SILVA, BERTINO DUTRA DA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SILVA, Bertino Dutra da
Nome Completo: SILVA, BERTINO DUTRA DA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SILVA, BERTINO DUTRA DA

SILVA, Bertino Dutra da                                           

*militar; interv. RN 1932-1933.

Bertino Dutra da Silva nasceu na Bahia no dia 23 de setembro de 1896.

Sentou praça na Escola Naval do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, sendo declarado guarda-marinha em janeiro de 1916. Em novembro de 1918 foi promovido a segundo-tenente e, em fevereiro de 1923, a primeiro-tenente.

Após a Revolução de 1930, já na patente de capitão-tenente, foi nomeado, em junho de 1932, interventor federal no Rio Grande do Norte, em substituição ao capitão-tenente Herculino Cascardo. Durante a Revolução Constitucionalista de São Paulo, de julho a outubro de 1932, apoiou o governo federal, detendo no quartel da guarnição do Exército em Natal algumas importantes personalidades políticas locais, civis e militares. Viajando ao Rio Grande do Sul, onde setores políticos levantaram-se em apoio aos rebeldes, participou da prisão do ex-governador Antônio Augusto Borges de Medeiros, ocasião em que foi ferido. Ainda na interventoria do Rio Grande do Norte, enfrentou a seca de 1932, criando a Diretoria Geral de Secas (13/7/1932), após a retirada da seção da Cruz Vermelha Brasileira que prestava assistência ao estado até então. Em agosto, aprovou o Código de Organização Municipal e, em outubro, inaugurou as docas do porto de Natal. Apesar da seca, conseguiu um saldo positivo no exercício de 1932. Em janeiro de 1933, criou o Instituto de Música, atualmente instituição privada, e em julho seguinte pediu demissão da interventoria, sendo substituído por Mário Câmara.

Em julho de 1943, durante o Estado Novo (1937-1945), passou a integrar, como representante do Ministério da Marinha, o Conselho Nacional do Petróleo (CNP), de cujo conselho pleno fez parte em 1945. Deixou o CNP em abril de 1948, quando foi promovido a capitão-de-corveta. Após a morte do presidente Getúlio Vargas e a posse do vice-presidente, João Café Filho, em agosto de 1954, foi promovido a contra-almirante em setembro, e assumiu cumulativamente a diretoria geral do Lóide Brasileiro e presidência da Comissão de Marinha Mercante. Ocupou esses cargos até outubro, quando tornou-se membro do Conselho de Marinha Mercante e superintendente da Companhia Nacional de Navegação Costeira. Deixou os dois cargos em novembro de 1955, quando o vice-presidente do Senado, Nereu Ramos, assumiu a presidência da República, em decorrência do movimento militar liderado pelo general Henrique Teixeira Lott.

Bertino Dutra da Silva foi ainda comandante da Escola de Aprendizes de Marinheiros, tendo chegado ao posto de almirante.

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; CASCUDO, L. História; CASCUDO, L. História da Assembléia; Grande encic. Delta; MIN. MAR. Almanaque (1927); PEIXOTO, A. Getúlio; POPPINO, R. Federal; SILVA, H. 1935.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados