COORDENAÇÃO NACIONAL DE LUTAS (CONLUTAS)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COORDENAÇÃO NACIONAL DE LUTAS (CONLUTAS)
Nome Completo: COORDENAÇÃO NACIONAL DE LUTAS (CONLUTAS)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:

COORDENAÇÃO NACIONAL DE LUTAS (Conlutas)

 

Central sindical fundada em congresso realizado em Sumaré (SP) em maio de 2006 por dissidentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A Conlutas é fruto do processo de reorganização sindical ocorrido no primeiro mandato do presidente Luís Inácio Lula da Silva (2003-2007). O sindicalismo brasileiro passou então por um processo de reordenamento político-organizacional, decorrente em parte dos desacordos e tensões já históricos entre algumas de suas forças internas, que de certo modo se aguçaram quando da chegada ao poder de um ex-líder sindical, e em parte dos debates sobre quais deveriam ser as formas de ação do governo em relação aos trabalhadores .

A Conlutas surgiu como idéia já no Encontro Nacional Sindical realizado em março de 2004 em Góias. Reunidos cerca de 1.800 dirigentes e ativistas dos movimentos sindicais e populares, foi definido o que seria seu plano e calendário de lutas contra a chamada reforma sindical. Dois anos depois, devido a discordâncias com as políticas empreendidas pelo governo Lula, como por exemplo a reforma da Previdência, e a críticas ao que consideravam uma certa “passividade” da CUT, sindicalistas majoritariamente ligados ao Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) desligaram-se da CUT, após dela participarem desde a fundação em 1983, promovendo a primeira defecção na história da central até aquele momento. Foi esse grupo que fundou a Conlutas e realizou o I Congresso Nacional da entidade em Betim (MG), em 2008, com a presença de cerca de três mil delegados.

Segundo sua própria definição, “a central é uma coordenação aberta à participação de qualquer entidade, sindical, organização popular, estudantil ou movimento social, que queira somar-se à luta contra as reformas neoliberais e contra o modelo econômico do governo Lula”. Entre as suas bandeiras de luta incluem-se a autonomia frente ao Estado, a democracia operária, o internacionalismo e o socialismo, e a luta contra o imperialismo e a globalização capitalista.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE), em 2008 a Conlutas ocupava a décima posição entre as centrais, reunindo 0,39 % das entidades sindicais existentes.

 

 

Fontes: Revista Teoria e Debate, Nº 74, Fundação Perseu Abramo: SP, 2007; http://www.conlutas.org.br  - acessado em 12/11/2009

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados