VASCONCELOS, ARNALDO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VASCONCELOS, Arnaldo
Nome Completo: VASCONCELOS, ARNALDO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VASCONCELOS, ARNALDO

VASCONCELOS, Arnaldo

*diplomata; emb. Bras. Uruguai 1971-1974.

Arnaldo Vasconcelos nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 27 de junho de 1912, filho de Álvaro Rodrigues de Vasconcelos e de Amélia Barroso de Vasconcelos.

Estudou no Colégio Resende e formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro em 1933.

Trabalhou como funcionário da Caixa Econômica Federal no Rio de Janeiro de julho de 1934 a fevereiro de 1938, ingressando em seguida na carreira diplomática como cônsul de terceira classe. Lotado na Secretaria do Ministério das Relações Exteriores, lá permaneceu até março de 1941, quando passou a servir como vice-cônsul em Nova Orleans, nos Estados Unidos. Dali foi transferido, em abril de 1943, para Filadélfia, onde foi promovido em dezembro a cônsul de segunda classe. Foi transferido para Montreal, no Canadá, servindo como cônsul-adjunto de fevereiro de 1944 a julho de 1946. Nesse período, secretariou, em setembro de 1944, a delegação brasileira à II Reunião do Conselho de Administração de Assistência e Reabilitação das Nações Unidas, em Montreal.

De volta ao Brasil, serviu na Secretaria do Itamarati a partir de agosto de 1946. Durante o ano de 1947, integrou, em fevereiro, a Comissão de Estudo do Plano de Reestruturação do Quadro das Repartições Consulares do Brasil, e em maio, a Comissão de Reforma do Regimento Interno do Instituto Rio Branco, e exerceu, em agosto, a função de subsecretário-geral da Conferência Interamericana para Manutenção da Paz e da Segurança do Continente, realizada no Rio de Janeiro.

Transferido para Nova Iorque como cônsul-adjunto em março de 1948, foi promovido em abril de 1949 a cônsul de primeira classe. Em janeiro do ano seguinte passou a servir no México, na condição de primeiro-secretário da embaixada brasileira. Em seguida foi removido para Washington, onde esteve de fevereiro de 1951 a março de 1952. No mês seguinte foi transferido para Caracas, na Venezuela, atuando como encarregado de negócios de maio de 1952 a janeiro de 1953 e de maio desse último ano a novembro de 1954. Em fevereiro de 1954 foi promovido a conselheiro.

Retornando ao Brasil, foi nomeado em janeiro de 1955 secretário executivo da Comissão Consultiva de Acordos Comerciais do Itamarati e, em junho do mesmo ano, representante do ministério na Comissão Nacional de Alimentação. Em novembro, integrou a delegação brasileira à VIII Sessão da Conferência da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em Roma, representação que ocuparia novamente nos anos subseqüentes.

Promovido a ministro de segunda classe em junho de 1956, chefiou, do mês seguinte até 1957, a Divisão Econômica do Itamarati. Ainda em 1957, foi eleito, em maio, presidente do comitê de finanças da FAO, cargo em que permaneceria até 1961. Em fevereiro de 1958 tornou-se encarregado de negócios em Bonn, função que exerceu até janeiro de 1962. No mês seguinte foi designado encarregado de negócios em Washington e promovido a ministro de primeira classe. Deixou a capital norte-americana em março de 1962, para a embaixada em La Paz, em substituição ao encarregado Joaquim Inácio do Amazonas McDowell. Deixou esse posto em agosto de 1964, sendo substituído por Ivan Veloso da Silveira Batalha.

Removido para a Secretaria do Itamarati em agosto de 1964, passou, em dezembro desse ano, a representar o ministério na Junta Coordenadora de Informações do Conselho de Segurança Nacional e a dirigir a Seção de Segurança Nacional do Itamarati. Em 1965 exerceu, entre outras funções, a de membro da Comissão de Planejamento Político do ministério. No ano seguinte cursou a Escola Superior de Guerra (ESG) e, em 1967, representou o Brasil na XXII Sessão da Assembléia Geral da ONU, em Nova Iorque, e presidiu a Comissão de Estudos da Organização do Serviço Consular Brasileiro.

Nomeado embaixador no Cairo em 1968, no ano seguinte passou a acumular essa função nas embaixadas em Cartum e no Kuwait. Deixou a representação nos três países em 1971 para assumir, em agosto desse ano, a embaixada brasileira em Montevidéu, substituindo Luís Leivas Bastian Pinto. No ano seguinte foi delegado brasileiro à V Reunião de Chanceleres dos Países da Bacia do Prata, realizada em Punta del Este, no Uruguai. Deixou Montevidéu em 1974, quando transmitiu a chefia da representação brasileira a Antônio Correia do Lago.

Ainda em 1974 assumiu a chefia da missão brasileira junto às comunidades européias, e no ano seguinte participou de várias reuniões com a Comunidade Econômica Européia (CEE). Em 1976, tornou-se, cumulativamente com essa função, embaixador do Brasil na Irlanda.

Casou-se com Lílian Vasconcelos, com quem teve dois filhos.

Publicou Cochrane, esforço de biografia.

FONTES: CORTÉS, C. Homens; MACEDO, R. Efemérides; MIN. REL. EXT. Almanaque (1973 e 1975); MIN. REL. EXT. Anuário (1975); Perfil (1972 e 1974); SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados