Caros Amigos

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: Caros Amigos
Nome Completo: Caros Amigos

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:

CAROS AMIGOS

 

CAROS AMIGOS

 

Revista mensal lançada em São Paulo em abril de 1997 pela editora Casa Amarela. Foi concebida por Sérgio de Sousa, Roberto Freire, Jorge Brolio, Francisco Vasconcelos, José Carlos Marão, Alberto Dines, Hélio de Almeida, João Noro e Matthew Shirts. Apenas os quatro primeiros permaneceram na revista após o número inicial. A edição de estréia, com o jornalista Juca Kfouri na capa, teve tiragem de 50 mil exemplares, dos quais 20 mil foram vendidos.

Fundador e principal editor da revista, Sérgio de Sousa, conhecido como Serjão, começou a carreira de jornalista na década de 1950. Trabalhou na Folha de S. Paulo e na Quatro Rodas, foi diretor de jornalismo das rádios Globo e Excelsior e da TV Tupi, e foi fundador das revistas Realidade e Bondinho.

Com poucos anunciantes, a revista desde o início sobreviveu das assinaturas e da venda de publicações da editora Casa Amarela, da qual alguns de seus editores eram sócios. Em 2002 eram 18 mil assinantes, e em 2009, em torno de nove mil. Uma das características que a diferenciaram das demais foi o fato de que a maioria dos autores não recebia pela colaboração e tinha independência para escolher os temas abordados nos artigos. Não havia pauta, com exceção das entrevistas, carro-chefe do periódico. Segundo Sérgio de Sousa, a intenção inicial era criar um veículo para se opor ao “pensamento único” que reinava na imprensa durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. A revista se caracterizaria, assim, pela independência de “patrões ou capitalistas”.

Entretanto, Caros Amigos recebeu críticas de Roberto Freire, escritor e praticante da somaterapia de inspiração reichiana, conhecido por livros como O coiote e Histórias curtas e grossas, e um dos fundadores da revista, que se sentiu traído diante do que considerou um alinhamento com o Partido dos Trabalhadores (PT) durante as eleições presidenciais de 1998. Por considerar que uma matéria sobre os candidatos Luís Inácio Lula da Silva, do PT, e Fernando Henrique Cardoso, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), supostamente favorecia o primeiro, Freire, que sempre se intitulou anarquista e se opunha a qualquer envolvimento com a política partidária, deixou a revista.

Apenas três meses após a morte de Sérgio de Sousa, em março de 2008, vários jornalistas se demitiram, afirmando que a nova direção não estava mais de acordo com as intenções iniciais da publicação: “liberdade de opinião, transparência nas decisões e, sobretudo, diálogo”. O pivô da crise teria sido o secretário de redação Tiago Domenici, que teria entrado em atrito com o editor da revista, Mylton Severiano, o “Myltainho” (ex-Folha de S. Paulo, Quatro Rodas, Jornal da Tarde, TVs Tupi, Cultura, Globo e Record). Após a demissão de parte da equipe em solidariedade a Domenici, o próprio Mylton Severiano foi demitido pelo diretor comercial da revista, Wagner Nabuco de Araújo (ex-editora Abril). O diretor de fotografia Amâncio Chiodi o acompanhou.

O comunicado ao público assinado por Nabuco explicava a saída de Mylton Severiano por problemas de relacionamento com a equipe e comprometia-se a manter os princípios da revista: “jornalismo crítico, de qualidade e independente, claramente comprometida com a luta democrática e popular”. No lugar de Mylton Severiano ficaram, dividindo o cargo de editores, Hamilton Otávio de Sousa, professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e articulista do Brasil de Fato, Igor Fuser, jornalista e professor da Faculdade Cásper Líbero e do Centro Universitário Belas Artes, e José Arbex Júnior, ex-correspondente internacional da Folha de S. Paulo (1983-1992), doutor em história social pela Universidade de São Paulo (USP) e professor de jornalismo da PUC-SP.

Uma ampla gama de intelecutais e ativistas de expressão nacional e internacional já colaborou com a publicação, entre eles Frei Beto, Eduardo Suplicy e Fidel Castro.

Distribuída para todo o Brasil pela Distribuidora Nacional de Publicações (Dinap), do grupo Abril, Caros Amigos não é filiada ao Instituto Verificador de Circulação, mas, segundo informação do próprio sítio da revista, tem tiragem de 40 mil exemplares, com uma circulação líquida paga de 26 mil.

 

Fabiane Popinigis

FONTES:

Prêmio Vladmir Herzog – os vencedores de 2005. Observatório da Imprensa, 25/10/2005,http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=352DVH015, acessado em 16/11/2009.

Editora da Caros Amigos ganha Prêmio Vladmir Herzog. Caros Amigos, 17/10/2009, http://carosamigos.terra.com.br/index_site.php?pag=revista&id=133&iditens=376, acessado em 16/11/2009.

O deserto e o oásis de Caros Amigos. Observatório da Imprensa, 02/12/2008, http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=514AZL004, acessado em 16/11/2009.

Disputa Interna provoca racha na Caros Amigos. Blog Vi o Mundo, 20/06/2008

http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/disputa-interna-provoca-racha-na-caros-amigos/, acessado em 16/11/2009.

 

Mylton Severiano é demitido do cargo de editor da Caros Amigos. O outro lado da notícia, 15/03/2009,  http://outroladodanoticia.wordpress.com/2009/03/15/mylton-severiano-e-demitido-do-cargo-de-editor-da-caros-amigos/ acessado em 16/11/2009.

 

Aos Dez anos Caros Amigos continua ícone do jornalismo progressista. Agência Carta Maior, 23/04/2007, http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=13925 acessado em 16/11/2009.

 

Entrevista de Myltainho a Luiz Maklouf Carvalho. Profissão Repórter, 30/03/2001, http://prof.reporter.sites.uol.com.br/myltainho.html, acessado em 16/11/2009.

 

Bicudo, F.; Revista “Caros Amigos” – Um outro jornalismo é possível, XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Salvador, B.A., 2002. http://intercom.org.br/papers/nacionais/2002/Congresso2002_Anais/2002_NP2BICUDO.pdf, acessado em 16/11/2009.

 

Homepage do Prêmio Vladmir Herzog, http://www.premiovladimirherzog.org.br, acessado em 16/11/2009.

 

Comunicação, o desafio da esquerda. Centro de Mídia Independente, 14/10/2009, http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2009/10/456500.shtml, acessado em 16/10/2009.

 

Homepage do Instituto Verificador de Circulação, www.ivc.org.br, acessado em 16/11/2009.

 

Caros Amigos, receita de jornalismo alternativo. http://comcult2002.sites.uol.com.br/, acessado em 16/11/2009.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados