SANTOS, Ricardo

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SANTOS, Ricardo
Nome Completo: SANTOS, Ricardo

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DOSSIÊ LELO COIMBRA

SANTOS, Ricardo

* sen. ES 2000-2002; dep. fed. ES 2006-2007.

 

                Ricardo Ferreira dos Santos nasceu na cidade de Alegre (ES), no dia 02 de fevereiro de 1945, filho de Acácio Ferreira dos Santos e Virgínia Aguiar dos Santos.           Formou-se engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa, instituição na qual se graduou entre 1963 e 1968, mas atuou em cargos não relacionados à agronomia. No Banco de Desenvolvimento Espírito Santo, em Vitória, trabalhou como técnico de nível superior. Em 1979 passou a integrar o quadro docente da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), lecionando no departamento de economia.

                Antes de tornar-se parlamentar, assumiu cargos administrativos de destaque em seu estado: em 1983 foi convidado para a Secretaria de Estado da Agricultura no governo Gerson Camata (1983-1986) e no ano seguinte filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em 1987, tornou-se Secretário de Estado do Planejamento do governo José Moraes (1986-1987). Em 1990 filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). De 1991 a 1994 foi Secretário Executivo do Grupo Executivo para Recuperação Econômica do Espírito Santo (GERES), vinculado ao Ministério do Interior.  Em 1995 tornou-se Secretário de Estado da Fazenda no governo de Vitor Buaiz (1995-1999). No ano de 1999, no decorrer do mandato de José Ignácio Ferreira como governador capixaba (1999-2002), foi nomeado Secretário de Estado do Planejamento, cargo no qual atuou até o ano seguinte.

                Em junho de 2000 foi empossado senador federal, pelo fato de ser suplente de José Ignácio Ferreira, que não assumiu mandato no senado por ter sido eleito governador capixaba. Ricardo Santos ocupou a cadeira da também suplente Luzia Toledo (PSDB), que aceitara convite para ser Secretária de Turismo do Espírito Santo. Em seu ato de posse, apontou a importância da intensificação de exportações e de investimentos em ciência e tecnologia como algumas das iniciativas que poderiam estimular o crescimento da economia. Além disso, defendeu a adoção de uma nova ordem tributária e a modernização do sistema econômico brasileiro.

                No decorrer de seu mandato no Senado Federal, foi titular de três comissões: de Assuntos Econômicos, de Assuntos Sociais e  de Fiscalização e Controle. Em março de 2001 tornou-se presidente da Comissão de Educação, apontando como tarefas a serem cumpridas a fiscalização da execução do Plano Decenal de Educação e a formulação de propostas para as áreas do governo responsáveis pelas políticas de educação, cultura, comunicações, desporto e lazer, e ciência e tecnologia. Em setembro de 2001 representou o Senado na 46ª Conferência Internacional sobre Educação, realizada em Genebra.

                Nas eleições de 2002 candidatou-se ao cargo de deputado federal, obteve               33.903 votos e foi eleito na condição de suplente. Em setembro de 2006 tomou posse na Câmara dos Deputados na vaga de Marcelino Fraga (PMDB), que renunciou ao cargo após ter tido seu nome ligado à chamada “máfia dos sanguessugas”, grupo que incluía parlamentares acusados de criar emendas destinadas à compra superfaturada de ambulâncias, entre os anos de 2002 e 2003. Depois de empossado, Ricardo Santos tornou-se titular da Comissão Permanente de Educação e Cultura.

                Em dezembro apresentou no Congresso o projeto de lei para modificar a política energética nacional e as atividades relativas ao monopólio do petróleo, estabelecendo critérios para aplicação de recursos dos royalties e da participação especial da produção de petróleo em áreas de abrangência da SUDAM e da SUDENE e nos projetos finalísticos de criação e manutenção de unidades de conservação, nos Estados e Municípios onde ocorrer a produção de petróleo e gás natural.

                Em outubro de 2007 foi eleito presidente regional do PSDB-ES, para mandato de dois anos.

Luciana Pinheiro

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados (http://www2.camara.gov.br/; acessado em 03/02/2009); Portal do Jornal Folha do E. Santo (http://www.folhaes.com.br/; acessado em 04/02/2009). Portal do PSDB (https://www2.psdb.org.br/; acessado em 05/02/2009); Portal do Senado Federal (http://www.senado.gov.br/; acessado em 04/02/2009); Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (http://www.tre-es.gov.br/; acessado em 04/02/2009).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados