PAULO FERREIRA STUDART

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: STUDART, Paulo
Nome Completo: PAULO FERREIRA STUDART

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Mucio Sá DOSSIÊ

STUDART, Paulo

*militar; dep. fed. CE 1975-1983.

 

Paulo Ferreira Studart nasceu em Fortaleza no dia 18 de julho de 1925, filho de Osvaldo Studart Filho e de Maria Estela Ferreira Studart, de tradicional família cearense. Seu pai foi constituinte de 1946 e deputado federal pelo Ceará de 1946 a 1951.

Cursou a Escola Preparatória de Fortaleza, onde assentou praça em março de 1943. Matriculou-se depois na Escola Militar de Resende (RJ), cujo curso concluiu em dezembro de 1946, quando foi declarado aspirante. No ano seguinte, em junho, foi promovido a segundo-tenente. Passando a primeiro-tenente em junho de 1949, fez no ano seguinte um curso de reeducação e psicotécnica na Faculdade Católica de Filosofia do Ceará.

Foi promovido a capitão em abril de 1952 e nesse mesmo ano matriculou-se na Universidade Federal do Ceará, onde fez um curso de planejamento e desenvolvimento econômico promovido pelo Banco do Nordeste do Brasil. Cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em 1956. Promovido a major em dezembro de 1958, cursou também no Rio a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) em 1961. Após o movimento de 31 de março de 1964, foi promovido a tenente-coronel em agosto de 1965 e viajou aos Estados Unidos, onde realizou, nesse mesmo ano, um curso sobre guerra revolucionária na US Army Special Warfare School, em Fort Bragg. Permaneceu nesse país em 1966 como oficial instrutor da ECEME, em missão de observação e pesquisa, com o objetivo de propor à escola medidas que poderiam ser recomendadas no caso brasileiro. Realizou nova viagem aos Estados Unidos em 1971, como convidado da Fundação Tinker e do Reference Population Bureau para participar em Long Island (Nova Iorque) de um congresso mundial para debater a temática da explosão demográfica e o desenvolvimento econômico. Passou para a reserva no posto de coronel em 1972.

Durante sua carreira militar exerceu ainda as seguintes funções: instrutor da Escola Preparatória de Fortaleza, assistente administrativo da Infantaria Divisionária na 2ª Região Militar (2ª RM), em São Paulo, chefe de seção do estado-maior da 10ª RM, no Ceará, comandante do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de Fortaleza, chefe do estado-maior da 10ª RM e chefe do ciclo de estudos de estado-maior para a Polícia Militar do estado da Guanabara.

No pleito de novembro de 1974 elegeu-se deputado federal pelo estado do Ceará na legenda da Aliança Nacional Renovadora (Arena), partido de sustentação ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Nessa ocasião foi votado por 37.993 eleitores. Durante a legislatura que se iniciou em fevereiro de 1975 e terminou em janeiro de 1979, foi membro da Comissão de Segurança Nacional e suplente da Comissão de Relações Exteriores. Além disso, tornou-se membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada pela Câmara para investigar a aquisição de hospitais pelo Instituto Nacional do seguro Social (INSS) com alienação de seu patrimônio.

Reeleito em novembro de 1978 para a legislatura seguinte, ainda na legenda da Arena, continuou como membro de Comissão de Segurança Nacional. Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao partido governista, o Partido Democrático Social (PDS), pelo qual candidatou-se à reeleição em novembro de 1982, mas não foi bem-sucedido. Deixou a Câmara em janeiro de 1983, ao final da legislatura, não mais retornando à vida pública.

Afastado da vida pública, passou a dedicar-se exclusivamente à atuação empresarial no Ceará, nos setores de revenda de automóveis e de crédito. Em agosto de 2009 integrava o corpo dirigente da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, ocupando uma cadeira na Mesa Administrativa.

Publicou Dados biográficos do general Tibúrcio; A batalha do Tuiuti e o general Sampaio; Expulsão definitiva dos portugueses da Bahia em 1822; O significado da data de 7 de setembro; Características fisiográficas do território da 10ª RM (CE, PI e MA); Papel do Exército na formação do cidadão; O trabalho de comando, sua conceituação e seu emprego; Aspectos psicossociais, pontos e zonas sensíveis no território da 10ª RM; Povo e Exército (1975); Exército e segurança nacional (1976) e O governo federal e a problemática do Nordeste (1978).

Casou-se com Maria Adelaide de Mendonça Studart e teve cinco filhos.

 

 

 

Luciana Pinheiro (atualização)

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1975-1979 e 1979-1983); CURRIC. BIOG.; Jornal do Brasil (18/11/74 e 2/6/77); MIN. GUERRA. Almanaque (1971); NÉRI, S. 16; Perfil (1980); Portal da Câmara dos Deputados (http://www2.camara.gov.br/; acessado em 16/08/09); Portal da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza (http://www.santacasace.org.br/; acessado em 16/08/09); Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (http://www.tre-ce.gov.br/; acessado em 16/08/09).

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados