VOLTOLINI, Eni

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VOLTOLINI, Eni
Nome Completo: VOLTOLINI, Eni

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VOLTOLINI, Eni

VOLTOLINI, Eni

*dep. fed. SC 1999, 2000-2003.

 

Eni José Voltolini nasceu em Corupá (SC) no dia 8 de maio de 1950, filho de Egídio Voltolini e de Elisabeta Papp Voltolini.

Bacharelou-se em engenharia agronômica na Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, na cidade gaúcha de Pelotas, em 1971. Em 1972 iniciou o curso de administração de empresas na Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), mas abandonou-o em 1974.

Em 1972 e 1973, trabalhou como extensionista rural junto à Associação de Crédito e Assistência Rural de Santa Catarina nos municípios de Catanduvas e Gaspar. Transferiu-se então para a empresa Ceval Agroindustrial e chefiou até 1974 o departamento de fomento ao plantio da soja em Gaspar. Nesse ano, foi trabalhar na Cooperativa Agrícola Mista Regional Pindorama, localizada em Xanxerê (SC), tendo integrado o departamento de produção de sementes. Em 1975 mudou novamente de emprego e tornou-se o responsável pelo escritório regional da Agrotécnica e Planejamento, em Chapecó (SC), e também pelo escritório dessa empresa na capital do Mato Grosso do Sul. Em 1976 deixou esses cargos, foi designado secretário do núcleo de engenheiros agrônomos em Chapecó e tornou-se sócio-gerente da Comércio e Representações Agronômicas, em Xanxerê. Em 1977 assumiu a administração da empresa da sua família, a E. Voltolini, em Chapecó, e em 1979 tornou-se professor da Sociedade Porvir Científico, no Colégio La Salle, em Xanxerê.

Em 1980 radicou-se em Joinvile (SC), após ser aprovado em concurso público para a Secretaria de Agricultura, onde criou o programa de apoio à pequena e média cooperativa. Ainda no mesmo ano foi transferido para a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), em que exerceu a função de coordenador regional de agricultura. Entre 1981 e 1984, acumulou os cargos de secretário e tesoureiro do Núcleo Litoral Norte de Engenheiros Agrônomos. Nesse ínterim, em 1983, foi sócio-fundador do Sistema de Agronegócios (Siagro). Em 1984 assumiu a coordenadoria estadual do Programa Integrado de Controle aos Simuliídeos (Proisim), função que exerceria até 1987. Chefiou também o Centro de Apoio Profissional (CAP) de Joinville de 1985 a 1986.

 Em 1988 foi escolhido secretário-geral da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Santa Catarina (Aeasc). No ano seguinte foi nomeado intendente distrital de Pirabeiraba (SC) e presidente da Fundação 25 de Julho, em que permaneceria até 1992. Em 1990 criou a Fundação de Meio Ambiente de Joinvile, passou a integrar, até 1992, a diretoria do Conselho de Agricultura e Abastecimento de Joinville (Conaaj) e assumiu o comando da Comissão Municipal de Defesa Civil (Comdec).

Iniciou sua militância partidária em 1991 quando se filiou ao Partido Democrático Social (PDS). Em 1993, acompanhou a decisão da agremiação e ingressou no Partido Progressista Reformador (PPR) – resultado da fusão do PDS com o Partido Democrata Cristão (PDC). Assumiu também o cargo de secretário-adjunto de Agricultura e Abastecimento do estado de Santa Catarina, no qual permaneceu até 1994. No pleito de outubro desse ano, foi eleito deputado estadual na legenda do PPR. No ano seguinte, filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB) – resultado da fusão do PPR com o Partido Progressista (PP), tornando-se presidente do diretório do partido em Joinville e vice-líder, líder e coordenador da Escola de Formação Política do partido. Nas eleições de outubro de 1996, disputou sem sucesso a prefeitura de Joinville.

Na eleição de outubro de 1998, foi eleito deputado federal por Santa Catarina na legenda do PPB. Empossado em fevereiro seguinte, pouco depois pediu licença do mandato e assumiu o cargo de secretário estadual de Saúde na gestão do governador Esperidião Amin (1999-2002). Desincompatibilizou-se em abril de 2000 a fim de concorrer às eleições de outubro. Tentou novamente a prefeitura de Joinville na legenda do PPB, e mais uma vez não obteve êxito. Reassumiu então o mandato de deputado federal e integrou como titular as comissões de Economia, Indústria e Comércio; de Finanças e Tributação; de Seguridade Social e Família.

Em 2002, diante do impasse criado no Partido da Frente Liberal (PFL) contra o nome do então vice-governador Paulo Bauer, foi o escolhido para compor a chapa encabeçada por Esperidião Amin para concorrer ao governo do estado. Esperidião Amin foi para o segundo turno com Luís Henrique da Silveira e foi derrotado por pequena diferença, já que obteve 49,65% dos votos válidos. Eni Voltolini voltou então ao exercício do mandato de deputado federal e deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 2003, ao final da legislatura.

Em outubro de 2006, voltou a candidatar-se a deputado federal por Santa Catarina na legenda do PPB e obteve uma suplência. Em setembro de 2008, passou a integrar Câmara Setorial Federal de Floricultura e Plantas Ornamentais, vinculada ao Ministério da Agricultura. No ano seguinte, foi nomeado secretário de Integração e Desenvolvimento Econômico de Joinvile.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1999-2003); Oi São José (online) jul. 2002. Disponível em : <http://www.oisaojose.com.br>; A Noticia (24/9/00; 30/9/05 e 17/9/08).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados