PASCOAL, Hildebrando

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PASCOAL, Hildebrando
Nome Completo: PASCOAL, Hildebrando

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PASCOAL, Hildebrando

PASCOAL, Hildebrando 

* dep. fed. AC 1999.

 

                Hildebrando Pascoal Nogueira Neto nasceu em Rio Branco em 17 de janeiro de 1952, filho de Cosme Nogueira Leite e de Amoty Pascoal Nogueira.

                Fez carreira na Polícia Militar (PM) do estado do Acre e reformou-se com a patente de coronel para candidatar-se a deputado estadual em 1994, na legenda do Partido da Frente Liberal (PFL). Exerceu o mandato de 1995 a 1999.

Nesse período, passou a ser investigado pelo Conselho de Defesa dos Direitos e da Pessoa Humana (CDDPH) do Ministério da Justiça por acusações de prática de tortura e assassinatos e de conexão com grupos de extermínio no Acre. Um dos crimes denunciados, que seria amplamente divulgado pelo noticiário nacional, foi o assassinato do mecânico Agílson Firmino dos Santos, o Baiano, morto por esquartejamento com uma motosserra, e de seu filho de 13 anos. Testemunhas que seriam ouvidas pelo CDDPH, como os policiais Jonaldo Martins e Sebastião Crispim, também foram assassinadas, o que levou a investigação para a alçada da Polícia Federal.

Em 1998 concorreu com sucesso a uma vaga na Câmara dos Deputados, novamente na legenda do PFL. Assumiu o mandato em fevereiro de 1999, foi expulso do PFL em agosto e, em função dos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investigou o narcotráfico no país e o envolvimento de juízes e políticos em atividades criminosas, teve o mandato cassado em 22 de setembro do mesmo ano. Preso em seguida à cassação sob a acusação de chefiar uma organização criminosa, foi indiciado por assassinato, envolvimento com narcotráfico, sonegação fiscal, crimes contra o sistema financeiro e compra de votos. Segundo a Folha de S. Paulo, em 2006, quando a Justiça Federal o condenou a 18 anos de prisão pelo assassinato de Sebastião Crispim, já havia sido condenado a penas que somavam 68 anos de prisão. Em 2009 o Tribunal do Júri do Acre o condenou a mais 18 anos pela morte de Agílson Firmino dos Santos.

 

FONTES: Folha de S.Paulo. Disponível em : <http://www.folha.uol.com.br>. Acesso em : 19 out. 2009; G1. Portal de Notícias da Globo. Disponível em : <http://g1.globo. com/Noticias/Brasil/0,,MUL1316010-5598,00.html>. Acesso em : 26 fev. 2009; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www2.camara.gov.br/deputados/ index.html/loadFrame.html>. Acesso em : 26 out. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados