ROSÁRIO, Maria do

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ROSÁRIO, Maria do
Nome Completo: ROSÁRIO, Maria do

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ROSÁRIO, Maria do

ROSÁRIO, Maria do

*dep. fed. RS 2003-2007, 2007-2011, 2011-2015, 2019; min. Secretaria de Direitos Humanos. 2011-2014.

 

Maria do Rosário Nunes nasceu em Veranópolis (RS), no dia 22 de novembro de 1966, filha de Agilio Nunes e Hilda Fiorentin Nunes.

Iniciou-se na política em 1985, ainda como estudante, filiando-se ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB), legenda pela qual se elegeria vereadora em Porto Alegre, em 1992. No ano seguinte, formou-se em pedagogia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS).

Em 1994 deixou o PCdoB, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), legenda pela qual se reelegeu vereadora dois anos mais tarde.

Também pelo PT, em 1998 elegeu-se deputada estadual. Durante seu mandato, foi vice-presidente da Assembléia Legislativa gaúcha e presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos.

Em 2002 elegeu-se deputada federal. Durante a legislatura iniciada em fevereiro do ano seguinte, Maria do Rosário foi nomeada relatora da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, encarregada de investigar as redes de exploração sexual existentes no país (2003), e coordenou também a Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Em 2004 compôs a chapa encabeçada por Raul Pont (PT) para concorrer à prefeitura de Porto Alegre, eleição da qual saiu vitorioso, no 2º turno, José Fogaça, candidato do Partido Popular Socialista (PPS), com 53,3% dos votos.

Em 2005 Maria do Rosário concorreu à presidência do PT pela corrente “Movimento PT”. Ricardo Berzoini ficou com a liderança do partido e Maria do Rosário ocupou a segunda vice-presidência nacional.

Rosário reelegeu-se deputada federal em 2006. Dois anos mais tarde, voltou a se candidatar à prefeitura de Porto Alegre, disputando mais uma vez o segundo turno com José Fogaça, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), candidato que foi novamente eleito com 58% dos votos. Ainda em 2008, foi escolhida relatora da Comissão de Combate à Pirataria.

Em março de 2009 assumiu a presidência da Comissão de Educação e Cultura da Câmara; e em outubro, passou a integrar o grupo responsável pela elaboração do programa de governo a ser defendido por Dilma Rousseff (PT) em sua candidatura à presidência da República, no ano seguinte.

Em 2010, chegou a ter sua candidatura impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral, devido a supostos problemas com as dívidas na campanha para a prefeitura de Porto Alegre, em 2008. Porém, foi absolvida e pode concorrer, sendo reeleita para o terceiro mandato, com cerca de 146.000 votos. Entretanto, foi convidada para o cargo de Ministra da Secretaria Especial de Direitos Humanos no governo de Dilma Roussef, assumindo o posto em 2011.

Para além de sua luta pelos direitos humanos, notadamente pelo fim do trabalho escravo e pela reforma agrária, a deputada esteve envolvida em algumas polêmicas – principalmente com o também deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Ainda em 2003, Bolsonaro concedia uma entrevista sobre maioridade penal, e Maria do Rosário esperava sua vez de falar. No intervalo, iniciaram uma discussão, trocaram ofensas e Bolsonaro teria chegado a empurrá-la. Em dezembro de 2014, Maria do Rosário retirou-se quando o deputado fazia um discurso e ele, depois de mais uma discussão, teria dito que não a estuprava porque ela “não merecia”. Tal comentário teve ampla repercussão na mídia, suscitando o debate sobre a cultura do estupro presente no Brasil. A deputada entrou com uma ação de queixa crime e danos morais contra Jair Bolsonaro.

Em 2016, quando do recrudescimento dos debates sobre o afastamento de Dilma Roussef, a deputada esteve fortemente engajada na defesa do mandato da presidente. Foram muitos os discursos e ações no sentido de barrar a abertura do processo contra a então presidente.

Em julho, já na condição de representante da oposição, chegou a apresentar sua candidatura à presidência da Câmara dos Deputados, quando do afastamento de Eduardo Cunha. Quando a cúpula petista decidiu apoiar Marcelo Castro (PMDB-PI), ex-ministro da Saúde de Dilma Roussef, Maria do Rosário retirou sua intenção de participar do pleito.

No ano de 2013, ganhou a medalha do Mérito Farroupilha da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, por sua trajetória em defesa da educação e dos direitos humanos.

Maria do Rosário foi professora da rede estadual e municipal no Rio Grande do Sul. Tem especialização em violência doméstica pelo Laboratório de Estudo da Criança, da Universidade de São Paulo (USP) e mestrado em educação e violência infantil pela UFRGS.

É casada com o Eliezer Pacheco e tem uma filha.

 

FONTES:

Portal Zero Hora: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/04/por-que-a-deputada-maria-do-rosario-atrai-tantas-polemicas-4742774.html. Acesso em 02/02/2017.; Portal da Época: http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2016/07/para-turbinar-candidatura-de-marcelo-castro-maria-do-rosario-abre-mao-de-disputar-presidencia.html. Acesso em 14/02/2017; Portal do JusBrasil: https://amp-mg.jusbrasil.com.br/noticias/158557418/maria-do-rosario-protocola-no-stf-queixa-crime-contra-bolsonaro. Acesso em 14/02/2017; Portal G1: http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/07/maria-do-rosario-retira-candidatura-presidencia-da-camara.html. Acesso em 13/02/2017; Portal da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul: http://www2.al.rs.gov.br/noticias/ExibeNoticia/tabid/5374/Default.aspx?IdMateria=289344. Acesso em 02/02/2017; Portal Revista Fórum: http://www.revistaforum.com.br/mariafro/2011/03/25/nunca-dantes-tanta-mulher-no-poder/. Acesso em 06/03/2017.

 

 

FONTES: Folha de S.Paulo (online). Disponível em : <http://www1.folha.uol. com.br/folha>. Acesso em : 05 nov. 2009; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www2.camara.gov.br>. Acesso em : 05 nov. 2009; Portal da  dep. fed. Maria do Rosário. Disponível em : <http://www.mariadorosario.com.br/perfil.php>. Acesso em : 05 nov. 2009; Portal do PT. Disponível em : <http://www.pt.org.br>. Acesso em : 05 nov. 2009; Portal do TRE-RS. Disponível em : <http://www.tre-rs.gov.br>. Acesso em : 05 nov. 2009;UOL Eleições 2008 - Porto Alegre. Disponível em : <http://eleicoes.uol.com.br/2008/porto-alegre/fogaca_eleito.jhtm>. Acesso em : 05 nov. 2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados