RIBEIRO, Pastor Pedro

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RIBEIRO, Pastor Pedro
Nome Completo: RIBEIRO, Pastor Pedro

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Mucio Sá DOSSIÊ

RIBEIRO, Pedro

* dep. fed. CE 2003-2007; 2008-

               

Pedro Ribeiro Filho nasceu em Pacajus (CE) no dia 26 de maio de 1946, filho de Pedro Ribeiro de Lima e Maria Idalina de Lima.

Ministro do Evangelho, cursou teologia na Faculdade João Calvino (FJC) e na Faculdade de Teologia Antioquia Internacional (FATAI). Também cursou música na Universidade Estadual do Ceará (UECE), sem concluir essa graduação. Iniciou sua trajetória política em 1987, quando se filiou ao Partido Democrata Cristão (PDC), pelo qual se candidatou a vereador da cidade de Fortaleza no pleito realizado em novembro de 1988, sendo eleito com 2.407 votos.

Tomou posse de seu cargo na Câmara Municipal em 1989, ano que se tornou filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em 1992 se filiou ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), do qual permaneceu membro até o ano de 1999, quando se transferiu para o Partido Liberal (PL), atual Partido da República (PR). Nas eleições gerais de outubro de 2002, candidatou-se ao cargo de deputado federal, sendo eleito com 51. 278 votos. 

Em fevereiro de 2003, assumiu seu primeiro mandato como parlamentar. Em agosto, por ocasião da votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, votou a favor da proposta apresentada pelo Governo Luís Inácio Lula da Silva               (2003-2007), aprovada em dois turnos no Congresso e encaminhada ao Senado Federal. Em dezembro, o então presidente do Senado, José Sarney (PMDB), promulgou a emenda constitucional que alterou o sistema previdenciário do país, especialmente quanto às regras relativas a aposentadorias e pensões, previdência complementar, paridade entre funcionários públicos ativos e inativos, e contribuição de estados e municípios.

No decorrer desse mesmo ano, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e, posteriormente, retornou ao PMDB, sendo escolhido vice-líder do partido na Câmara. Entre 2003 e 2004, atuou ainda como membro da comissão externa criada para avaliar as causas do acidente com o veículo lançador de satélites na Base de Alcântara, no Maranhão. O incidente, ocorrido em agosto de 2003, deixou 21 mortos. O relatório apresentado pela comissão enfatizou a falta de investimentos no programa aeroespacial brasileiro que, segundo recomendação presente no documento, deveria continuar subordinado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, à Aeronáutica e à Agência Aeroespacial Brasileira.

Durante o ano de 2004, passou a atuar também na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara para investigar denúncias de tráfico de órgãos humanos em diversos estados brasileiros. Ao longo dos sete meses de investigações, exerceu as funções de titular, segundo vice-presidente e relator da CPI. Em seu relatório, destacou a não-observância das leis como o principal problema do transplante de órgãos no Brasil, apontou a falta de infra-estrutura como outro entrave à realização de transplantes e afirmou que a comissão pediria o indiciamento dos supostos envolvidos com tráfico de órgãos.

Em março de 2005, quando da escolha de novos integrantes para as comissões permanentes da Câmara dos Deputados, passou a atuar como titular das comissões de Educação e Cultura e de Defesa do Consumidor. No ano seguinte, foi escolhido membro da comissão permanente de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Nas eleições gerais de outubro de 2006, candidatou-se à reeleição e obteve 44.280 votos que lhe garantiram a condição de suplente no Congresso Nacional.

Pedro Ribeiro manteve-se suplente até junho de 2008, quando seu mandato de parlamentar foi  efetivado  em virtude do afastamento do deputado José Pimentel, do Partido dos Trabalhadores (PT-CE), que  assumiu  o Ministério da Previdência Social a convite do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Ao longo desse ano, tornou-se membro da comissão permanente de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Em 2009, passou a atuar em outras duas comissões permanentes da Câmara dos Deputados: Direitos Humanos e Minorias; Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Luciana Pinheiro

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados (http://www2.camara.gov.br/; acessado em 25/06/2009); Portal Direito 2 – Notícias de Direito (http://www.direito2.com.br/; acessado em 26/06/2009); Portal do Jornal Folha de São Paulo (http://www.folha.uol.com.br/; acessado em 26/06/2009); Portal G1 (http://g1.globo.com/; acessado em 26/06/2009); Portal O Globo (http://g1.globo.com/Noticias/; acessado em 26/06/2009); Portal do Jornal O Povo (http://www.opovo.com.br/; acessado em 25/06/2009); Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (http://www.tre-ce.gov.br/; acessado em 25/06/2009).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados