ALIANCA ELEITORAL PELA FAMILIA (ALEF)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALIANÇA ELEITORAL PELA FAMILIA (Alef)
Nome Completo: ALIANCA ELEITORAL PELA FAMILIA (ALEF)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
ALIANÇA ELEITORAL PELA FAMÍLIA (ALEF)

ALIANÇA ELEITORAL PELA FAMÍLIA (Alef)

 

Associação civil de âmbito nacional criada em 1962 em substituição à Liga Eleitoral Católica com o objetivo de mobilizar o eleitorado católico para apoiar os candidatos comprometidos com os princípios sociais da Igreja. Sua atuação restringiu-se às eleições legislativas federais e estaduais e para o governo de alguns estados realizadas em 7 de outubro de 1962.

Entre as principais medidas propostas pela Alef, figuravam a defesa da propriedade privada e da família, o combate ao divórcio, a crítica aos extremismos de esquerda e de direita, além de várias sugestões relativas à política econômica, social e cultural do país. Embora liderada por católicos, a Alef procurava reunir todos os cristãos identificados com seus princípios.

As informações disponíveis revelam que a Alef atuou pelo menos nos estados de Goiás, Bahia, Guanabara e São Paulo. Em Goiás, a organização foi fundada no final do mês de janeiro de 1962, sob o patrocínio do arcebispo metropolitano do estado, dom Fernando Gomes. O professor universitário Jerônimo Queirós foi escolhido para presidente da Associação.

Na Bahia, a Alef apoiou Antônio Lomanto Júnior, candidato vitorioso ao governo do estado, lançado pela coligação entre o Partido Social Trabalhista (PST), o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o Partido Republicano (PR) e a União Democrática Nacional (UDN). Dos 17 candidatos a deputado federal apoiados pela Alef, foram eleitos apenas seis: Heitor Dias Pereira, Oscar Cardoso da Silva, Rui Santos e João Mendes da Costa Filho, da UDN, Luís Régis Pacheco Pereira, do Partido Social Democrático (PSD), e Teódulo Lins de Albuquerque, do PR. Dos 42 concorrentes ao cargo de deputado estadual, somente 12 foram eleitos.

No estado da Guanabara, o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, dom Jaime de Barros Câmara, liderou a campanha da Alef manifestando-se através da imprensa e nas paróquias, além de promover várias reuniões em casas de família, colégios e clubes. A uma dessas reuniões, realizada no Teatro Municipal do Rio de Janeiro em meados do mês de setembro, compareceram o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Hélder Câmara, o governador da Bahia, Juraci Magalhães, e o candidato a deputado federal Juarez Távora.

Para o governo do estado de São Paulo, a Alef indicou os candidatos Ademar de Barros e Jânio Quadros e, para vice-governador, Laudo Natel, Teotônio Maurício Monteiro de Barros Filho e o brigadeiro José Vicente de Faria Lima. Apoiou ainda vários candidatos aos legislativos federal e estadual.

Mônica Kornis

 

FONTES: CÂM. DEP. Anais (1962-2 e 9); CAVALCANTI, T. Comportamento; Estado de S. Paulo (5 e 23/9/62).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados