OLIVA, OSVALDO MUNIZ

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: OLIVA, Osvaldo Muniz
Nome Completo: OLIVA, OSVALDO MUNIZ

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
OLIVA, OSVALDO MUNIZ

OLIVA, Osvaldo Muniz

*militar; comte. ESG 1988-1990.

 

Osvaldo Muniz Oliva nasceu em Santos (SP) no dia 1º de fevereiro de 1925, filho de Osvaldo Oliva e de Laura Muniz Oliva.

Ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras, em 1945, na arma de artilharia, da qual saiu segundo-tenente em 1947. Foi promovido a primeiro-tenente em janeiro de 1948. Tornou-se instrutor do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de São Paulo em março de 1949. Promovido a capitão em março de 1951, foi, em agosto deste ano, transferido para São Paulo. Foi alocado na Diretoria de Produção, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em julho de 1953. Em novembro do ano seguinte, nova transferência o levou ao Departamento Técnico e de Produção. Cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais entre fevereiro e novembro de 1955, quando foi para o Grupo de Artilharia da Costa, em São Vicente (SP). Instrutor-chefe do curso de artilharia do CPOR da Bahia de 1957 a 1958, e, em março deste último ano, tornou-se major.

Ingressou na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército em 1963, tornando-se, em 1965, ano em que foi promovido a tenente-coronel, oficial-de-gabinete do ministro do Exército (então ministro da Guerra), general Artur da Costa e Silva, cargo que ocupou até 1967, quando fez jus ao título de graduado em relações públicas, por ter exercido a função por mais de dois anos. Ainda em 1967, tornou-se assessor-chefe da Secretaria Geral do Conselho de Segurança Nacional, onde ficou até 1970. Nesse período, participou da elaboração do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (1967), de vários acordos nucleares do Brasil com outros países (1967-1970) e da formulação da política nacional de energia nuclear para fins pacíficos (1968).

Tornou-se comandante do 6º Grupo de Artilharia Motorizado, em Praia Grande (SP), em 1970. Em dezembro do ano seguinte, foi alçado a coronel. Em 1973, foi designado chefe do estado-maior da 2ª Região Militar (SP), onde participou da elaboração dos projetos de mobilização industrial (1974) e de normas gerais de ação da 2ª RM (1975). Assistente do chefe de Departamento de Ensino e Pesquisa de 1976 a 1977, no ano seguinte, assumiu o cargo de assistente do chefe do Estado-Maior do Exército e foi promovido a general-de-brigada no mês de novembro.

Em 1979, foi nomeado comandante do 3º Grupamento de Fronteira em Rondônia, onde permaneceu até o ano seguinte. Diretor de Transportes do Exército em 1981, cursou, no ano seguinte, o curso superior da Escola Superior de Guerra (ESG). No período de 1983 a 1985, foi diretor de informática do Exército, tendo obtido, em março de 1984, a promoção a general-de-divisão. Em 1985, cursou o Royal College of Defense Studies, em Londres (Inglaterra). Foi designado subcomandante da ESG em 1987 e, a partir do ano seguinte, mesmo ano em que se tornou general-de-exército, passou a comandante da instituição em substituição ao almirante Bernard David Blower. Em 1990, deixou a ESG, sendo sucedido pelo tenente-brigadeiro-do-ar Pedro Ivo Seixas, e tornou-se chefe do Departamento de Engenharia e Comunicações do Exército.

Em 1991, passou a atuar como comentarista político da Rádio Trianon de São Paulo e colaborador do jornal Diário do Comércio, de São Paulo. Em setembro de 1994, tornou-se sócio-presidente da empresa Penta Perspectiva Estratégica, passando a atuar como consultor de empresas privadas. Foi reformado em fevereiro de 1995.

 Foi membro do conselho consultivo da Associação Comercial de São Paulo.

Casou-se com Iara Mercadante Oliva, com quem teve seis filhos. Um deles, Aluísio Mercadante, deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT), de São Paulo, na legislatura 1991-1995 e a partir de 1999, candidato derrotado à vice-presidência da República na chapa encabeçada por Luís Inácio Lula da Silva, nas eleições de outubro de 1994 e a vice-prefeito na chapa encabeçada por Luísa Erundina à prefeitura de São Paulo, em outubro de 1996, e senador eleito em 2002.

Escreveu o livro “Brasil: o amanhã começa hoje” (2005).

FONTE: CURRIC. BIOG; Portal do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis. Disponível em http://www.crecisp.gov.br/exibir.asp?id=672&edicao=92 acesso em 12/10/2009; Istoé Gente (20/1/03).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados