VASCONCELOS, JOAO DE SOUSA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VASCONCELOS, João de Sousa
Nome Completo: VASCONCELOS, JOAO DE SOUSA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VASCONCELOS, JOÃO DE SOUSA

VASCONCELOS, João de Sousa

*pres. CNC 1954-1956.

 

João de Sousa Vasconcelos nasceu em Campina Grande (PB) no dia 27 de março de 1898, filho de José Dias de Vasconcelos e de Maria Olímpia de Sousa Vasconcelos.

Depois de concluir o curso de contabilidade no Liceu Paraibano, na cidade da Paraíba (atual João Pessoa), retornou a Campina Grande, onde iniciou suas atividades no comércio e na política. Em 1924, fundou a firma Araújo Rique e Cia. em sociedade com João Rique e João Araújo, e tornou-se segundo-secretário do Conselho Municipal da cidade, órgão correspondente às atuais câmaras de vereadores. No ano seguinte, sem prejuízo de suas funções municipais, passou a atuar como adjunto do promotor da comarca local, e em 1926 foi fundador da Associação Comercial de Campina Grande, tornando-se primeiro-secretário da diretoria provisória então constituída.

João de Sousa Vasconcelos apoiou a Aliança Liberal em 1930 e permaneceu no Conselho Municipal de Campina Grande até sua extinção, provocada pela revolução vitoriosa de outubro desse ano. Em 1934, foi eleito deputado à Assembléia Constituinte estadual que se reuniu no ano seguinte, sendo escolhido para o cargo de primeiro-secretário. Manteve-se nessa função durante a legislatura ordinária seguinte, suprimida com a implantação do Estado Novo em 10 de novembro de 1937.

Entre 1940 e 1943, fez parte do Departamento Administrativo e do Conselho Consultivo do Estado da Paraíba, além de colaborar nos jornais A Noite, A União, O Combate, Correio da Manhã e A Imprensa, de João Pessoa. Participou do I Congresso Brasileiro de Economia, organizado em 1943 pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (então Distrito Federal), do I Congresso Brasileiro da Indústria em 1944 e da I Conferência Nacional das Classes Produtoras em 1945. Nesse ano, com o processo de desagregação do Estado Novo e o conseqüente surgimento dos novos partidos políticos, vinculou-se à União Democrática Nacional (UDN).

Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1948. De 1952 a 1954, foi secretário da Confederação Nacional do Comércio (CNC), sendo eleito em seguida presidente dessa entidade para o período 1954-1956. Como atribuição desse cargo, exerceu também a presidência dos conselhos nacionais do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Durante seu mandato, manifestou a permanente oposição da CNC às “obras suntuárias” realizadas pelo governo e ao processo inflacionário, além de lutar pela atração dos capitais estrangeiros e a organização do crédito. Criou também o conselho de turismo da CNC, instituiu o Dia Nacional do Comerciante e assinou, em nome do governo brasileiro, acordo de assistência técnica ao turismo com o Ponto IV, órgão oficial norte-americano.

Em 1957, representou o Brasil na Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, em nome dos empregadores. Nos anos seguintes, voltou a participar ativamente da CNC, exercendo as funções de segundo-diretor-tesoureiro (1958-1960), membro do conselho fiscal (1962) e terceiro-diretor-tesoureiro (1964). Em 1966, ingressou no conselho técnico da entidade, organismo que veio a presidir mais tarde.

João de Sousa Vasconcelos foi ainda diretor e sócio benemérito da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), vice-presidente do Conselho Interamericano de Comércio e Produção (CICYP), fundador da Academia de Comércio de João Pessoa, e colaborador dos jornais A Palavra, O Correio de Campina e Diário de Pernambuco. Como empresário, foi presidente da Cia. Comércio e Prensagem de Algodão (com atuação na Paraíba e no Rio de Janeiro), diretor da Cia. Comissária e Exportadora de Algodão (Rio e São Paulo), além de fundador e presidente da firma paraibana Sibrasil, mais tarde Brascorda (Brasil Cordas S.A.).

Faleceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1972.

Casou-se com Severina de Araújo Vasconcelos, com quem teve sete filhos.

Deixou publicadas as seguintes obras: Problemas e necessidades da Paraíba (1931), Notas da Europa (coletânea de artigos publicados em A Imprensa, 1937) e uma coletânea de discursos, artigos e conferências publicada pela CNC e as associações comerciais de Campina Grande, João Pessoa e Rio de Janeiro.

Sônia Dias

 

 

FONTES: ALMEIDA, E. História; CONF. NAC. COMÉRCIO. 20; CONSULT. MAGALHÃES, B.; CORRESP. CONF. NAC. COMÉRCIO; CURRIC. BIOG.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados