TRIBUNA POPULAR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TRIBUNA POPULAR
Nome Completo: TRIBUNA POPULAR

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
TRIBUNA POPULAR

TRIBUNA POPULAR

 

Jornal carioca diário, criado em 22 de maio de 1945 e fechado em dezembro de 1947, vinculado ao Partido Comunista Brasileiro (PCB).

Com a decretação da anistia por Getúlio Vargas, em abril de 1945, e a legalização do Partido Comunista nesse mesmo ano, os antigos militantes comunistas puderam voltar a atuar. Surgiu assim a necessidade de um órgão de imprensa que servisse de instrumento para ampliar a ação do partido. Dentro desse quadro, ocorreu a fundação da Tribuna Popular. Segundo Paulo Mota Lima, embora tivesse vinculações com o PCB, o novo jornal não era seu órgão oficial, pretendendo, antes, ser um jornal de massa.

Da direção coletiva da Tribuna Popular faziam parte Pedro Mota Lima, Álvaro Moreira, Aidano do Couto Ferraz, Dalcídio Jurandir e Carlos Drummond de Andrade. A equipe do jornal era integrada tanto por comunistas como por não-comunistas.

Além de participar de campanhas em que se envolveu toda a imprensa do país, a Tribuna Popular caracterizou-se pela defesa constante do trabalhador em sua luta contra os empregadores, posição essa que lhe valeu grande popularidade. Logo nos primeiros meses de vida, o jornal manteve uma periodicidade diária, chegando a atingir, segundo Aidano do Couto Ferraz, uma tiragem de 123 mil exemplares.

Por outro lado, a abertura política trazida com o fim do Estado Novo apresentava muitas limitações. Ainda no ano de 1945, a redação da Tribuna Popular foi invadida e depredada, passando o jornal a sofrer perseguições permanentes e a ter sua existência constantemente ameaçada.

A relativa autonomia de que gozava a Tribuna Popular com relação ao PCB não significava, ainda segundo o depoimento de Aidano do Couto Ferraz, que as interferências da direção do partido estivessem eliminadas. Na verdade, era a cúpula partidária que definia a linha política do jornal, o que muitas vezes acarretava um tratamento sectário dos temas.

Ainda assim, a Tribuna Popular desempenhou um papel extremamente importante, engajando-se em inúmeras campanhas de interesse popular. Seu primeiro grande desempenho centrou-se na luta pela convocação da Constituinte de 1945 e na campanha em favor dos candidatos comunistas ou a eles aliados para os pleitos que se aproximavam. Nesse mesmo ano, o jornal defendeu vigorosamente a candidatura de Iedo Fiúza à presidência da República, rechaçando as acusações de Carlos Lacerda e combatendo os candidatos Eurico Gaspar Dutra e Eduardo Gomes. Em janeiro de 1947, em virtude da aliança realizada entre o Partido Social Progressista (PSP) e o PCB, o jornal defendeu a candidatura de Ademar de Barros para o governo de São Paulo.

A Tribuna Popular marcou ainda sua atuação criticando a ocupação de bases militares brasileiras por norte-americanos, combatendo o rompimento das relações diplomáticas entre o Brasil e a União Soviética, denunciando as torturas praticadas durante o Estado Novo e pregando a necessidade de punição dos culpados.

O fechamento do regime, que resultou na cassação, em 7 de maio de 1947, do registro do PCB, e, em janeiro de 1948, do mandato de seus representantes, tornava cada vez mais difícil a existência do jornal, que por sua vez combatia as investidas repressoras do governo. Essa situação conduziu finalmente à sua suspensão, ocorrida no mês de dezembro de 1947.

Marieta de Morais Ferreira

 

 

FONTES: ENTREV. FERRAZ, A.; LIMA, P. Dossiê.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados