RENATO PRADO GUIMARAES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GUIMARÃES, Renato Prado
Nome Completo: RENATO PRADO GUIMARAES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GUIMARÃES, RENATO PRADO

GUIMARÃES, Renato Prado

*diplomata; emb. Bras. Uruguai 1993-1996.

Renato Prado Guimarães nasceu em Colina (SP) no dia 5 de abril de 1938, filho de Mário Mazzei Guimarães e Hilda Prado Guimarães.

Bacharel em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) em 1960, antes de entrar para o serviço diplomático trabalhou como jornalista nos periódicos Folha da Manhã (atual Folha de S. Paulo), de 1956 a 1958, e O Estado de S. Paulo, de 1960 a 1963. Ao longo desses anos, de 1959 a 1960, foi assistente da diretoria no Instituto Brasileiro do Café (IBC).

Em 1963 ingressou no curso preparatório à carreira diplomática do Instituto Rio Branco, formando-se no ano seguinte como terceiro secretário. Assistente do secretário-geral adjunto para assuntos da Europa Ocidental, África e Oriente Próximo até 1965, nesse ano passou a servir na embaixada brasileira em Bruxelas. Em dezembro de 1966, foi promovido a segundo-secretário. Na capital belga participou como observador de diversas sessões do Conselho de Cooperação Aduaneira.

Transferido para Bogotá em 1969, de 1970 a 1973 foi chefe do Setor de Promoção Comercial da embaixada brasileira na capital colombiana. Promovido a primeiro-secretário em janeiro de 1973, retornou ao Brasil nesse mesmo ano, exercendo, até 1976, as funções de assistente do chefe da Divisão de Programas para Promoção Comercial do Ministério das Relações Exteriores. Nesse período, em 1974, tornou-se professor de promoção de exportações no curso de prática diplomática e consular do Instituto Rio Branco, atividade que exerceria por quatro anos. Em 1976, assumiu a chefia da Divisão de Programas de Promoção Comercial, cargo que ocuparia até 1979; em novembro desse ano, foi promovido a conselheiro.

Cônsul-geral adjunto do consulado geral do Brasil em Nova Iorque e chefe do escritório comercial do governo brasileiro nesta mesma cidade de 1980 a 1983, nesse ano foi designado para a embaixada brasileira em Washington como encarregado de negócios, servindo por dois anos como ministro-conselheiro. De volta ao Brasil em 1985, foi secretário especial de imprensa e porta-voz do ministro das Relações Exteriores Olavo Setúbal até 1986. Em dezembro, foi promovido a ministro de primeira classe (embaixador). Foi chefe de gabinete do ministro das Relações Exteriores Roberto de Abreu Sodré de 1987 a 1988.

Embaixador brasileiro em Caracas, na Venezuela, de 1988 a 1992, em setembro de 1993 Renato Prado Guimarães assumiu a chefia da representação brasileira em Montevidéu, substituindo a Jorge Carlos Ribeiro. Deixou a capital uruguaia em 1996, sendo em seguida designado embaixador do Brasil na Austrália, permanecendo nesse país por três anos. Durante o período, acumulou as embaixadas brasileiras na Nova Zelândia (1996-1997) e na Papua-Nova Guiné (1997-1998).

De volta ao Brasil em 1998, tornou-se encarregado da instalação do escritório de representação do Itamarati em São Paulo, assumindo mais tarde a chefia desse mesmo escritório. Em 2001, foi designado cônsul-geral em Frankfurt, na Alemanha, onde permaneceu até a sua transferência para o consulado-geral do Brasil em Tóquio, em 2006, no qual também atuou como cônsul-geral.

Aposentou-se em abril de 2008, passando a residir em Frankfurt.

Em 2009, lançou, em São Paulo, Crônicas do inesperado

Divorciado, teve três filhas.

FONTES: INF. BIOG.; MIN. REL. EXT. Anuário (1992 e 2008).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados