ONAIREVES NILO ROLIM DE MOURA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOURA, Onaireves
Nome Completo: ONAIREVES NILO ROLIM DE MOURA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MOURA, ONAIREVES

MOURA, Onaireves

*dep. fed. PR 1991-1993.

 

Onaireves Nilo Rolim de Moura nasceu em Herval D’Oeste (SC), no dia 26 de novembro de 1946, filho de Severiano Rolim de Moura e de Olga Elisa Berte Rolim.

Fez o curso colegial no Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba, entre 1965 e 1968. Empresário, dirigiu grupo Rolim Moura (ferro e aço), de propriedade da família. Em 1985, assumiu a presidência da Federação Paranaense de Futebol (FPF), à frente da qual foi acusado de várias irregularidades envolvendo bingos.

No pleito de outubro de 1990, elegeu-se deputado federal pelo Paraná, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), e tomou posse em fevereiro do ano seguinte, passando a integrar a Comissão de Educação, Cultura e Desporto, como titular, e a de Economia, Indústria e Comércio, na condição de suplente.

Onaireves Moura, até então um deputado desconhecido, foi o anfitrião de um jantar de apoio a Fernando Collor de Melo, na véspera da votação da abertura do processo de impeachment do então presidente, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial Paulo César Farias. No entanto, no dia da votação na Câmara dos Deputados, 29 de setembro de 1992, votou a favor, mudando repentinamente de lado, numa atitude que surpreendeu a todos.

Deixou o PTB, em 1993, e ingressou no Partido Social Democrático (PSD), para liderar a bancada do partido na Câmara. Acusado pelo governador do Paraná, Álvaro Dias, de aliciar parlamentares, Onaireves Moura foi incriminado pela Polícia Federal em virtude da prática de sonegação de impostos e estelionato.

Em novembro de 1993, a Comissão de Constituição e Justiça aprovou a sua cassação por falta de decoro parlamentar em decorrência da compra de deputados pelo PSD, do qual era presidente, com o intuito de aumentar o tempo no horário político gratuito para tal partido. A decisão foi confirmada em plenário no dia 15 de dezembro, sendo sua vaga ocupada pelo suplente Ervin Bonkoski, do PTB.

Em julho de 1994, tentou registrar-se como candidato a deputado federal pelo PSD, mas o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná impugnou, por unanimidade, sua pretensão por unanimidade.

Voltou então a atuar no comando da FPF, onde novamente se viu envolvido numa série de escândalos e processos judiciais. No início de 1998, foi destituído do cargo devido ao não pagamento do imposto predial territorial urbano (IPTU) da entidade, que já acumulava débitos de R$ 1,2 milhão de reais, tendo voltado ao cargo semanas depoisposteriormente. Dois anos depois, foi preso por crime de sonegação fiscal ao não ter recolhido cerca de R$ 525 mil reais aos cofres do INSS, durante sua gestão na FPF. Em virtude dessa acusação, foi condenado pela Justiça Federal de Curitiba a quatro anos e dois meses de prisão, sendo libertado após um mês, depois após de seus advogados de defesa terem provado que havia irregularidades no processo.

Em março de 2006, Onaireves Moura foi preso pela Polícia Federal a pedido do Ministério Público Federal (MPF), em Ponta Grossa, sob a acusação de sonegação de tributos federais, falsidade ideológica e formação de quadrilha. Segundo o MPF, Onaireves era sócio majoritário de duas empresas que exploravam bingos ilicitamente em Ponta Grossa. Por fim, em 2007, foi suspenso por seis anos pelo Superior Tribunal de justiça Justiça Desportiva (STJD), acusado de desviar recursos da FPF, deixando a presidência da mesma após ter ocupado o cargo por cerca de 22 anos, entre 1985 e 2002.

Em setembro de 2009, foi novamente condenado pela justiça a quatro anos e seis meses de prisão, em regime semiaberto, por ter deixado de recolher de mais de R$ 6,4 milhões de reais em tributos federais, entre 1995 e 2003, à frente de sua gestão na FPF. Foi acusado ainda de crime de apropriação indébita previdenciária, por não recolher 5% da receita bruta dos eventos esportivos promovidos pela entidade no período citado.

Onaireves fundou e foi o primeiro presidente da Associação dos Distribuidores de Aços Não-Planos do Paraná e da Associação dos Sucateiros Ferrosos e Não-Ferrosos do estado. Também presidiu o Clube Atlético Paranaense e exerceu as funções de diretor de relações públicas da Confederação Sul-Americana de Futebol.

Casado com Marley Teresinha Poersch Rolim de Moura, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Estado de S. Paulo (30/9/92, 6/10/93, 14/7/94); Folha de S. Paulo (23/10/93, 8/7/94); Globo (22/10 e 17/12/93); Jornal do Brasil (30/9/92); Jornal do Estado (6/11/07); Portal Paraná on-line. Disponível em <http://www.parana-online.com.br/>. Acesso em 12/10/09.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados