Fernando Henrique Cardoso IV

Entrevista

Fernando Henrique Cardoso IV

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Celso Castro
Data: 19/10/2011
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 2h8min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Fernando Henrique Cardoso
Nascimento: 18/6/1931; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Livre docente em Sociologia, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo - USP (1963) e catedrático de Ciência Política pela mesma faculdade (1968).
Atividade: Foi presidente da República por dois mandatos consecutivos (1995-2002). No momento da entrevista é presidente do Instituto Fernando Henrique Cardoso, presidente do painel de personalidades ilustres sobre a revitalização da Unctad (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), membro da comissão de alto nível das nações unidas para o empoderamento legal dos pobres, professor at large da Universidade de Brown, Providence, RI, e professor visitante na Universidade de Southern Califórnia, Los Angeles, EUA.

Equipe


Transcrição: Soraya de Oliveira Ferreira Rangel;

Conferência da transcrição: Gabriela Mayall;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Sumário: Ítalo Rocha Viana;

Temas

América Latina;
Arquivos pessoais;
Ato Institucional, 5 (1968);
Carreira acadêmica;
Centro Brasileiro de Análise e Planejamento;
Chile;
Ciências Sociais;
Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe;
Desigualdade social;
Economia;
Eleições;
Empresariado;
Família;
Fernando Henrique Cardoso;
Florestan Fernandes;
França;
Fundação Ford;
Golpe de 1964;
História econômica;
Instituto Superior de Estudos Brasileiros;
Jean Paul Sartre;
Liderança política;
Literatura;
Magistério;
Marxismo;
Negros;
Participação política;
Pesquisa científica e tecnológica;
Política;
Portugal;
Presidência da República;
Regime militar;
Senado Federal;
Sérgio Buarque de Hollanda;
Sociologia;
Teoria da Dependência;
Teoria econômica;
Ulysses Guimarães;
Universidade de São Paulo;

Sumário

Entrevista: 19.10.2011

Origem familiar; participação política de seus familiares; motivos pelos quais escolheu o curso de Ciências Sociais; observações sobre a faculdade de Ciências Sociais; influência da literatura nordestina, europeia e americana; referências iniciais na Sociologia: Florestan Fernandes, Roger Bastide e Antônio Cândido; influência de Florestan Fernandes; comentários sobre a pesquisa sobre os negros em São Paulo; a ida para a Sociologia: reação de seu pai e a hesitação na escolha entre Ciências Sociais e Economia; influência do professor Paul Hugon; a passagem pela Faculdade de Economia; comentários a respeito de Florestan Fernandes: funcionalista e empirista; a experiência como docente de História Econômica na USP; lembranças acerca do período em que atuou como auxiliar de ensino de Roger Bastide; o perfil de Roger Bastide como professor; a atuação como primeiro assistente de Florestan Fernandes; o perfil intelectual de Florestan Fernandes; comentários sobre a sua formação teórica as leituras e a influência de Karl Marx; a tese de doutoramento Capitalismo e escravidão no Brasil meridional; introdução da leitura acadêmica de Marx na faculdade; crítica à vulgarização do marxismo; impressões sobre a vinda de Sartre e Simone de Beauvoir ao Brasil; a tradução das conferências de Sartre e Simone de Beauvoir; a vinda de Georges Friedmann a São Paulo; a criação do Centro de Sociologia Industrial e do Trabalho (Cesit); a nomeação para diretor do Cesit; a relação com Alain Touraine; o “ecletismo teórico” da obra do entrevistado, na visão de Roger Bastide; as questões teóricas e políticas nas vésperas do golpe de 1964; o caráter “provinciano” das ciências sociais na USP; as diferenças com o Instituto Superior de Estudos Brasileiros (Iseb) ; a pesquisa sobre o empresariado; a elaboração da Teoria da Dependência; a ida para o Chile; críticas a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal); a construção da Teoria da Dependência; observações sobre Raul Prebisch; reflexões sobre a análise histórico-estrutural do centro e da periferia; esclarecimentos sobre a publicação e recepção de seu livro: Dependência de Desenvolvimento; comentários sobre a Teoria da Dependência hoje; a permanência da desigualdade; a nova assimetria no mundo; a originalidade da teoria; atualização de estruturas e conceitos; a diferença da recepção da teoria da dependência no Brasil e no restante da América Latina; comentários acerca da atuação da intelectualidade no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap); o contato com Michel Foucault; maio de 68 e o retorno ao Brasil; a ida para a França; a saída da Cepal e a aversão a burocracias; comentários sobre os protestos ocorridos na Universidade de Nanterre em 68: a revolução existencial e as formas de mudanças no mundo contemporâneo; a ida para a Ciência Política na USP; a estruturação do Cebrap e o apoio da Fundação Ford; conexões com outras instituições; o ofício de professor, cientista social e político; diferenças entre ser professor e pesquisador; diálogos entre a ciência e a política; a ida para a política; o contato com Ulysses Guimarães; as eleições de 1974; a candidatura ao senado; reflexões sobre a política e as ciências sociais; distintas vocações e práticas; diferenças entre o parlamento e a presidência; a importância de Max Weber; a falta de lideranças no cenário político; comentário a respeito dos principais autores que influenciaram sua formação: Karl Marx, Max Weber, Tocqueville e Sérgio Buarque de Hollanda; relações com Portugal; a literatura africana; perfil de Ruth Cardoso: vocação de professora, estudos pioneiros, atuação política, personalidade singular; breve explicação sobre o Centro Ruth Cardoso; informações sobre o Instituto Fernando Henrique Cardoso: acervo presidencial, programa destinado a jovens estudantes, debates políticos, redes sociais; o caráter de Fundação.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados