TOURINHO, AIRTON PEREIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TOURINHO, Airton Pereira
Nome Completo: TOURINHO, AIRTON PEREIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TOURINHO, AÍRTON PEREIRA

TOURINHO, Aírton Pereira

*militar; comte Comdo Mil. Amazônia 1967-1968; comte ESG 1976-1978; ch. Depto Ger. Pess. Ex. 1978; ch. Depto Eng. Comunic. Ex. 1978.

 

Aírton Pereira Tourinho nasceu em Curitiba no dia 13 de março de 1915, filho de Plínio Alves Monteiro Tourinho e de Ester Pereira Tourinho. Seu pai foi um dos chefes da Revolução de 1930 no Paraná, delegado militar no estado, constituinte em 1934 e deputado federal de 1935 até 1937, além deter sido um dos fundadores e catedráticos da Universidade do Paraná. Seu tio Mário Alves Monteiro Tourinho foi interventor no Paraná entre 1930 e 1932, substituindo o irmão Plínio. Seu irmão Luís Tourinho também seguiu carreira no Exército e foi deputado federal pelo Paraná de 1955 a 1959. Sua irmã, Lastênia Tourinho de Almeida, casou-se com o general Reinaldo Melo de Almeida, que foi chefe do Departamento Geral de Serviços do Exército (1973-1974), comandante do I Exército (1974-1976) e ministro do Superior Tribunal Militar (1976-1983).

Sentou praça na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em março de 1931. Declarado aspirante-a-oficial da arma de engenharia em dezembro de 1934, foi classificado no 1º Batalhão de Sapadores, sediado em Curitiba, e participou da construção da rodovia Curitiba-Ribeira (SP). Promovido a segundo-tenente em setembro de 1935, foi destacado para atuar na construção da rodovia Curitiba-Joinville (SC). Em maio de 1937 tornou-se primeiro-tenente, sendo designado para servir no 2º Batalhão de Pontoneiros, sediado em Cachoeira do Sul (RS). Em maio de 1940 foi promovido a capitão e transferido para a 5ª Brigada de Engenharia, em Curitiba. Foi instrutor-chefe de engenharia no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de Curitiba e viajou aos Estados Unidos, onde frequentou o curso de instrução para oficiais durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Alcançou a patente de major em março de 1946, ano em que cursou a Escola de Estado-Maior do Exército, no Rio de Janeiro. Em seguida estagiou na Diretoria de Engenharia, também na capital federal, e foi designado adjunto da Comissão Militar de Rodovias nº 5, em Curitiba. Em junho de 1952 foi promovido a tenente-coronel e em abril de 1961 a coronel.

General-de-brigada em novembro de 1966, foi nomeado pelo presidente Artur da Costa e Silva (1967-1969) para substituir o general Moacir Barcelos Potiguara no Comando Militar da Amazônia. Empossado em maio de 1967, exerceu o cargo até fevereiro de 1968, quando o transferiu para o general Edmundo da Costa Neves. Em março de 1971 foi promovido a general-de-divisão e em maio seguinte assumiu o comando da 5ª Região Militar e da 5ª Divisão de Infantaria, em Curitiba, que exerceu até junho de 1972. Durante o governo do presidente Ernesto Geisel (1974-1979) teve, em maio de 1974, seu nome cogitado por autoridades militares paranaenses para disputar o pleito indireto para o governo do Paraná na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena). A escolha, no entanto, recaiu em Jaime Canet Júnior, eleito pela Assembleia Legislativa paranaense em outubro de 1974 e empossado em março de 1975.

Designado em maio de 1976 para substituir o general Válter de Meneses Pais no comando da Escola Superior de Guerra (ESG), exerceu a função até janeiro de 1978, quando foi substituído pelo general José Fragomeni. Nesse mesmo mês sucedeu ao general Carlos Alberto Cabral Ribeiro como chefe do Departamento Geral de Pessoal do Exército. Ainda em inícios de 1978, teve o nome cogitado por setores de oposição militar para concorrer à presidência da República na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), contra a candidatura do general João Figueiredo, apoiada pela Arena. A indicação oposicionista acabou recaindo no general Euler Bentes Monteiro, que foi derrotado por Figueiredo nas eleições indiretas realizadas em outubro de 1978.

Deixou o Departamento Geral de Pessoal do Exército em abril de 1978, transferindo o cargo para o general Antônio Carlos de Andrada Serpa, que o assumiu no mês seguinte. Ainda em abril de 1978, foi empossado na chefia do Departamento de Engenharia e Comunicações do Exército, onde sucedeu ao general Vinitius Nazaré Notare. Passando à reserva remunerada em novembro de 1978 por ter atingido o tempo máximo para a permanência no serviço ativo, foi substituído no cargo, no mês seguinte, pelo general José Ferraz da Rocha. Na reserva, dedicou-se a ministrar conferências sobre o Exército brasileiro em todo o país, sobretudo na Amazônia.

Durante sua carreira militar fez também os cursos da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e da ESG, ambos no Rio, tendo estagiado no Engineer Replacement Training Center em Fort Belvior, nos Estados Unidos.

Faleceu em Curitiba no dia 18 de julho de 2008.

Casado com Gleuza Geordano Medeiros Tourinho, teve três filhas.

 

FONTES: ARQ. MIN. EXÉRC.; CORRESP. SECRET. GER. EXÉRC.; INF. BIOG.; Jornal do Brasil (10/7, 11/10, 24/11 e 21/12/78); MIN. GUERRA. Almanaque (1976); NÉRI, S. 16; Perfil (1972); Estado do Paraná (online) 03 dez. 2005. Disponível em : <http://www.parana-online.com.br/editoria/cidades/news/152248/?noticia=GENERAL+http://www.parana-online.com.br/editoria/cidades/news/152248/?noticia=GENERAL+TOURINHO+MORRE+AOS+90+ANOSTOURINHO+MORRE+AOS+90+ANOS >. Acesso em : 31 ago. 2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados