José Maria Rodrigues Alves

Entrevista

José Maria Rodrigues Alves

Entrevista realizada no contexto do projeto “Futebol, Memória e Patrimônio: projeto de constituição de um acervo de entrevistas em História Oral”, desenvolvido entre dezembro de 2010 e dezembro de 2012, em convênio com o Museu do Futebol e com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O projeto tem como objetivos a constituição de um banco de depoimentos (registrados em áudio e vídeo), além da produção de um DVD a partir do material gravado com jogadores de futebol que participaram da seleção brasileira entre 1954 e 2010. Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Fernando Henrique Neves Herculiani
Celso Dario Unzelte
Data: 16/12/2001
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 2h41min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: José Maria Rodrigues Alves
Nascimento: 18/5/1949; Botucatu; SP; Brasil;

Formação:
Atividade: Atuou como lateral direito nos seguintes clubes de futebol: Ferroviária de Botucatu (1967), Portuguesa(1967-1970), Corinthians(1970-1982) e Internacional de Limeira (1983); Seleção brasileira (1968-1978); em 1974 foi titular na Copa da Alemanha, pelo Corinthians esteve presente em dois momentos emblemáticos do clube: a “invasão corintiana” ao Maracanã em 1976 e a final do Campeonato Paulista contra a Ponte Preta em 1977 que tirou a equipe da fila de títulos; na década de 1980 participou da Democracia Corintiana e em 1983 foi eleito pelos demais jogadores do Corinthians como o treinador da equipe para o Campeonato brasileiro daquele ano; em setembro faria sua última partida como jogador do alvinegro e encerrou sua carreira com uma rápida passagem pela Internacional de Limeira; atualmente presta serviços para a Fundação Casa, além de fazer supervisão e coordenação de esportes com jovens por todo o estado de São Paulo.

Equipe

Levantamento de dados: Fernando Henrique Neves Herculiani;Theo Di Pierro Ortega;Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro;Bernardo Borges Buarque de Hollanda;Daniela Alfonsi;Clarissa Batalha da Silva Alves;Bruno Romano Rodrigues;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Fernando Henrique Neves Herculiani;Theo Di Pierro Ortega;Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro;Bernardo Borges Buarque de Hollanda;Daniela Alfonsi;Clarissa Batalha da Silva Alves;Bruno Romano Rodrigues;

Transcrição: Jonas Dias da Conceição;

Conferência da transcrição: Thomas Dreux Miranda Fernandes ;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Temas

Argentina;
Atividade profissional;
Brasil;
Carlos Alberto Torres;
Club de Regatas Vasco da Gama;
Copa do Mundo;
Discriminação racial;
Família;
Formação profissional;
João Saldanha;
Mario Jorge Lobo Zagallo;
Política;
Rio de Janeiro (cidade);
São Paulo;
Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira;
Trajetória política;

Sumário

Entrevista: 16/12/2011

Origens familiares e a aproximação com o futebol; admiração do pai pelo Sport Club Corinthians; atividades dos pais; hábito de frequentar campos de futebol; carreira do pai no futebol de várzea; contato com o futebol pelo rádio; deslocamento até a escola; curso técnico na Escola Industrial; dificuldades financeiras; iniciação no time da Fazenda do Lajeado; a ida para o infantil da Associação Atlética Ferroviária; ascensão para o juvenil e disputa do amador em 1965; disputa pela primeira divisão em 1966; empréstimo para a Associação Portuguesa de Desportos; compra do passe pela Portuguesa; preferência pelo ataque no início da carreira; descoberta da posição de lateral direito no Ferroviária; inspiração em Djalma Santos; o acompanhamento da Copa do Mundo na juventude; conversas sobre futebol entre os familiares; a experiência de jogar contra José Ribamar de Oliveira (Canhoteiro); o primeiro contrato no Ferroviária; a adaptação com a cidade de São Paulo; os colegas de time da Portuguesa; o processo de transferência para o Corinthians; a convocação para a Seleção Brasileira em 1968; o jogo de despedida de Djalma Santos da Seleção Brasileira; a postura dos jogadores perante a Seleção Brasileira; o acompanhamento dos treinadores em relação aos jogadores na Seleção Brasileira; a posição de reserva na Copa do Mundo de 1970; o empréstimo ao Clube de Regatas Vasco da Gama em 1968; a experiência de morar no Rio de Janeiro; excursões realizadas pela Portuguesa; a atuação de João Saldanha como técnico; a substituição de Saldanha por Mário Zagallo; as mudanças na Seleção Brasileira com a atuação de Zagallo; as possibilidades de atuação na Copa de 1970;a preparação física para a Copa de 1970; a especificidade da preparação para a altitude na Copa de 1970; a receptividade dos mexicanos com a Seleção Brasileira em 1970; o acompanhamento dos jogos nos camarotes dos estádios; a recepção da Seleção Brasileira pela torcida e pelo presidente no Brasil; a relação com Carlos Alberto Torres, titular da Copa de 1970; participações importantes na Copa do Mundo de 1974; o clima heterogêneo da Seleção Brasileira na Copa de 1974; jogo marcante contra a Seleção Argentina em sua atuação na Copa de 1974;a dificuldade dos jogos na primeira fase da Copa de 1974; divergências nas escalações de titulares para a Copa de 1974; a atuação defensiva da Seleção Brasileira na Copa de 1974 e a mudança da prática futebolística brasileira; as divergências entre jogadores do Rio de Janeiro e de São Paulo na Copa de 1974; a briga entre Marinho Chagas e Emerson Leão na Copa de 1974; a convocação para a Seleção Brasileira da Copa de 1978; o afastamento da Copa de 1978 por contusões; consequências das contusões para a carreira; avaliações dos treinadores nas diferentes participações nas Copas do Mundo; a passagem pela Associação Atlética Internacional, em Limeira, São Paulo; o fim da carreira; a transferência da Portuguesa para o Corinthians mediada por seu pai; a relação de seu pai com o Corinthians; a relação do pai com sua carreira no futebol; a final do Campeonato Paulista de Futebol de 1974; o clima desfavorável no time do Corinthians no Campeonato Paulista de 1974; o episódio conhecido como a “invasão corintiana ao Maracanã” no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1976;a atuação enquanto capitão do time do Corinthians no Campeonato Paulista de Futebol de 1977; a conquista do Campeonato Paulista de 1977; a “democracia corintiana” a partir de 1978; a politização do movimento da “democracia corintiana”; o jogo contra a Associação Atlética Ponte Preta no Campeonato Paulista de Futebol de 1979;a figura de Sócrates Brasileiro Sampaio no futebol praticado pelo Corinthians; a ressignificação da figura do atleta futebolista apregoada por Sócrates; o amadurecimento do time do Corinthians; a carreira política como vereador; o convite para ser vereador; decepções enquanto político; o engajamento político nos anos de 1970; aprendizados na carreira política; o preconceito racial ao longo de sua vida e carreira; o treinamento da sucessão da posição de capitão do time do Corinthians; o caminho até o fim da carreira futebolística; o convite para trabalhar na Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA); os projetos desenvolvidos pela Fundação CASA; percepções acerca do futebol na atualidade; a melhora técnica do futebol atual; a mudança nas funções dos atacantes na atualidade; considerações a respeito da Copa de 2014 a ser realizada no Brasil; o legado que a Copa do Mundo de 2014 poderá deixar para os brasileiros.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados