RAMOS, ARISTILIANO LAUREANO DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RAMOS, Aristiliano Laureano de
Nome Completo: RAMOS, ARISTILIANO LAUREANO DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RAMOS, ARISTILIANO LAUREANO DE

RAMOS, Aristiliano Laureano de

*militar; interv. SC 1933-1935; dep. fed. SC 1954-1955.

 

Aristiliano Laureano de Ramos nasceu em Lajes (SC) no dia 10 de maio de 1888, filho de Belisário José de Oliveira Ramos e Teodora Ribeiro Ramos. Membro de uma das famílias mais tradicionais e politicamente poderosas do estado, vários de seus parentes ocuparam cargos de projeção no cenário político estadual e nacional, destacando-se seu primo Nereu Ramos, que chegou, na qualidade de vice-presidente do Senado, à presidência da República entre 1955 e 1956.

Fez os primeiros estudos em sua cidade natal, terminando em 1904, com um curso de humanidades no Colégio Nossa Senhora da Conceição em São Leopoldo (RS). Passou então a dedicar-se ao jornalismo político, iniciando sua carreira em 1916, como deputado à Assembléia Legislativa de seu estado, onde permaneceu até 1921. Durante o exercício do mandato, foi suplente de secretário do Congresso e de 1919 a 1922 foi superintendente municipal substituto de Lajes. Em 1927 foi vereador à Câmara da cidade. Em outubro de 1930, participou da Revolução, comandando, juntamente com o coronel Otacílio Fernandes, uma coluna revolucionária que partiu do sul de Santa Catarina em direção à cidade de Lajes. Em abril de 1933, já no posto de coronel, foi designado para suceder ao major Rui Zubarán na interventoria em seu estado. Ainda nesse ano tornou-se presidente do Partido Liberal Catarinense.

Convocadas as eleições para a Assembléia Constituinte estadual, que, além de elaborar a nova Constituição catarinense, elegeria o governador e dois senadores, o Partido Liberal, contrariando as expectativas do interventor, lançou a candidatura de Nereu Ramos. Aristiliano Ramos uniu-se então ao Partido Republicano, que apoiou sua candidatura. Apesar de a Assembléia eleita em outubro de 1934 contar com um número equilibrado de deputados de ambos os partidos, vários constituintes republicanos aderiram às fileiras liberais, o que permitiu a eleição de Nereu Ramos. Aristiliano deixou a interventoria em abril de 1935, quando tomou posse o governador eleito.

Após o início da desagregação do regime do Estado Novo (1937-1945), participou em abril de 1945, ao lado de Henrique Rupp Júnior e Adolfo Konder — este, o principal representante da oligarquia Konder, tradicional adversária da família Ramos — da fundação da União Democrática Nacional (UDN). Presente à primeira reunião do diretório nacional do partido, foi designado para a comissão de estudos de direito eleitoral e de organização partidária. Em outubro de 1950 concorreu a uma cadeira na Câmara dos Deputados por seu estado na legenda da UDN. Eleito primeiro suplente, exerceu o mandato de julho de 1954 a janeiro de 1955.

Em 1958 deixou a UDN e filiou-se ao Partido Social Democrático (PSD), legenda que reunia, desde a sua criação em 1945, os membros da família Ramos e pelo qual elegeu-se suplente de deputado federal, tendo exercido mandato entre 1959 e 1963.

Faleceu em Lajes, no dia 17 de março de 1976.

Era casado com Guilhermina Schimidt Ramos e teve filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. SC. Dicionário político; CABRAL, O. História; CABRAL, O. Breve; CÂM. DEP. Deputados; ENTREV. PEIXOTO, A.; FUND. GETULIO VARGAS. Cronologia da Assembléia; Grande encic. Delta; NABUCO, C. Vida; PEIXOTO, A. Getúlio; POPPINO, R. Federal; SILVA, H. 1935; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados