POMPILIO CILON FERNANDES ROSA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ROSA, Cilon
Nome Completo: POMPILIO CILON FERNANDES ROSA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ROSA, CILON

ROSA, Cilon

*rev. 1930; interv. RS 1946-1947.

Pompílio Cilon Fernandes Rosa nasceu em Montenegro (RS) no dia 27 de maio de 1897, filho de Antônio Machado Rosa e de Orsina Fernandes Rosa.

Depois de completar seus estudos preparatórios, transferiu-se para a capital gaúcha bacharelando-se em 1923 pela Faculdade de Direito de Porto Alegre. Ainda estudante trabalhou como oficial da seção de história e geografia do Arquivo Público local.

De volta à sua cidade, foi eleito para o Conselho Municipal, atual Câmara de Vereadores, ocupando a presidência da casa de 1924 a 1928. De então até 1930 exerceu as funções de consultor jurídico da municipalidade. Participou ativamente da Revolução de 1930, integrando as forças revolucionárias da chamada Coluna do Nordeste, sob o comando do general Valdomiro Lima, que saiu do Rio Grande do Sul e chegou até o Rio de Janeiro.

Elegeu-se em 1934 deputado à Assembléia Constituinte estadual na legenda do Partido Republicano Liberal (PRL). Participou dos trabalhos constituintes, iniciados em abril de 1935, integrando a Comissão Constitucional. Após a promulgação da nova Carta estadual em junho do mesmo ano, passou a exercer o mandato ordinário como membro da Comissão de Finanças, Orçamento e Tomada de Contas da Assembléia e líder do bloco situacionista. Renunciou ao mandato e desvinculou-se de seu partido em 1936, quando o PRL começou a divergir da orientação dada por Getúlio Vargas a seu governo no período de transição para o Estado Novo. Após o advento do novo regime em novembro de 1937, ocupou o cargo de diretor-presidente da Caixa Econômica Federal de seu estado entre 1938 e 1943. No ano seguinte substituiu Alberto Pasqualini na direção da Secretaria do Interior e Justiça do Rio Grande do Sul, durante a gestão do interventor Ernesto Dornelles.

Em 7 de fevereiro de 1946, no início do governo do general Eurico Gaspar Dutra, foi nomeado interventor federal em seu estado, em substituição ao desembargador Samuel Silva. Durante sua gestão, dedicou especial atenção aos problemas da pecuária, em particular ao combate às diversas epizootias que dizimavam os rebanhos sulistas. Desenvolveu ainda uma política de planejamento do potencial hidrelétrico capaz de atender às necessidades de energia motriz do estado. Em março de 1947 passou o governo a Válter Jobim, eleito governador do Rio Grande do Sul em janeiro desse mesmo ano, e reassumiu a presidência da Caixa Econômica Federal no estado. Em fevereiro de 1953 foi nomeado diretor da Carteira de Crédito Geral do Banco do Brasil, permanecendo nesse cargo até março de 1961. Assumiu posteriormente a direção de uma das empresas do Grupo Votorantim.

Ao longo de sua carreira política, presidiu também na década de 1950 o diretório regional do Partido Social Democrático (PSD) em seu estado e foi membro do seu diretório nacional.

Faleceu em 20 de junho de 1987.

Casou-se com Anita Rosa, com quem teve três filhos.

 

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; CORRESP. GOV. EST. RS; COUTINHO, A. Brasil; Encic. Mirador; FERREIRA FILHO, A. História; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (23/7/76); SILVA, R. Notas; SILVA JÚNIOR, J. Galeria.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados