, foi nomeado vice-presidente da missão econômica oficial brasileira enviada ao Japão.

Em 1966, ano em que deixou a presidência da FIESP-CIESP, Noschese declinou do convite formulado pelo governador de São Paulo, Laudo Natel, para ocupar a Secretaria de Economia e Planejamento do estado, mantendo-se na iniciativa privada. Em outra ocasião, contudo assumiu a Secretaria de Planejamento de São Paulo.

Além da Comércio e Indústria Sousa Noschese, foi também diretor da Companhia Hotéis e Imóveis S.A. e da Empresa de Mineração Esperança. Foi ainda presidente da Fundação Padre Anchieta, segundo presidente do Rotary Clube de São Paulo-Leste e membro fundador do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE).

Tornou-se presidente do Sindicato da Indústria de Artefatos de Ferro, Metais e Ferramentas em Geral no Estado de São Paulo e presidente emérito da FIESP-CIESP.

Faleceu em São Paulo no dia 21 de novembro de 2000.

Casou-se com Zina Noschese, com quem teve quatro filhos.

Publicou a obra O papel da indústria no desenvolvimento brasileiro, traduzida para o inglês.

Sônia Dias

FONTES: CONSULT. MAGALHÃES, B.; FED. IND. EST. SP. FIESP; Globo (22/11/00); INF. BIOG.; OLIVEIRA, C. CIESP; SCHLESINGER, H. Encic.; SILVA, H. 1964; SOARES, E. Instituições; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; VIANA FILHO, L. Governo; Who’s who in Brazil (1969).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados