PAIS, Papaléo

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PAIS, Papaléo
Nome Completo: PAIS, Papaléo

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PAES, Papaléo

PAIS, Papaléo

*sen. AP 2003 –2011.

 

João Bosco Papaléo Pais nasceu em Belém (PA) em 27 de agosto de 1952, filho de Raimundo Zacharias de Lima Pais e Maria Jacira Papaléo Pais.

Formou-se em medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) em 1976, tendo se especializado em medicina desportiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1978, além de ter se especializado em Medicina do Trabalho pela Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro neste mesmo ano, especializou-se também em cardiologia pelo Hospital Municipal Miguel Couto, Rio de Janeiro, no ano de 1979. . De 1984 a 1985 foi diretor do Hospital Geral de Macapá e secretário de Saúde do Estado do Amapá nestes mesmos anos, na gestão de Aníbal Barcelos.

Papaléo Pais ingressou no Partido de Reedificação da Ordem Nacional (PRONA) e tornou-se presidente do seu Diretório Regional em 1989. No ano seguinte, candidatou-se a governador do Amapá pela legenda do partido, ficando em terceiro lugar. O vencedor foi, novamente, Aníbal Barcelos, do Partido da Reconstrução Nacional (PRN).

Papaléo Pais transferiu-se para o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), no ano de 1992, candidatando-se então com sucesso para a prefeitura de Macapá. Foi presidente do Diretório Regional do partido nos anos de 1994 a 1997.

Tentou se reeleger nas eleições de 1996, agora sob a legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mas perdeu a eleição por uma diferença de 415 votos, mais uma vez para Aníbal Barcelos, que desta vez competia na legenda do Partido da Frente Liberal (PFL).

Nos anos de 2000 a 2002, Papaléo foi presidente do Diretório Municipal do PTB. Neste último ano elegeu-se senador na legenda do PTB. Ao iniciar a legislatura, assumiu a condição de titular da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) formada para averiguar as denúncias de remessa ilegal de dinheiro para o exterior através de contas abertas no Banco do Estado do Paraná (Banestado) em nome de laranjas e de empresas “offshore” e operadas por doleiros para encobrir a formação de caixa dois de empresários e recursos oriundos de corrupção política.

Migrou neste mesmo ano de 2003 para a legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), tornando-se anos seguintes vice-líder desta agremiação no Senado Federal. No ano de 2005 assumiu a vice-liderança do Bloco da Maioria no Senado Federal.

No ano de 2005 transferiu-se novamente para a legenda do PSDB, assumindo a vice-liderança do partido no Senado nos anos de 2005 a 2007. No ano de 2005 fora também titular na comissão de reforma do Regimento Interno daquela Casa.

Em 2006 Papaléo candidatou-se novamente ao governo do Estado do Amapá ficando em terceiro lugar. O então governador, Valdez Góis, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), se reelegeu.

Em 2007 Papaléo tornou-se vice–líder do Bloco Parlamentar da Minoria, onde ficaria até 2008.

Nas eleições de 2010, não conseguiu a reeleição, sendo apenas o quarto candidato mais votado de seu estado.

Deixou o Senado em Janeiro de 2011. Em seguida, passou a ocupar o cargo de conselheiro da Companhia de Gás de Minas Gerais (CEMIG), a convite do senador mineiro Aécio Neves.

Em 2013, desfiliou-se do PSDB, tendo migrado para o Partido Progressista (PP). Casou-se com Josélia Martins Papaléo Paes, com quem teve duas filhas.

 

FONTES: Portal Estado de Minas. Disponível em: <http://www.em.com.br>. Acesso em 14/12/2013; Portal pessoal do sen. Papaléo Paes. Disponível em: <http://www.senado.gov.br>. Acesso em 09/10/2009; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: < http://www.tse.jus.br>. Acesso em 13/12/2013; Portal Wikipédia. Disponível em: <http:// pt.wikipedia.org/>. Acesso em 09/10/2009.  

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados