TAVARES, JOSE DE MEDEIROS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TAVARES, José de Medeiros
Nome Completo: TAVARES, JOSE DE MEDEIROS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TAVARES, JOSÉ DE MEDEIROS

TAVARES, José de Medeiros

*gov. AL 1986-1987.

 

José de Medeiros Tavares nasceu em Junqueiro (AL) no dia 3 de novembro de 1932, filho de João Malta Tavares e de Maria de Medeiros Tavares.

Formou-se pela Faculdade de Direito de Alagoas em outubro de 1959.

No pleito de outubro de 1962, candidatou-se a deputado estadual na legenda do Partido Democrata Cristão (PDC), assumindo uma cadeira na Assembléia em fevereiro do ano seguinte. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instalado em 1964. Em setembro de 1966, foi indicado para vice-governador de Antônio Lamenha Filho, primeiro governador eleito por via indireta após o movimento de 1964. Lamenha recebeu o governo das mãos do interventor no dia 16 do mesmo mês e o exerceu até março de 1971, quando foi substituído por Afrânio Laje (1971-1975).

Em novembro de 1970 voltou a se candidatar a uma vaga na Assembléia alagoana. Eleito, iniciou novo mandato em fevereiro de 1971. Sucessivamente reeleito nos pleitos de 1974 e de 1978, filiou-se, após o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 e a posterior reorganização partidária, ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação que deu continuidade à linha governista da extinta Arena.

Em novembro de 1982 foi candidato a vice-governador na legenda pedessista, na chapa vitoriosa encabeçada por Divaldo Suruagy. Em março de 1986 assumiu o governo alagoano em virtude do afastamento de Suruagy, que se desincompatibilizou do cargo para poder concorrer a uma vaga de senador constituinte nas eleições de novembro daquele ano. Permaneceu no cargo até março de 1987, quando Fernando Collor tomou posse no governo de Alagoas.

A partir de então, não voltou mais a concorrer a cargos eletivos, passando a se dedicar a atividades agropecuárias. No plano político, permaneceu no PDS até abril de 1993, quando ocorreu a fusão com o PDC, surgindo então o Partido Progressista Reformador (PPR). Filiou-se à nova agremiação, mas em 1995 ingressou no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em setembro de 1999, trocou novamente de legenda, filiando-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Faleceu em Maceió no dia 27 de abril de 2003.

Foi casado com Maria Liege de Albuquerque Tavares, com quem teve quatro filhos. Seu filho José Raimundo de Albuquerque Tavares foi deputado estadual em Alagoas de 1992 a 1996.

 

FONTE: INF. SILVA, Manuel Sandro; Portal Direito2. Disponível em: <http://www.direito2.com.br/asen/2003/mai/6/senado-aprova-voto-de-pesar-pela-morte-do-ex-governador-jose-tavares>. Acesso em 14 abr. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados