Romário de Souza Faria

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ROMÁRIO
Nome Completo: Romário de Souza Faria

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

ROMÁRIO

* dep. fed. RJ 2011-

           

Romário de Souza Faria nasceu no Rio de Janeiro, em 29 de Janeiro de 1966, filho do operário Edevair de Souza Faria e da dona de casa Manuela Ladislau Faria.

Romário tem curso superior incompleto em Educação Física. Foi jogador profissional de futebol e ao longo de sua carreira atuou em três dos principais clubes cariocas: o Vasco da Gama (1985-1988; 2000-2002 e 2007-2008), o Flamengo (1995-1999) e o Fluminense (2002-2003). Na Europa foi contratado pelo holandês PSV Eindhoven (1988-1993) e pelos espanhóis Barcelona (1993-1995) e Valência (1996 - 1997). Jogou ainda no Catar, nos Estados Unidos e na Austrália.

Como atleta chegou à seleção brasileira, atuando em setenta partidas. Dentre outros títulos, foi campeão da Copa do Mundo, em 1994, e da Copa América de 1989 e 1997. Angariou, ainda, vários títulos pelos clubes que representou. Foi eleito o melhor jogador do ano da Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), em 1994. Romário deixou o futebol em 2009, em uma meteórica passagem pelo América do Rio. 

  Anteriormente à sua atuação político-partidária, Romário dedicou parte de seu tempo para o trabalho filantrópico. Fundou o Instituto Romário de Souza Faria, em 1995, e idealizou o Projeto Romarinho, que funcionou de 1999 a 2002. À época, foi oferecido treino esportivo, alimentação, serviços médicos, transporte e educação para a cidadania. Conforme indica o texto disponível no portal eletrônico do deputado, essa iniciativa teve como objetivo “diminuir as desigualdades sociais e criar oportunidades para as crianças carentes através do futebol”. Segundo a mesma fonte, o empreendimento atingiu “centenas de crianças e jovens extremamente pobres dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo”.

Romário foi eleito deputado federal em 2010, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Obteve 146.859 votos, consagrando-se como o sexto parlamentar mais votado da Câmara dos Deputados. As atividades do deputado Romário no Congresso incluíram a participação na Comissão Permanente de Turismo e Desporto, a suplência na Comissão de Educação e Cultura, o exercício da vice-presidência da Frente Parlamentar da Pessoa com Deficiência, além de compor, como Diretor de Assuntos Esportivos e Acessibilidade, a Frente Parlamentar da Atividade Física.

Alguns dos projetos de lei (PL) apresentados pelo deputado Romário coadunaram-se visivelmente com as pautas pertinentes às Comissões acima. Este foi o caso do PL nº 1.709, de 2011, que aumentou o percentual de recursos destinados ao paradesporto e a programas de incentivo à inclusão desportiva de estudantes portadores de deficiência. Já o PL nº 4.207, de 2012, alterou lei anterior para dispor sobre a prisão temporária e agravar a pena para quem tivesse conjunção carnal ou praticasse ato libidinoso com pessoa com deficiência física, mental ou intelectual.

No que diz respeito à atuação de Romário junto às instituições organizativas do esporte e, particularmente, do futebol nacional, o deputado do PSB notabilizou-se por expressivas denúncias. Segundo o próprio Romário, ele travou “uma luta constante para uma moralização no futebol [e] (...) para uma fiscalização melhor da Copa do Mundo”, realizada no Brasil, em 2014. A FIFA e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foram alvos constantes de críticas por parte de Romário, envolvendo, também, a Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol).

Romário participou ainda como titular da Comissão Especial do PL nº 2.330, de 2011, que debateu a educação sem uso de castigos corporais, vulgarmente conhecido como “lei da palmada”, e da comissão relativa ao PL nº 2.330, de 2011, que formulou a lei geral da Copa, aprovada em 2012.

Em outra esfera de preocupações, a apresentação do PL nº 4.411, de 2012, despertou a atenção da comunidade acadêmico-científica. Tratou-se de uma nova redação dos dispositivos da lei nº 8.010, de 29 de março de 1990, que dispunha sobre importações de bens destinados à pesquisa científica e tecnológica. O objetivo do novo projeto era a eliminação da burocracia de importação de mercadorias destinadas aos fins mencionados. Isso seria possível através da criação, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  (CNPq), de um cadastro nacional de pesquisadores que teriam liberação imediata das mercadorias a eles destinadas. Conforme o texto do projeto de lei, “a grande maioria dos insumos utilizados na pesquisa é importada”, dado o preço médio nacional ser muito mais elevado. Um levantamento, citado pela Revista Galileu, realizado pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com 165 cientistas, apontou que 76% deles já haviam perdido material na alfândega.

Em 2013, Romário foi avaliado em segundo lugar na categoria melhor deputado, relativa à oitava edição do Prêmio Congresso em Foco. O parlamentar do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Jean Wyllys, foi o vencedor com 4.629 votos; Romário, logo em seguida, obteve 4.400 votos.

Lançou a publicação “Dia Mundial das Doenças Raras”, com textos de investigadores da área social, além das notas taquigráficas do evento do Dia Internacional de Doenças Raras, ocorrido na Câmara em 2013. Participou, como colaborador, do livro de Marcus Vinicius Rezende de Moraes, intitulado Romário, sobre sua própria trajetória, lançado em 2009.

A atuação de Romário como jogador de futebol, além da mencionada biografia autorizada, foi registrada na obra de João Máximo e Marcos de Castro, Gigantes do futebol brasileiro. Em termos acadêmicos, seu desempenho como jogador também gerou reflexão nos artigos de Simoni Guedes, O salvador da pátria: considerações em torno da imagem do jogador Romário na Copa do Mundo de 1994, e Ronaldo Helal, Idolatria e malandragem: a cultura brasileira na biografia de Romário.  Outra obra produzida sobre Romário, em suporte imagético, foi o DVD Romário é gol. Neste documentário, realizado por Sidnei Loureiro Júnior e lançado em 2008, encontram-se vários depoimentos pertinentes à trajetória do esportista e cerca de novecentos dos mais de mil gols feitos pelo atacante.

Romário casou-se três vezes e teve seis filhos. Com a primeira esposa, Mônica Santoro, teve Moniquinha e Romarinho. Posteriormente casou-se com Danielle Favatto, com quem teve Daniellinha. Com a atriz Edna Velho, teve Raphael. Sua terceira esposa foi Isabelle Bittencourt, com quem teve Isabellinha e Ivy. Esta última nasceu com síndrome de Down, fato que manifestamente repercutiu na ação política de Romário junto às políticas de fomento à criação de melhores condições de atendimento a portadores de necessidades especiais.

Luiz Santana

 

FONTES: CASTRO, Marcos de. Gigantes do futebol brasileiro; GUEDES, Simoni Lahud. O salvador da pátria - considerações em torno da imagem do jogador Romário na Copa do Mundo de 1994;  HELAL, Ronaldo. Idolatria e malandragem: a cultura brasileira na biografia de Romário; MÁXIMO, João; Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. (jul.- dez. 2003); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 28/09/2013; Portal Estado de São Paulo. Disponível em: <http://www.estadao.com.br>. Acesso em 26/09/2013; Portal FIFA. Disponível em: <http://es.fifa.com/index.html>. Acesso em 27/09/2013; Portal Globo Esporte. Disponível em: <http://globoesporte.globo.com>. Acesso em 29/09/2013; Portal do Jornal O Globo. Disponível em: <http://oglobo.globo.com>. Acesso em 27/09/ 2013; Portal Notícias da Bahia. Disponível em: <http://www.noticiasdabahia.com.br>. Acessado em 01/10/2013; Portal da Revista Galileu. Disponível em: <http://revistagalileu.globo.com>. Acessado em 01/10/2013; Portal pessoal do senador Romário. Disponível em: <http://www.romario.org>. Acesso em 27/09/2013. Portal Romário 11. Disponível em: <http://romario11.com.br>. Acesso em 28/09/2013; Portal Terra. Disponível em: <http://www.terra.com.br>. Acesso em 01/10/2013; Portal Veja. Disponível em: <http://veja.abril.com.br>. Acesso em 28/09/2013.


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados