SÁ, Almir

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SÁ, Almir
Nome Completo: SÁ, Almir

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Nome Civil: ALMIR MORAIS SÁ

SÁ, Almir

*dep. fed. RR 1999-2007.

 

Almir Morais Sá nasceu em Paranavaí (PR) no dia 30 de setembro de 1953, filho de Ubirajara Sá e de Porcina Rodrigues de Morais Sá.

Formou-se em letras em 1976 e, no ano seguinte, em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Mudou-se para Boa Vista em 1979, onde trabalhou como procurador do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), que mais tarde seria incorporado ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Foi também assessor jurídico da Câmara Municipal de Boa Vista.

Iniciou sua carreira política ao eleger-se deputado estadual, na legenda do Partido da Reconstrução Nacional (PRN), nas primeiras eleições gerais do recém-criado estado de Roraima, em 1990. No pleito de 1994, reelegeu-se, agora na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Durante seu segundo mandato presidiu a Assembléia Legislativa estadual.

Nas eleições de 1998, elegeu-se deputado federal por Roraima com 10.632 votos, dessa vez na legenda do Partido Progressista Brasileiro (PPB). Em 2000, assinou o manifesto internacional proposto pela campanha “Brasil Livre de Transgênicos” contra a liberação dos organismos geneticamente modificados e em defesa da realização de estudos sobre os impactos desses grãos alterados na produção agrícola e na alimentação humana. No ano seguinte, impediu que o senador Edison Lobão, do Partido da Frente Liberal (PFL-MA) assumisse interinamente a presidência do Senado durante licença do então presidente Jader Barbalho, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB-PA), ao apresentar mandado de segurança ao Supremo Tribunal Federal (STF). Após julgamento, em agosto, o mandado foi julgado procedente por unanimidade e garantiu a posse do primeiro vice-presidente da Câmara, o deputado Efraim Morais (PFL-PB).

Nas eleições de 2002 obteve uma suplência ao tentar renovar seu mandato de deputado federal. Deixou a Câmara ao final da legislatura, em 31 de janeiro de 2003. Porém, com a morte do deputado federal Moisés Lipnik, do Partido Democrático Trabalhista (PDT/RR), em junho de 2003, Almir Sá tomou novamente posse do cargo.

Em 2005, após a homologação da criação da Reserva Raposa Serra do Sol pelo governo federal, deu-se inicio a uma série de conflitos entre índios e produtores de arroz, que viviam na região desde a década de 70. Na ocasião, Sá manifestou-se publicamente contrário à homologação, argumentando que a área incluída nos limites da reserva era de valor estratégico por concentrar jazidas de minério. Segundo o então deputado, a homologação atendia a interesses internacionais e contrariava inclusive o interesse dos povos indígenas. Os conflitos se estenderam por quatro anos, até que o STF julgasse ação popular interposta pelo senador Augusto Botelho, do Partido dos Trabalhadores (PT/RR) contrária à demarcação contínua de terras. A decisão final considerou legais os limites definidos por decreto presidencial de 2005 e ordenou a retirada das famílias não-índias com direito a indenização.

Durante seu segundo mandato, Almir Sá foi membro do Conselho de Ética da Câmara, atuando como relator dos processos administrativos contra parlamentares acusados de envolvimento em um esquema de venda de ambulâncias superfaturadas para prefeituras que teriam beneficiado a empresa Planam, do empresário Antônio Vedoin, por meio de emendas parlamentares. Mas foi afastado em 2006, depois que a principal testemunha do caso, Maria da Penha Lino, ex-assessora do Ministério da Saúde, divulgou lista de supostos envolvidos em que constava seu nome.

Concorreu à reeleição, já agora na legenda do Partido Liberal (PL), no pleito de 2006, e obteve nova suplência, com 8.284 votos. No ano seguinte, assumiu a presidência da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Roraima (Faerr).

Presidiu também os conselhos deliberativos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e do Serviço Nacional de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae).

Publicou artigo intitulado “Fatores essenciais para uma nova gestão” na Revista Empreendedorismo e Negócios do Sebrae, dentre outros. Em 2007, iniciou o curso de mestrado em direito internacional econômico na Universidade Católica de Brasília (UCB).

Casou-se com Diana Ward Sá.

 

FONTES: Folha de S.Paulo (online). Disponível em : <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso em : 30 set. 2009; Portal Às Claras. Disponível em : <http://www.asclaras. org.br/2006>. Acesso em : 30 set. 2009; Portal  CCPY - Comissão Pró –Yanomami. Disponível em : <http://www.proyanomami.org.br>. Acesso em : 29 set. 2009; Portal da Assembléia Legislativa do Estado de Roraima. Disponível em : <http://www. al.rr.gov.br>. Acesso em : 30 set. 2009; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www.camara.gov.br>. Acesso em : 13 set. 2009; Portal do Ibama. Disponível em : <http://www.ibama.gov.br/patrimonio>. Acesso em : 30 set. 2009; Portal do Ministério Público de Roraima. Disponível em : <http://www.mp.rr.gov.br>. Acesso em : 12 set. 2009; Portal do TRE – RR. Disponível em : <http://www.tre-rr.gov.br>. Acesso em : 30 set. 2009; Portal Plataforma Lattes. Disponível em : <http:// lattes.cnpq.br/7383746143620802>. Acesso em : 30 set. 2009.

 

 

 

 

 

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados