Omar José Abdel Aziz

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: AZIZ, Omar
Nome Completo: Omar José Abdel Aziz

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
AZIZ, Omar
*gov. AM 2010-2014; sen. AM 2015-


Omar José Abdel Aziz nasceu em Garça (SP) no dia 13 de agosto de 1958, filho de Muhamad Aziz e de Delfina Aziz. Seu pai era palestino e sua mãe brasileira.
Transferindo-se para o Amazonas, radicou-se na capital do estado, onde estudou no Colégio Estadual de Manaus, atual Colégio Amazonense D. Pedro II, na Escola Técnica Federal do Amazonas, atual IFAM, e graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade do Amazonas, atual Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
Iniciou sua carreira política no movimento estudantil no início da década de 1980. Em 1981 foi eleito presidente da Engenhoca, órgão de representação estudantil que antecedeu a criação do Diretório Acadêmico de Engenharia da UFAM e, em 1984, foi diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Filiado à época ao então clandestino Partido Comunista do Brasil (PCdoB), participou de diversos movimentos em defesa da redemocratização do país, como as “Diretas já”, mobilização que se desenvolveu no país em defesa da Emenda Dante de Oliveira que restabelecia as eleições diretas no país, mas que foi derrotada na Câmara dos Deputados em abril de 1984.
Em 1987, dois anos depois da redemocratização do país com o fim do período de governos militares, Omar Aziz assumiu a direção da Fundação de Desenvolvimento e Apoio Comunitário (Fundac).
Filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL) em 1996, e por essa legenda foi eleito vereador em Manaus no pleito de 15 de novembro de 1988. Assumiu sua cadeira no Legislativo da capital amazonense em janeiro do ano seguinte. Foi reeleito no pleito de outubro de 1992 como o vereador mais votado. Iniciando novo mandato em janeiro do ano seguinte, foi eleito presidente da Câmara Municipal. Em outubro de 1994 foi eleito deputado estadual com a maior votação do estado. Renunciou ao seu mandato de vereador e assumiu então sua cadeira na Assembleia Legislativa do Amazonas em fevereiro de 1995.
No pleito de outubro do ano seguinte foi eleito vice-prefeito de Manaus na chapa com Alfredo Nascimento. Renunciou ao seu mandato parlamentar no nível estadual e tomou posse no cargo de vice-prefeito em janeiro de 1997. Foi reeleito nas eleições municipais de 2000. Foi secretário municipal de Obras e o responsável pela execução das maiores obras viárias da cidade de Manaus. Em 2001 ocupou o cargo de secretário estadual de Segurança Pública no governo de Amazonino Mendes (1999-2003). Em abril de 2002 renunciou ao cargo para compor, como vice-governador, a chapa de Eduardo Braga, que foi eleito governador no pleito de outubro desse ano. Assumiu seu novo cargo em janeiro de 2003 e no ano seguinte deixou o PFL, tendo migrado para o Partido da Mobilização Nacional (PMN). Foi reeleito vice-governador no pleito de outubro de 2006.
Licenciou-se do cargo em 2008 para se candidatar a prefeito de Manaus na legenda do PMN, mas só conquistou a terceira colocação. Com a renúncia de Eduardo Braga ao governo do estado para concorrer a uma cadeira no Senado, Omar Aziz assumiu a chefia do Executivo amazonense no dia 31 de março de 2010. No pleito de outubro desse ano foi reeleito governador do Amazonas, logo no primeiro turno, com 943.955 votos, correspondentes a 63,87% dos votos válidos, ainda na legenda do PMN, tendo como vice José Melo de Oliveira. Naquela oportunidade, derrotou o candidato do Partido da República (PR), senador Alfredo Nascimento (25,91%), seu antigo aliado, com a maior votação para governador na história do estado.
Iniciou seu novo mandato no dia 1º de janeiro de 2011, quando tomou posse junto com o seu vice-governador. Neste mesmo ano, Omar Aziz deixou o PMN para ser um dos fundadores do Partido Social Democrático (PSD), junto com o então prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Permaneceu à frente do Executivo amazonense até o dia 4 de abril de 2014, quando renunciou ao Governo do Amazonas para disputar uma vaga no Senado Federal. Seu sucessor foi o vice-governador, José Melo, que assumiu nesse mesmo dia.
Apoiado pela coligação “Fazendo Mais Por Nossa Gente”, liderada pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS) do governador José Melo, candidato à reeleição, e composta ainda pelo seu PSD e mais 14 legendas, foi eleito senador no pleito de outubro de 2014 933.996 votos. Nesse mesmo pleito foram reeleitos no segundo turno o governador José Melo e a presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).
No âmbito nacional, entretanto, diversas foram as contestações insurgentes em relação à reeleição na presidenta Dilma. Não obstante a não aceitação do resultado pelo candidato derrotado, o senador tucano Aécio Neves, denúncias de corrupção e manifestações populares consolidaram um terreno para campanhas pelo impeachment. E esta campanha ganhou viabilidade após o jurista Hélio Bicudo, ex-integrante do PT, e a advogada Janaína Paschoal, protocolarem na Câmara dos Deputados, em setembro de 2015, um pedido de afastamento da presidente por crime de responsabilidade. Após romper com o governo por não ter contado com sua defesa, o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, aceitou tal pedido em dezembro seguinte, determinando a abertura do processo. Este foi votado em abril de 2016, ocasião na qual foi aprovada a admissibilidade da denúncia, que fora então encaminhada ao Senado Federal.
 Com a continuidade do processo no Senado, com voto favorável de Omar Aziz, a presidenta deixou o posto, a princípio em caráter provisório, até que o mérito da denúncia fosse julgado. Enquanto isso, o vice-presidente Michel Temer assumiu interinamente a Presidência, para a qual foi efetivado na sessão de 31 de agosto, na qual o impeachment foi aprovado com 61 votos favoráveis, entre os quais o de Aziz, e somente 20 contrários. 
Omar Aziz casou-se com Nejmi Jomaa Abdel Aziz, com quem teve quatro filhos.

Alan Carneiro
 
 
 FONTES:

 https://www.omaraziz.com.br/ (Acessado em 25/02/2017);  https://www25.senado.leg.br/web/senadores/senador/-/perfil/5525 (Acessado em 25/02/2017); http://eleicoes.terra.com.br/apuracao/2010/1turno/amazonas/ (Acessado em 25/02/2017); https://www.eleicoes2014.com.br/omar-aziz/ (Acessado em 25/02/2017); http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/08/senado-aprova-impeachment-dilma-perde-mandato-e-temer-assume.html (Acessado em 25/02/2017);http://especiais.g1.globo.com/politica/2016/processo-de-impeachment-de-dilma/votacao-inabilitacao/ (Acessado em 25/02/2017).




 
 


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados