SILVA, Gervásio

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SILVA, Gervásio
Nome Completo: SILVA, Gervásio

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SILVA, Gervásio

SILVA, Gervásio

*dep. fed. SC 1999-

 

Gervásio José da Silva nasceu em São José (SC) no dia 24 de maio de 1955, filho de José Lino da Silva e Verônica dos Passos da Silva.

Entre os anos de 1979 e 1982, cursou a Faculdade de Ciências Contábeis na Universidade do Vale de Itajaí (Univali), em Santa Catarina, sem, entretanto, completar a graduação.

Em 1980, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), vencendo as eleições para vereador em 1982 na sua cidade natal, no contexto da redemocratização brasileira. Entre 1983 a 1985, foi presidente da Câmara Municipal e, em 1987, filiou-se ao Partido Liberal (PL), do qual foi presidente entre 1987 e 1990. Em 1989, reelegeu-se para o cargo legislativo pelo PL. Em 1990, ingressou no Partido da Frente Liberal (PFL) e entre junho de 1990 e abril de 1991 foi secretário de Agricultura e Abastecimento de São José. Entre maio de 1991 e abril de 1992, foi secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo na mesma cidade.

Na eleição de 1992, integrou, na condição de vice-prefeito, a chapa vitoriosa encabeçada por Germano Vieira. Em junho de 1994, Gervásio Silva assumiu a prefeitura de São José no lugar do titular, que sofreu um processo de impeachment. Em 1995, tornou-se segundo-tesoureiro do diretório regional da executiva do PFL de Santa Catarina. Em 1996, foi vice-presidente da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis. Deixou o cargo de prefeito em 1° de janeiro de 1997, no fim do mandato.

Em outubro de 1998, elegeu-se deputado federal por Santa Catarina, na legenda do PFL. Foi o primeiro representante eleito de São José. Assumiu o mandato em fevereiro de 1999 e votou a favor da criação da Lei de Responsabilidade Fiscal em 2000, assim como da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) em 2002.

Ainda em 2002, reelegeu-se deputado federal, tendo conquistado a quarta maior votação do estado, com 113.137 votos. Foi empossado no novo mandato em fevereiro de 2003, e nas votações encaminhadas pelo governo de Luís Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT) e adversário do PFL, votou contra a reforma da Previdência e esteve ausente na votação da reforma tributária.

Entre maio de 2005 e abril de 2006, foi vice-líder do PFL na Câmara dos Deputados. Nas eleições de outubro de 2006, foi mais uma vez reeleito deputado federal. Obteve 95.864 votos. Empossado em fevereiro seguinte, integrou a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Ainda em 2007, passou a pertencer as fileiras do Democratas (DEM), agremiação criada pela refundação do PFL. Contudo, em agosto, filiou-se ao Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB). Sua mudança de partido suscitou grande repercussão, porque foi o primeiro parlamentar federal a requerer a permanência no cargo eletivo, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidir que o mandato pertencia aos partidos e que estes, se quisessem, poderiam requerer o mandato daqueles parlamentares que deixassem a legenda. Em novembro, o DEM entrou com uma ação no TSE para ter de volta o mandato de Gervásio, argumentando que fosse aplicada a regra da fidelidade partidária. Em sua defesa, Gervásio alegou perseguição do partido contra ele. Em abril de 2008, o TSE decidiu a favor de Gervásio, que manteve o mandato de deputado federal.

Em maio de 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) converteu uma denúncia do Ministério Público Federal em ação penal contra Gervásio Silva por estupro, lesão corporal e atentado violento ao pudor. Segundo os procuradores, Gervásio teria violentado uma funcionária do município catarinense de Curitibanos. O deputado negou as acusações, mas o STF considerou que os indícios eram suficientes para a ação penal.

Em setembro, fez parte da lista de deputados que pediram recurso contra a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial. No mês seguinte, requereu a retirada de sua assinatura do respectivo recurso.

Presidente do Fórum Parlamentar Catarinense, fez parte ainda da comissão que instituiu o Código Ambiental Brasileiro.

Do casamento com Sônia Maria de Oliveira e Silva, teve três filhos.

Bruno Marques

FONTES: <www.midiamais.jor.br/?id=noticias&idnoticias=2807>. Acesso em: 07 nov. 2009; <http://oziasjornalismo.blogspot.com/2008/05/gervsio-silva-carlos-llis-souza-cal-e.html>. Acesso em: 07 nov. 2009; <www.cmsj.sc.gov.br/portal/index.php?page=noticia&id=619>. Acesso em: 07 nov. 2009; <www.tre-sc.gov.br/site/noticias/news/noticia/arquivo/2007/novembro/artigos/deputado-catarinense-apresenta-ao-tse-as-razoes-de-sua-desfiliacao-do-democratas/index.html>. Acesso em: 07 nov. 2009; <http://congressoemfoco.ig.com.br/Noticia.aspx?id=18685>. Acesso em: 07 nov. 2009; <http://congressoemfoco.ig.com.br/Noticia.aspx?id=18668>. Acesso em: 07 nov. 2009; <http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Lista.asp?ass1=igualdade&co1=%20AND%20&Ass2=racial&co2=Ass3=>. Acesso em: 07 nov. 2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados