RODRIGUES, Anadyr de Mendonça

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RODRIGUES, Anadyr de Mendonça
Nome Completo: RODRIGUES, Anadyr de Mendonça

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RODRIGUES, Anadyr de Mendonça

RODRIGUES, Anadyr de Mendonça

*adv.ger. União 2001-2003.

 

Anadyr de Mendonça Rodrigues formou-se em direito, no ano de 1958, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Antes de ingressar no Ministério Público Federal (MPF), atuou como advogada e como assessora do governo do Distrito Federal e do Senado.

No MPF desde 1972, passou no primeiro concurso para o cargo de procurador da República. Foi o primeiro membro do MPF a ter assento perante a turma do Supremo Tribunal Federal (STF), em agosto de 1989, e – três meses depois – foi a primeira mulher a ter assento no plenário daquela corte. Durante mais de dez anos, a sua principal tarefa foi emitir pareceres ao STF sobre questões ligadas à Constituição, particularmente às áreas tributária e administrativa.

Deixou o MPF para se tornar advogada da União. Ocupou o cargo de coordenadora de projetos vinculados à Advocacia-Geral da União (AGU). A aposentadoria da função de subprocuradora-geral da República foi requerida depois que a instituição rejeitou seu pedido de licença para trabalhar na AGU.

Em 1995 foi designada pelo presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, para participar da IV Conferência Mundial sobre a Mulher, realizada em Pequim, na China, entre 4 e 15 de setembro daquele ano.

Foi a primeira mulher a assumir, ainda que interinamente, em janeiro de 2001, a AGU, durante viagem ao exterior de Gilmar Ferreira Mendes. Nesse período, Anadyr foi responsável por apresentar ao STF o pedido de extinção de duas ações diretas de inconstitucionalidade contra o governo, questionando a edição da chamada medida provisória dos procuradores”, que procurava limitar o poder de ação do MP.

Em abril de 2001, o presidente Fernando Henrique Cardoso criou a Corregedoria-Geral da União (CGU), um órgão que tinha como finalidade apurar e fiscalizar denúncias de corrupção contra o governo federal, e nomeou Anadyr de Mendonça Rodrigues para o cargo de corregedora-geral da União.

No início do ano de 2002, o governo federal decidiu reestruturar todo o sistema de controle interno do Poder Executivo Federal, de forma a ampliá-lo e reforçá-lo. O decreto assinado por Fernando Henrique transferiu para a CGU toda a estrutura da Secretaria Federal de Controle Interno. Esse foi o embrião da Controladoria-Geral da União. Na ocasião, foram transferidas, ainda, para a CGU, a Comissão de Coordenação de Controle Interno, assim como as atribuições de Ouvidoria-Geral, antes a cargo do Ministério da Justiça, além das competências relacionadas ao controle interno e auditoria, que estavam atribuídas à Casa Civil da Presidência da República. Com isso, a Corregedoria-Geral da União passou a ter também a atribuição de executar todas as funções referentes ao controle interno do Poder Executivo Federal, assim como o encargo de exercer a auditoria pública e a Ouvidoria-Geral, no mesmo âmbito. Anadyr continuou no comando da pasta. Deixou cargo em janeiro de 2003, no fim do governo de Fernando Henrique Cardoso.

Ainda em 2003 foi nomeada corregedora-geral do Distrito Federal.

Teve três filhas.

Sabrina Guerghe

 

FONTES: Folha de São Paulo (2/4/01); CGU (14/5/01); CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO (março/abril de 02); PREFEITURA DE UNAÍ; JB Online (6/9/02); CORREGEDORIA-GERAL DO DISTRITO FEDERAL.


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados