TRINDADE, Francisca

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TRINDADE, Francisca
Nome Completo: TRINDADE, Francisca

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TRINDADE, FRANCISCA DAS CHAGAS DA

TRINDADE, Francisca

*dep. fed. PI 2003.

Francisca das Chagas da Trindade nasceu em Teresina no dia 26 de março de 1966, filha de Lídia Maria da Trindade e de Raimundo Pereira da Trindade.

Formou-se em teologia pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e cursou filosofia na mesma universidade, mas não chegou a concluir o curso. Professora de ensino fundamental e médio, dedicou-se à militância católica, tendo sido secretária da Pastoral de Juventude do Meio Popular (PJMP) da Arquidiocese de Teresina. Participou também ativamente da organização da Articulação Nacional do Solo Urbano e foi representante do estado na Central Nacional de Movimentos Populares.

Iniciou sua vida partidária em 1985 quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT). Nas eleições de 1992 disputou uma vaga na Câmara Municipal de Teresina na legenda petista e ficou como primeira suplente. Em 1995 assumiu o mandato no lugar de Wellington Dias, e em outubro de 1996 conseguiu eleger-se vereadora. Nas eleições de outubro de 1998 elegeu-se deputada estadual na legenda do PT, tendo sido a mais votada em Teresina e a quinta mais votada em todo o estado. Nos anos 1999-2000 foi presidente da Comissão de Direitos Humanos na Assembleia Legislativa. Nas eleições municipais de 2000 foi candidata a vice-prefeita de Teresina na chapa encabeçada por Wellington Dias, mas não teve sucesso.

No pleito de outubro de 2002 foi eleita deputada federal com 165.190 votos, então a maior votação da história do Piauí. Tomou posse em fevereiro de 2003 e tornou-se primeira-vice-presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano e Interior. Faleceu em pleno exercício do mandato, no dia 27 de julho de 2003, em São Paulo.

Ao longo da carreira, fundou e presidiu a Associação de Moradores do Bairro Água Mineral e participou da criação da Federação das Associações de Moradores. Atuou em movimentos de sem-teto e foi fundadora de um dos maiores assentamentos da América, o Irmã Dulce, em Teresina.

Foi casada com Edilberto Oliveira, com quem teve dois filhos.

 

Carolina Gonçalves

 

FONTES: Folha de S.Paulo (28/7/03); Portal do Governo do Estado do Piauí (29/7/04). Disponível em : <http://www.piaui.pi.gov.br/index.php>; Portal do PT-PI. Disponível em : <http://www.ptpiaui.org.br/portal/index.php>.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados