SIZENANDO NABUCO DE MELO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NABUCO, Sizenando
Nome Completo: SIZENANDO NABUCO DE MELO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NABUCO, SIZENANDO

NABUCO, Sizenando

*gov. AL 1957-1958.

 

Sizenando Nabuco de Melo nasceu em Passo do Camaragibe (AL) no dia 16 de julho de 1906, filho de Senhorinho Alves de Melo e de Francisca Teodora Nabuco de Melo.

Fez o curso primário no Colégio Diocesano e o ginasial no Liceu Alagoano. Ingressou na Faculdade de Direito de Recife em 1927. Nomeado promotor público interino da comarca de Maragogi (AL) em 1930, concluiu o curso de direito no ano seguinte. Ainda em 1931, foi nomeado primeiro suplente de juiz municipal de Pilar e, no final do ano, promotor público da comarca de São Miguel dos Campos (AL).

Em 1932 foi nomeado inspetor-geral do ensino primário de Alagoas, cargo que ocuparia até maio de 1946. Em 1933 tornou-se diretor do Montepio dos Servidores do Estado de Alagoas e, em junho desse ano, assumiu o cargo de adjunto de segundo-promotor público da comarca da capital alagoana. Ainda em 1933, acumulou o cargo de oficial-de-gabinete da Prefeitura de Maceió, e também em setembro foi designado prefeito interino de Maceió devido ao impedimento do seu titular, Alfredo Oiticica.

Entre 1934 e 1936 exerceu em comissão o cargo de secretário da interventoria federal em Alagoas. Neste último ano foi designado primeiro-delegado-auxiliar da polícia da capital alagoana. No fim do ano seguinte, por ocasião da decretação do Estado Novo (1937-1945), passou a responder pelo expediente do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS). Em 1938 foi designado censor da imprensa da capital, cargo no qual permaneceria até abril de 1942, quando assumiu o cargo de delegado-auxiliar de polícia de Maceió.

Findo o Estado Novo, em maio de 1946 foi contratado como advogado pelo Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado (IPASE). Dois anos depois foi efetivado como procurador do órgão.

Foi eleito, em janeiro de 1947, deputado à Assembléia Constituinte de Alagoas na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Com a promulgação da nova Carta estadual, passou a exercer o mandato ordinário.

Reelegeu-se no pleito de outubro de 1950, na coligação do PTB com o Partido Social Trabalhista (PST), assumindo o novo mandato em fevereiro de 1951. Foi reeleito deputado estadual, na mesma legenda, no pleito de 3 de outubro de 1954. Em dezembro de 1955 foi eleito vice-governador de Alagoas na legenda do Partido Social Progressista (PSP), em chapa encabeçada por Sebastião Muniz Falcão. Assumiu o cargo em janeiro de 1956, tendo antes deixado o mandato de deputado estadual.

Em 15 de setembro de 1957 assumiu o governo do estado devido ao impedimento do governador Muniz Falcão, decretado pela Assembléia Legislativa estadual. Permaneceu no cargo até 24 de janeiro de 1958, quando Muniz Falcão foi absolvido pelo tribunal misto de desembargadores e deputados estaduais, reassumindo o governo.

Afastando-se das atividades políticas, retornou à Santa Casa de Misericórdia de Maceió, da qual era membro desde 1954. Foi vice-provedor nos biênios 1961-1963 e 1963-1965, e em 1970 foi eleito provedor da instituição, função que desempenharia por 29 anos.

Aposentou-se como procurador do IPASE em maio de 1967.

Foi diretor-geral da Rádio Expresso Ltda., de Alagoas.

Faleceu em Maceió no dia 4 de setembro de 1989.

Foi casado com Dolores Lopes Nabuco de Melo, com quem teve quatro filhos. Viúvo, casou-se com Letícia da Costa Nabuco de Melo, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; ENTREV. FAM. SILET NABUCO DE MELO; Rev. Arq. Públ. AL.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados