SOUSA, ANISIO DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SOUSA, Anísio de
Nome Completo: SOUSA, ANISIO DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SOUSA, ANÍSIO DE

SOUSA, Anísio de

*dep. fed. GO 1979-1983.

 

Anísio de Sousa nasceu em Pirenópolis (GO), no dia 7 de abril de 1936, filho de José Pereira Siqueira e de Altina de Sousa Lobo.

Professor primário e juiz de paz nas comarcas de Santa Isabel e Jaguará, ambas no interior de Goiás (1958-1962), bacharel em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Goiás (1972), nas eleições de novembro de 1974 concorreu a uma vaga de deputado estadual pela legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar vigente no país desde abril de 1964, obtendo uma suplência.

Superintendente da Pavicap e diretor-presidente do Instituto de Administração dos Municípios Goianos (1975), assumiu a presidência do diretório da Arena na capital do estado, tornando-se assessor político da Secretaria do Interior e Justiça (1976).

Integrante do grupo político do governador Irapuan Costa Júnior (1975-1979) elegeu-se deputado federal em novembro de 1978. Titular da Comissão de Ciência e Tecnologia e suplente da Comissão de Relações Exteriores, apresentou um projeto de emenda constitucional adiando as eleições municipais marcadas para novembro de 1980, o que lhe garantiu uma notoriedade até então inexistente.

Com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reorganização partidária filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena. Incorporando a idéia da prorrogação dos mandatos de prefeitos e vereadores — sob o argumento de que ela se tornara indispensável, dada a recente reformulação partidária — o novo partido impôs a sua maioria, conseguindo aprová-la em setembro de 1980.       

Em janeiro de 1981 Anísio de Sousa propôs nova alteração constitucional, para introduzir o voto distrital misto, a vinculação de todos os cargos e a ampliação da sublegenda. Sem arregimentar desta vez tantos aliados e temendo isolar-se no próprio partido, acabou acedendo aos pedidos do senador José Sarney, presidente do PDS, e deixou o assunto de lado. Desprestigiado, saiu do partido em setembro, acusando o governo federal de inaugurar obras a pedido da oposição em Goiás em troca da indicação de Nélson Marchezan à presidência da Câmara.

Retornou em março, sendo nomeado pelo governador Ari Valadão (1979-1983) para a Secretaria do Interior e Justiça de Goiás.

Poucos meses depois foi apontado como autor de quatro disparos de revólver contra um motorista de ônibus que havia abalroado seu automóvel num acidente de trânsito em Brasília. Confirmada a denúncia, em agosto de 1981 a procuradoria geral da República abriu contra Anísio de Sousa um processo penal por tentativa de homicídio. Sua tentativa de reaver a imunidade parlamentar, reassumindo a cadeira de deputado, esbarrou na decisão do Supremo Tribunal Federal que entendeu ter sido o crime cometido quando, sob licença da Câmara, ele se encontrava no exercício de outro cargo.

Negando o habeas-corpus impetrado por seus advogados o STF julgou-o culpado por lesões corporais simples e o condenou a sete meses de reclusão em regime aberto. Não obstante, ao término do mandato, em janeiro de 1983, Anísio de Sousa foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas de Goiás.

Em 1998, já aposentado, filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB).

Anos depois, ensaiando um retorno à carreira política, foi cogitado como candidato a deputado estadual nos meios políticos de Uruaçu, o que não se confirmou. Nas eleições de 2008, candidatou-se a vereador daquele município pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), mas não foi eleito, tendo obtido apenas 143 votos.

Casado com Maria Inácia d’Abadia Silva e Sousa, teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); Estado de S. Paulo (4/6/80, 24 e 26/3, 17/11/81, 27/4/82, 1/1/83); Globo (29/9/79, 24 e 28/1/81); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (25/6 e 5/8/80, 18, 24/3 e 1/8/81, 10/6 e 18/12/82); Jornal Opção On-line (7 a 13/12/03); Jornal Cidade (12/7/08); TRIB. REG. ELEIT. (Eleições 2008 – Resultado).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados