WERNER, ARTENIR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: WERNER, Artenir
Nome Completo: WERNER, ARTENIR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
WERNER, ARTENIR

WERNER, Artenir

*dep. fed. SC 1979-1983 e 1985-1991; const. 1987-1988.

 

Artenir Werner nasceu em Rio do Sul (SC) no dia 1º de agosto de 1940, filho de Arnoldo Werner e de Leontina Tomio Werner.

Economista formado pela Faculdade de Ciências Econômicas do Paraná em 1961, iniciou sua carreira política em novembro de 1968, ao se eleger prefeito de sua cidade natal na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Exerceu o mandato de 1969 e 1973, tendo presidido, de 1970 a 1972, a Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí.

Diretor administrativo da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento entre 1975 e 1978, em novembro deste último ano elegeu-se deputado federal na legenda governista. Ao longo da legislatura, iniciada em fevereiro de 1979, foi membro da Comissão de Trabalho e Legislação Social, suplente das comissões de Economia, Indústria e Comércio e de Agricultura e Política Rural, além de vice-presidente da comissão parlamentar de inquérito (CPI) instaurada ainda em 1979 para investigar o sistema tributário nacional.

Com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reorganização partidária, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), que reuniu a maioria dos antigos arenistas, em cuja legenda foi reeleito em novembro de 1982. Em março de 1983, três meses após iniciar seu segundo mandato, afastou-se da Câmara dos Deputados para assumir a Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Santa Catarina, no governo Esperidião Amin (1983-1987), sendo substituído pelo suplente Fernando Bastos. Nos primeiros dias de 1985, após se afastar da Secretaria de Cultura devido a divergências com o governador sobre a posição do partido no processo sucessório presidencial, reassumiu o mandato de deputado federal.

Com isso, na reunião do Colégio Eleitoral que em 15 de janeiro desse ano elegeu o sucessor do presidente João Figueiredo (1979-1985), votou no candidato governista, Paulo Maluf, que foi derrotado por Tancredo Neves, lançado pela coligação oposicionista Aliança Democrática, formada pelo PMDB e a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal. Tancredo Neves, todavia, acometido por uma grave enfermidade, que o vitimou em 21 de abril seguinte, não chegou a tomar posse na presidência da República, ocupada, afinal, pelo vice, José Sarney, que desde 15 de março vinha exercendo interinamente o cargo.

Nessa legislatura, Artenir Werner foi titular das comissões de Trabalho e Legislação Social e de Previdência e Assistência Social e Desenvolvimento Urbano, e suplente das comissões de Agricultura e Política Rural e de Esporte e Turismo.

No pleito de novembro de 1986 foi eleito deputado federal constituinte na legenda do PDS. Iniciando o terceiro mandato consecutivo em 1º de fevereiro de 1987, com a abertura dos trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte, integrou a Subcomissão de Garantia da Constituição, Reformas e Emendas, da Comissão da Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições, e foi suplente da Subcomissão dos Direitos Políticos, dos Direitos Coletivos e Garantias, da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher.

Nas principais votações que definiriam o novo texto constitucional, foi favorável à pena de morte; ao turno ininterrupto de seis horas; à unidade sindical; ao direito de greve, inclusive para o servidor público; ao voto aos 16 anos; à anistia aos micro e pequenos empresários; e à legalização do jogo do bicho. Opôs-se, todavia, à estabilidade no emprego, à remuneração 50% superior para o trabalho extra, à jornada semanal de 40 horas, ao presidencialismo, à estatização do sistema financeiro, ao mandato de cinco anos para o presidente José Sarney e à limitação dos encargos da dívida pública.

Com a promulgação da nova Constituição em 5 de outubro de 1988, voltou a participar dos trabalhos legislativos ordinários como membro das comissões do Trabalho e da Agricultura, deixando a Câmara ao final da legislatura, em janeiro de 1991. Em novembro de 1994 filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL), mas não voltou a disputar cargos eletivos.

Em sua atuação como empresário, foi presidente da Associação dos Produtores de Óleo de Sassafraz em 1982 e membro do conselho da administração das Centrais Elétricas do Sul do Brasil (Eletrosul) de 1996 a 1998, ano em que assumiu a direção da Transportes Dalçoquio S.A., com sede em Rio do Sul.

De acordo com o jornal A Notícia, Artenir Werner apoiou a candidatura bem-sucedida de Luís Henrique da Silveira ao governo de Santa Catarina em 2002 e em 2006. Por ocasião das comemorações dos 20 anos da Constituição de 1988, esteve presente à homenagem feita pela Assembléia Legislativa aos constituintes catarinenses.

Casou-se com Marlene Naschenweng Werner, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983 e 1983-1987). INF. BIOG; A Notícia (23/10/08); http://www.floripanews.com.br/ver_not.php?id=49292&ed=Geral&cat=Not%C3%ADcias acesso em 31/10/09.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados