SENDAS, Artur

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SENDAS, Artur
Nome Completo: SENDAS, Artur

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SENDAS, Artur

SENDAS, Artur

*pres. ACRJ 1997-2001.

Artur Antônio Sendas nasceu em São João de Meriti (RJ) no dia 16 de junho de 1935, filho do imigrante português Manuel Antônio Sendas e da carioca Maria Soares Sendas. Seu pai chegou ao Brasil com 14 anos e, na década de 1920, abriu seu próprio negócio, o Armazém Trasmontano, posteriormente denominado Casa do Povo. A família morava nos fundos da loja, e Artur Sendas, que era o terceiro de sete filhos, desde cedo ajudou no atendimento.

Cursou apenas o primário, atual ensino fundamental, no Colégio Santa Maria, em São João de Meriti. Quando tinha 17 anos, seu pai sofreu um acidente de carro e ficou internado. Com isso, assumiu o negócio, que já contava com duas lojas. Em 1960 criou a Casas Sendas e um ano depois inaugurou seu primeiro supermercado, onde aplicou o conceito de autosserviço. A ampliação do número de grandes lojas foi iniciada pela Baixada Fluminense e progrediu alcançando vários bairros do Rio de Janeiro. Além disso, diversificou as atividades com a criação de empresas, por exemplo, na área de material de construção e de distribuição de água.

Desde o início, participou ativamente de associações do setor de comércio, tendo sido vice-presidente da Associação Comercial de São João de Meriti e presidente da Associação dos Supermercados do Estado do Rio (Asserj) durante seis anos. Além disso, envolveu-se nas atividades do clube esportivo Vasco da Gama, tendo ocupado sua vice-presidência entre 1979 e 1982. Em 1997, tentaria sem sucesso ser eleito presidente do clube.

Em 1987, assumiu a direção da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), em que permaneceria até 1990. No ano seguinte, tornou-se presidente do conselho consultivo da entidade. Participou também do Conselho Monetário Nacional (CNM), de 1989 a 1994. Nesse último ano, por determinação da Medida Provisória nº 542, que, entre outras coisas, instituiu o Plano Real, o quadro de membros do CNM foi reduzido de 20 para três: o presidente do Banco Central e os ministros do Planejamento e da Fazenda, excluindo-se os membros nomeados, como era o seu caso.

Após ter ocupado vários cargos na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), de diretor, conselheiro e vice-presidente, em 1997 foi eleito presidente da entidade e teve o mandato renovado até 2001. Segundo a Revista do Empresário da ACRJ, as principais realizações de sua gestão foram “o tombamento do Palácio do Comércio; a construção do Centro de Convenções e Estudos Socioeconômicos no subsolo da sede, projetado na gestão anterior, de Humberto Mota; a instalação da Biblioteca Central; o incremento das atividades dos conselhos empresariais e o fortalecimento da Câmara de Arbitragem”. Outro exemplo de sua atuação foi a criação do Café Parlamentar, onde políticos eram convidados para o café da manhã para discutir questões importantes do estado e ouvir as preocupações da entidade. Nesse período, a ACRJ também passou a elaborar um boletim mensal com indicadores da evolução econômica e social do estado, chamado Carta do Rio. Durante algum tempo, funcionou também o Programa ATA, que mantinha um cadastro de profissionais aposentados por meio do qual estes ofereciam serviços de consultoria. Ao final de seu mandato, foi homenageado pela gestão seguinte sendo eleito Grande Benemérito da ACRJ.

Em 2004, oficializou-se a criação da Sendas Distribuidora S.A., resultado da associação entre os grupos Sendas e Pão de Açúcar, que assumiu a quarta posição no ranking nacional de supermercados. Com uma gestão operacional mista, Artur Sendas tornou-se o presidente do conselho de administração, enquanto o grupo Pão de Açúcar liderava a gestão do negócio.

Ainda em 2004, tornou-se membro do conselho de administração da Petrobras. Em 2008, retornou ao conselho consultivo da Abras, como vice-presidente. Era membro, também, dos conselhos de administração da BR Distribuidora e da PUC-Rio.

Foi assassinado no Rio de Janeiro em 20 de outubro de 2008.

Casado com Maria Ablen Sendas, teve três filhos.

Fabrícia Corrêa Guimarães

 

FONTES: ENTREV. BIOG.; Exame (20/10/08). Disponível em : <http://portalexame.abril. com.br>; Folha de S. Paulo (9/12/03; 1/4 e 13/9/04; 20 e 21/10/08); Gazeta Mercantil (21/10/08); Revista da Associação Comercial do Rio de Janeiro (set./nov. 2008).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados