PARTIDO TRABALHISTA CRISTÃO (PTC)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PARTIDO TRABALHISTA CRISTÃO (PTC)
Nome Completo: PARTIDO TRABALHISTA CRISTÃO (PTC)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
PARTIDO TRABALHISTA CRISTÃO (PTC)

PARTIDO TRABALHISTA CRISTÃO (PTC)

 

Partido político nacional criado em 2000, a partir da mudança de nomenclatura e sigla do Partido da Reconstrução Nacional (PRN), mas que continuou a ser dirigido pelo fundador da legenda anterior, o advogado Daniel Sampaio Tourinho.

Nas eleições de 2002, um total de 161 candidatos disputou os cargos de governador, senador, deputado federal, deputado estadual e deputado federal na legenda do Partido Trabalhista Cristão (PTC), mas a sigla elegeu apenas um deputado estadual no Espírito Santo, o candidato José Tasso Oliveira de Andrade, com 1,6% dos votos. Embora o partido não tenha apresentado candidato próprio às eleições presidenciais, apoiou a candidatura de Anthony Garotinho, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), durante o primeiro turno. Garotinho terminou a disputa em terceiro lugar, sendo superado por Luís Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), e por José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que foram para o segundo turno, com a vitória, afinal, do primeiro. Neste mesmo pleito, o PTC lançou a candidatura de Ciro Moura ao governo de São Paulo, de Abrahão Barbosa Emilio Junior ao do Paraná, de Flávio Renato Lapenda ao de Pernambuco, de Cláudio Pache Anache ao do Mato Grosso do Sul, e de Ricardo Grey de Araújo Lemos ao da Bahia.

 Nas eleições municipais realizadas em 2004, o PTC elegeu dezesseis prefeitos, em sua maioria na Bahia.

No pleito de 2006, o PTC decidiu não apresentar candidato à presidência da República nem oferecer apoio a candidatos de outros partidos. Entretanto, aumentou para 446 o número de candidatos que disputaram na sua legenda os cargos de governador, senador, deputado federal, deputado estadual e deputado distrital. Para os executivos estaduais, o partido lançou as candidaturas de Elpídeo Ribeiro Neves ao governo de Santa Catarina, de Humberto Maurício da Silva ao do Rio Grande do Norte, e de Eder Xavier ao de São Paulo, mas nenhum deles obteve êxito. Para o cargo de deputado federal, elegeu, pelo estado de São Paulo, o estilista e apresentador de TV Clodovil Hernandes, que obteve a terceira maior votação em todo o país, com um total de 493 mil votos. Os votos recebidos por Clodovil possibilitaram ainda que o PTC elegesse, pelo estado de São Paulo, o candidato Jairo Paes de Lira, que individualmente havia recebido apenas 6.673 votos. Além deles, o PTC elegeu para a Câmara a candidata Angela Portela, por Roraima. Novamente, o partido não conseguiu eleger nenhum dos seus representantes a uma vaga no Senado Federal.  Foram eleitos ainda pela legenda quatro deputados estaduais, quase todos em Minas Gerais.

Nas eleições de 2008, o PTC lançou novamente a candidatura de Ciro Moura, então vice-presidente nacional da legenda, à prefeitura da cidade de São Paulo, mas não obteve êxito, recebendo apenas 0,06% dos votos válidos. Além da capital paulista, o partido lançou também candidatos a outras 87 prefeituras, entre as quais as de Fortaleza, Natal e Porto Velho. Não elegeu seus candidatos nestas capitais, mas lançou 88 candidatos a prefeitos em diversos municípios do país, tendo logrado êxito com 13 destes, que foram eleitos.

Em 2010, o partido não disputou nenhum cargo executivo, tendo apoiado a candidatura à presidência da República de Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Lançou candidatos ao Senado Federal em São Paulo e Rio Grande do Sul, estados nos quais, respectivamente, Ciro Moura e Roberto Gross, não lograram êxito.  Para a Câmara dos Deputados, o partido registrou 244 candidaturas em variados estados, tendo conquistado uma cadeira pelo Maranhão, onde o candidato Edivaldo Holanda Junior recebeu mais de 100 mil votos, Foram eleitos ainda pela legenda sete deputados estaduais e um distrital.

O representante do PTC no Legislativo Federal manteve-se alinhado aos posicionamentos do governo federal na maior parte das votações de destaque no período, tal qual a política de valorização do salário mínimo, discutida em Fevereiro de 2011, e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 061/11), referente à possibilidade de desvinculação de receitas da União. Em 2012, porém, o deputado da legenda, Edivaldo Holanda Junior, licenciou-se do cargo para concorrer nas eleições de Outubro.

Na ocasião do pleito, disputou a prefeitura de São Luís, para a qual foi eleito em segundo turno, quando recebeu 280 mil votos e derrotou o candidato do PSDB. Tornou-se, assim, o primeiro representante do PTC na prefeitura de uma capital. Nestas eleições municipais de 2012, o partido elegeu também um total de 18 prefeitos, cinco a mais que no pleito de quatro anos antes.

Em Junho de 2014, após convenção nacional realizada na capital baiana, contando com aprovação unânime da executiva do PTC, o partido decidiu pelo apoio à pré-candidatura oposicionista do senador tucano Aécio Neves à Presidência da República, em coligação que seria composta por outros oito partidos e denominada Muda Brasil. O PTC lançou ainda, nas eleições de Outubro do mesmo ano, candidaturas próprias para o executivo estadual de Alagoas e Paraná, onde, respectivamente, Jonathans Albuquerque e Tulio Bandeira, postularam os cargos de governador. Nos mesmos estados, somados a Amapá e Paraíba, o PTC também lançou candidatos ao Senado Federal. Em nenhum destes casos citados, entretanto, o partido obteve êxito, diferentemente dos tentos por cargos legislativos, para os quais foram eleitos dez deputados estaduais, um distrital, além de dois parlamentares eleitos para a Câmara dos Deputados: os debutantes Uldurico Junior, pela Bahia, e Brunny, por Minas Gerais.

 

 

 

 

FONTE: PORTAL DO PTC.  Disponível em: <http://www.ptc36nacional.com.br/>. Acesso em: 18/12/2009. Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://www.g1.globo.com/politica/>. Acesso em 28/11/2014; Portal UOL Eleições. Disponível em: <http://www.eleicoes.uol.com.br/>. Acesso em 28/11/2014. Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 28/11/2014.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados