SANTOS, Eduardo dos

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SANTOS, Eduardo dos
Nome Completo: SANTOS, Eduardo dos

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SANTOS, EDUARDO DOS

SANTOS, Eduardo dos

*diplomata; emb. Bras. Uruguai 2002-2006; emb. Bras. Paraguai 2008-

Eduardo dos Santos nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 29 de dezembro de 1952, filho de Vito Rafael dos Santos e Ester da Conceição dos Santos.

Bacharel em ciências jurídicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975), ingressou no curso de preparação à carreira de diplomata no Instituto Rio Branco (IRBr) em 1974, tornando-se terceiro-secretário em 11 de setembro de 1975. No mesmo ano, assumiu como assistente na Divisão da América Meridional-II. Em 1976, foi removido para o posto de assistente na Divisão da América Meridional-I e, em 1977, enviado para a embaixada em Moscou.

Promovido a segundo-secretário em 12 de dezembro de 1978, passou a servir na embaixada em Buenos Aires a partir de 1979. Em 1982, realizou o curso de aperfeiçoamento de diplomatas (CAD), sendo promovido a primeiro-secretário em 16 de junho. Tornou-se subchefe da Divisão da América Meridional-I, em 1984, e assessor do Gabinete do Ministro de Estado, em 1986.

Em 30 de junho de 1987, obteve nova promoção, desta vez a conselheiro, assumindo este posto na embaixada em Londres, em 1989. Foi nomeado professor-assistente de história diplomática do Instituto Rio Branco, em 1992. No mesmo ano, realizou o curso de altos estudos (CAE) do IRBr, durante o qual elaborou o trabalho “Argentina – Conflitos de Soberania e Mudanças Políticas na Década de 1980”, referente à experiência dos casos Beagle e Malvinas e o impacto na atuação diplomática brasileira.

Em 1993, foi coordenador-executivo do Gabinete do Ministro de Estado, assessor da Secretaria do Tesouro Nacional e assessor especial do Gabinete do Ministro da Fazenda. Em 20 de dezembro do mesmo ano, foi promovido a ministro de segunda classe e, em 1994, tornou-se ministro-conselheiro na embaixada em Londres. Dois anos depois, participou da II Reunião da Força Tarefa do G7/8 ampliado sobre os testes nucleares de Índia e Paquistão, como chefe de delegação.

Foi nomeado assessor diplomático da Presidência da República em 1999, mesmo ano em que foi promovido a ministro de primeira classe, no dia 20 de janeiro. Em 2002, assumiu seu primeiro posto como embaixador em Montevidéu. Atuou também como chefe de delegação durante a III Reunião de Alto Nível da Nova Agenda de Cooperação e Desenvolvimento Fronteiriço Brasil-Uruguai, em Montevidéu (2003), e na IV Reunião de Alto Nível da Nova Agenda de Cooperação e Desenvolvimento Fronteiriço Brasil-Uruguai, Porto Alegre (2004).

Em 2006, foi removido para o posto de embaixador em Berna, onde passou a exercer cumulativamente a embaixada junto ao Principado de Liechtenstein. No final de 2008, substituiu Valter Pecly no comando da embaixada em Assunção.

Publicou diversos artigos em revistas de relações internacionais: “Las relaciones Brasil-Uruguay: de la Laguna Merín a la Cuenca Del Plata: Del Atlântico Sur a la Antártida”, na Revista da Liga Marítima Uruguaia, ano 14, nº 18 (2004), “As relações Brasil-Uruguai no contexto da integração regional”, na Revista da Universidade Federal de Caxias do Sul (2004) e “Cooperação na fronteira Brasil-Uruguai: um novo paradigma?”, na revista Política Externa, nº 14, em co-autoria com Luis Cláudio Villafañe G. Santos (2005).

Fonte: Embaixada Bras. no Paraguai, Internet; MIN. REL. EXT. Anuário (2008).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados