Ribeiro, Devanir

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: Ribeiro, Devanir
Nome Completo: Ribeiro, Devanir

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PITTA, Celso

RIBEIRO, Devanir

* dep. fed. SP 2003-

 

Devanir Ribeiro nasceu em Getulina (SP), no dia 2 de fevereiro de 1944, filho de Otávio José Ribeiro e de Josefa Ribeiro da Conceição.

Formou-se em metalurgia e siderurgia no curso técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) em 1963. Trabalhou numa pequena metalúrgica até 1970, quando se tornou funcionário da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP).

De 1972 a 1975 foi diretor de base e suplente da executiva do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema. Na eleição sindical de 1975 foi eleito primeiro secretário da diretoria do sindicato, agora na gestão de Luis Inácio da Silva, o Lula, eleito presidente da entidade. Em 1978 foi reeleito para o mesmo cargo, mas foi afastado e preso junto com outros membros da diretoria durante a greve dos metalúrgicos do ABC paulista em 1980.

No mesmo ano participou da organização da Articulação Nacional de Movimento Popular e Sindical (ANAMPOS) e da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), quando assumiu o cargo de Secretário de Organização do Diretório Estadual de São Paulo até 1982.

Em 1983 participou das articulações que levaram à fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e foi eleito presidente do Diretório Estadual do PT de São Paulo.

Na década de 1980 trabalhou no Instituto Cajamar (INCA), escola de formação política e sindical que atendeu partidos de esquerda, movimentos sociais e sindicatos brasileiros. Em 1989 deixou o INCA para assumir o mandato de vereador na cidade de São Paulo conquistado na eleição de 1988 pela legenda do PT. Reelegeu-se sucessivamente vereador de São Paulo nas eleições de 1992, 1996 e 2000.

Elegeu-se deputado federal por São Paulo em 2002 pela legenda do PT. Assumiu o mandato em 2003 quando foi eleito vice-líder do PT na Câmara dos Deputados. Nesse ano votou a favor da Reforma da Previdência, projeto apresentado pelo executivo federal e que recebeu críticas de parte do movimento sindical. Nessa legislatura foi membro titular da Comissão de Viação e Transporte; da Comissão Especial que analisou a PEC n. 106/1999, sobre a Elegibilidade de Cônjuge e Parentes do Presidente da República, de governadores de Estado e de prefeitos; e da Comissão Especial que analisou o PL n. 5.476/2001, sobre Tarifas da Telefonia Fixa.

Em 2006 foi reeleito deputado federal pela legenda do PT. Nessa legislatura foi titular da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle; da Comissão de Desenvolvimento Urbano e Interior e da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização. No segundo mandato também foi membro titular da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a pirataria de produtos industrializados. Em setembro de 2006 votou, em primeiro turno, no plenário da Câmara, a favor da PEC n. 349/2001 que determinava o fim do voto secreto nas sessões do Congresso Nacional.

Entre os projetos de autoria de Devanir Ribeiro se destacou o PL n. 449 de 2007, que propunha alteração à Lei n. 6.766/1979. Conhecida como “Lei Lehmann”, dispunha sobre as regras gerais do parcelamento do solo urbano. O projeto buscou aperfeiçoar e simplificar os procedimentos para a implantação de empreendimentos habitacionais realizados pelo Estado destinados à população de baixa renda e ao mesmo tempo garantir a qualidade de vida dessa população, com instalação sanitária adequada; abastecimento de água; lixo coletado e ligação à rede de energia elétrica.

No início de seu segundo mandato votou pela suspensão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do “Apagão Aéreo”, que tinha como objetivo apurar as causas e responsáveis pela crise no sistema do tráfego aéreo brasileiro que teve seu inicio com a queda de um avião da Gol em 29 de setembro de 2006. Essa decisão do Plenário da Câmara foi derrubada posteriormente no Superior Tribunal de Justiça (STJ) atendendo a um recurso apresentado pelos partidos de oposição ao governo do presidente Luis Inácio Lula da Silva. Ainda em 2007 passou a defender a proposta de um terceiro mandato para o presidente Luís Inácio Lula da Silva e votou a favor da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), projeto que foi rejeitado pelo Senado no final de 2007.

Foi membro do Diretório Nacional do PT no biênio 2008-2009. Em junho de 2008 votou a favor da criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) que a oposição ao governo de Luis Inácio Lula da Silva definiu com uma tentativa de recriação da CPMF. Apesar do projeto ter sido aprovado na Câmara ele não recebeu a aprovação do Senado.

Casou-se com Zeneide Lustosa Ribeiro com quem teve três filhos.

Augusto Gomes

Fontes consultadas:

Site do Deputado Federal Devanir Ribeiro <www.devanir.com.br>, acesso em 27/10/2009.

Site da Câmara dos Deputados <www.camara.gov.br>, acesso em 26/10/2009.

Site do Partido dos Trabalhadores <www.pt.org.br>, acesso em 27/10/2009.

Site da Fundação Perseu Abramo <www.fpa.org.br>, acesso em 26/10/2009.

Folha de S. Paulo, 6/8/2003, 5/9/2006, 22/3/2007, 20/9/2007 e 11/6/2008. Disponível em <www.folha.com.br>, acesso em 27/10/2009.

Veja, 31/5/1978, 30/4/1980, 17/9/1980, 25/11/1981, 7/11/2007 e 9/4/2008. Disponível em <http://veja.abril.com.br/acervodigital/>, acesso em 27/10/2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados