SEABRA, Eduardo

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SEABRA, Eduardo
Nome Completo: SEABRA, Eduardo

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SEABRA, Eduardo

SEABRA, Eduardo

*dep. fed. AP 1999- 2007

 

Eduardo Seabra da Costa nasceu em Belém ), no dia 15 de setembro de 1951, filho de Euclides de Abreu Costa e Maria Seabra da Costa.

Em 1976 graduou-se em ciências naturais pela Universidade Federal de Pernambuco. Dois anos mais tarde, assumiu a direção do Colégio Comercial do Amapá, onde permaneceu até 1982. Neste ano, ingressou no curso de matemática da Universidade Federal do Pará, completando o bacharelado em 1984. Também em 1982 tornou-se diretor de recursos humanos do Conselho Estadual de Educação do Amapá, cargo no qual permaneceu até 1990. Mais tarde, foi nomeado membro do Conselho Estadual de Educação do Estado do Amapá (1985-1996), e cursou Recursos Humanos (1986) no Instituto de Recursos Humanos João Pinheiro, em Belo Horizonte.

Em 1990 Eduardo Seabra filiou-se ao Partido Liberal (PL). No ano seguinte, foi eleito presidente do Conselho Estadual de Educação, assim permanecendo até 1995. Foi também presidente da Comissão Permanente do Pessoal Docente da Secretaria de Educação do Estado do Amapá (1991-1998); conselheiro do Conselho Superior do Centro de Ensino Superior do Amapá (1992- 1999); e presidente do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Macapá (1993-1996).

Em 1997 filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), legenda pela qual se elegeu, no ano seguinte, deputado federal por Amapá. No mesmo ano, tornou-se vice-líder de seu partido, e em 2000 foi eleito vice-líder do bloco formado pelo seu partido e o Partido da Social Democracia brasileira (PSDB).

No pleito seguinte, realizado em 2002, Seabra foi reeleito. Na nova legislatura, iniciada em fevereiro de 2003, participou como titular da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização; da Comissão Permanente de Educação, Cultura e Desporto; e das Comissões Especiais do Programa Universidade para Todos; da Reforma universitária e de Políticas públicas para a juventude.

Em agosto de 2003, por ocasião da votação do Projeto de Reforma da Previdência Social proposta pelo governo Luis Inácio Lula da Silva (2003-2011), assumiu uma postura independente da orientação definida pela liderança do bloco PL-PSDB, votando contra. 

Em 2006, o chefe de gabinete de Eduardo Seabra, Pedro Braga de Sousa Jr., foi acusado de participar do esquema de corrupção conhecido como Máfia dos Sanguessugas, ou ainda Máfia das Ambulâncias. Ele participaria do esquema de corrupção que manipulava licitações e fraudava a compra de ambulâncias em diversos municípios da União. Ao término de seus trabalhos, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) responsável pelo caso recomendou a cassação de 72 parlamentares, entre eles Eduardo Seabra. Mas em 6 de dezembro deste mesmo ano, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou o parecer da deputada Ann Pontes, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PDMB-PA), favorável ao arquivamento do processo, concluindo-se pela improcedência da acusação.

 

 

FONTES: Agência Câmara (17/10/06). Disponível em : <http://www2.camara.gov.br/ agencia>. Acesso em : 13 dez. 2009; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (2003-2007); Portal Amazônia Brasil (7/8/03). Disponível em : <http:/www.chicoterra. com>. Acesso em : 13 dez. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados