MISSAO COOKE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MISSÃO COOKE
Nome Completo: MISSAO COOKE

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
MISSÃO COOKE

MISSÃO COOKE

 

Nome com que se tornou conhecida a missão técnica norte-americana enviada ao Brasil em 1942 sob a chefia de Morris Llewellyn Cooke. Ao lado dessa missão norte-americana foi também constituída uma missão técnica brasileira, composta por mais de cem técnicos especializados e por alguns industriais, estes últimos chefiados por João Alberto Lins de Barros. A missão brasileira contou com o estímulo de líderes das classes produtoras, como Euvaldo Lodi e Valentim Bouças.

A sugestão para o envio de uma missão técnica ao Brasil partiu do governo brasileiro e foi imediatamente aceita pelo governo norte-americano, com o apoio do presidente Roosevelt. A Missão Cooke foi a primeira de uma série, prolongada anos mais tarde pela Missão Abbink (1948) e pelo grupo de técnicos norte-americanos que integrariam a Comissão Mista Brasil-Estados Unidos (1951).

Os objetivos básicos da Missão Cooke, conforme declaração do governo norte-americano de 2 de setembro de 1942, eram: 1) aumentar a produção local de produtos essenciais anteriormente importados; 2) adaptar as indústrias brasileiras a uma tecnologia mais avançada, isto é, ao uso de sucedâneos, substituindo fornecimentos habitualmente importados; 3) aperfeiçoar os meios de transporte; e 4) canalizar melhor a poupança interna para as atividades do setor industrial. Essas recomendações, no entanto, estenderam-se, visando objetivos mais amplos.

A Missão Cooke é considerada a primeira tentativa de diagnóstico global da economia brasileira e de seus problemas dentro de uma perspectiva de promoção do desenvolvimento do país. Essa perspectiva partia das necessidades peculiares à conjuntura econômica da época — ou seja, da necessidade de coordenar o esforço de guerra empreendido pelo Brasil e de ao mesmo tempo elaborar uma política de industrialização. Tanto o governo brasileiro como o governo norte-americano partiam do princípio de que através de um incentivo contínuo e equilibrado à produção, através da troca de experiências técnicas, seria possível elevar o padrão de vida do povo brasileiro.

Durante as dez semanas de permanência concedidas à Missão Cooke, a situação do país foi analisada sob os aspectos da produção, dos transportes, dos combustíveis, do petróleo, da energia, dos têxteis, da mineração, da metalurgia, da indústria química, da educação, do aproveitamento do vale do São Francisco e outros. As análises foram feitas em forma de monografias, versando não só sobre problemas econômicos e correlatos, mas também sobre financiamento e distribuição de recursos.

O relatório da Missão Cooke só foi divulgado integralmente pelo governo norte-americano em fins de 1948 (até então era conhecido apenas em caráter confidencial). Recebido com entusiasmo por empresários e técnicos, o documento confirmava as propostas dos chamados “industrialistas”, entre os quais destacava-se Roberto Simonsen. As conclusões da missão técnica foram aliás amplamente utilizadas por Simonsen quando, ao ser criado o Conselho Nacional de Política Industrial e Comercial, em 1944, foi introduzida em suas proposições a tese da planificação da economia.

A análise da situação econômica do Brasil levou a Missão Cooke a concluir que o país dependia excessivamente das importações, e que essa situação se agravara em decorrência das restrições do período de guerra.

Os norte-americanos, especialmente Corwin Edwards, estudaram também a participação do setor público nos investimentos, sugerindo a criação de um regulador do mercado de capitais, semelhante aos bancos de investimentos. Esse órgão deveria ser formado pelo governo federal e pelos governos estaduais com os fundos da previdência social e através do lançamento de ações no país e no exterior.

Essa proposta de Edwards é considerada um importante antecedente da criação, em 1952, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE), primeiro banco brasileiro de investimentos sob controle do Estado.

Além de ter contribuído para a reunião e a organização dos dados disponíveis sobre as transformações ocorridas no Brasil, a Missão Cooke promoveu uma reflexão em conjunto sobre a economia brasileira e seus problemas. Sua atuação efetiva, no entanto, limitou-se a um diagnóstico, não resultando em nenhum projeto concreto de aplicação de novas técnicas ao desenvolvimento do país.

Outra conseqüência importante da vinda da Missão Cooke e das que a ela se sucederam foi a introdução da chamada “cooperação internacional”, a partir da qual se desenvolveu o processo de interação de empresários e técnicos brasileiros entre si e com técnicos e empresários norte-americanos.

Vera Calicchio

 

 

FONTES: COOKE, M. Brasil; FRANCO, C. Criação; MARTINS, L. Politique; MISSÃO COOKE. Missão.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados