João Freire

Entrevista

João Freire

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Maria das Dores Guerreiro
Antonio Firmino da Costa
Data: 14/5/2010
Local(ais):
Lisboa ; PT ; Portugal

Duração: 2h21min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: João Freire
Formação: Graduação em Ciências Políticas e Sociais pelo Institut d'Études Politiques da Universidade de Paris (1971); Doutorado em Sociologia do Trabalho pela Universidade Técnica de Lisboa (ISCTE) em 1988.
Atividade: Docente de Sociologia do Trabalho no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) desde 1975 até 2003. Foi presidente do Departamento de Sociologia de 1994 a 1995 e presidente do Conselho Científico do ISCTE de 1996 a 2000.

Equipe


Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Conferência da transcrição: Carlos Subuhana ;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Thais Blank;

Temas

Assuntos familiares;
Assuntos pessoais;
Atividade acadêmica;
Atividade científica;
Atividade profissional;
Escola Naval;
Esportes;
Formação acadêmica;
Formação escolar;
Formação profissional;
História;
Marinha;
Organização de arquivos;
Portugal;
Produção intelectual;
Sociologia;

Sumário

Entrevista: 14.05.2010
Arquivo em áudio 1: As Origens familiares; o livro de memórias, escrito pelo entrevistado: Pessoa comum no seu tempo. Memórias de um médio burguês de Lisboa na segunda metade do século XX; as atividades profissionais seguidas na família do entrevistado; a escola primária em Lisboa; o ingresso no Colégio Militar; o ambiente familiar; comentários acerca das relações políticas do pai; lembranças e análise dos anos de internato; a decisão pela carreira militar na marinha; a entrada na Escola Naval em 1960; o falecimento do pai em missão na Angola; a permanência em Moçambique, pela marinha; a insatisfação com o autoritarismo da marinha e a deserção do entrevistado; a reação da família e da instituição; a chegada, do entrevistado à Paris, em abril de 1968; a influência de maio de 68 na vida do entrevistado; a escolha pelas ciências sociais; a decisão de entrar na SciencesPo; a importância do professor Henri Mendras em sua formação; a influência intelectual e cultural francesa, para os portugueses; o contato com intelectuais portugueses exilados na França, como Maria Lamas e Manuel Villaverde Cabral; o envolvimento com grupos de discussão política durante o período da universidade; o trabalho como operário na fabrica da Renault; a conclusão da universidade; o envolvimento em greves; menção ao encontro com sua futura esposa, sua mudança para a França, o casamento; o trabalho como pintor de carros; a saída da Renault; o regresso para Portugal depois do 25 de abril; a trajetória acadêmica do entrevistado (primeira parte): a chegada a Portugal em 1975; o professor Manuel Villaverde Cabral apresenta o entrevistado ao ISCTE (Instituto Universitário de Lisboa); a contratação pelo ISCTE; a primeira disciplina lecionada pelo entrevistado, sociologia do trabalho; a colaboração em outros cursos e universidades; menção à fundação do CIES (Centro de Investigação e Estudos da Sociologia); a organização de um arquivo histórico sobre trabalho industrial, e sindicalismo; a trajetória acadêmica (segunda parte); as diferentes áreas dos cursos do ISCTE; a reestruturação da parte pedagógica da sociologia do trabalho desenvolvida pelo entrevistado; a participação no Conselho Científico; o trabalho como bibliotecário; a ocupação do cargo de Presidente do Conselho Científico pelo entrevistado; comentários acerca do processo seletivo para novos docentes do ISCTE; balanço sobre as principais contribuições intelectuais do entrevistado; o pluralismo teórico como característica do ISCTE; breve comparação entre ISCTE e a Sociologia da Universidade de Coimbra, tendo uma figura central como Boaventura de Sousa Santos; a importância do interesse pela história nos trabalhos do entrevistado; comentários sobre as principais publicações e estudos na área da sociologia do trabalho; a estadia de seis meses no Canadá, enquanto professor visitante; os estudos na área da antropologia do trabalho, com o retorno do interesse pela marinha, agora como objeto de estudo; a aproximação à sociologia das profissões; caminhos para o futuro das ciências sociais; comentários acerca do livro Economia e sociedade, de autoria do entrevistado; a atual formação no ISCTE; a pouca relação com os outros países de língua portuguesa; a maior proximidade com a Inglaterra, os Estados Unidos e o Canadá; a importância do hábito de leitura desde cedo; o aprendizado com os militantes das gerações anteriores; menção à influência do catolicismo em sua vida, no contexto do Concílio Vaticano II; a influência do livro O drama de Jean Barois de Roger Martin Du Gard.

Arquivo em áudio 2: a apresentação de uma petição liderada pelo entrevistado durante a revisão constitucional de 1981; a fundação da Anistia Internacional em Portugal; Comentários acerca da prática da esgrima; as viagens pelo mundo através do esporte; a participação em campeonatos; menção à obtenção do terceiro lugar no Campeonato Nacional de Veteranos em 2010; comentários acerca da história da esgrima; a relação entre ética e esporte; o casamento e o nascimento do único filho.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados