Leôncio Martins Rodrigues Netto

Entrevista

Leôncio Martins Rodrigues Netto

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O projeto teve vigência de dois anos (2008/2009). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Karina Kuschnir
Data: 30/10/2008 a 20/10/2011
Local(ais):
Caxambu ; MG ; Brasil

Duração: 3h34min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Leôncio Martins Rodrigues Netto
Nascimento: 21/1/1934; São Paulo; SP; Brasil;

Formação: Bacharel e licenciado pelo curso de Ciências Sociais da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, possui mestrado, doutorado e livre-docência em Sociologia e adjunção e titulação em Ciência Política pela Universidade de São Paulo.
Atividade: Desde 2005, é membro da Academia Brasileira de Ciências. Atualmente é professor titular aposentado do Departamento de Ciência Política da Universidade Estadual de Campinas. Na área de sociologia pesquisou principalmente sindicalismo, classes trabalhadoras e relações de trabalho. Mais recentemente, na área de ciência política, estudou partidos políticos, eleições e classe política, mais especificamente, as fontes sociais de recrutamento partidário. No momento em que concedeu a entrevista estava trabalhando numa pesquisa sobre o senado federal.

Equipe

Levantamento de dados: Helena Maria Bousquet Bomeny;Karina Kuschnir;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Helena Maria Bousquet Bomeny;Karina Kuschnir;

Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;Jonas Dias da Conceição;

Conferência da transcrição: Juliana Athayde Silva de Morais;Gabriela Mayall;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Sumário: Ítalo Rocha Viana;Sérgio Pereira de Faria Junior;

Temas

Antropologia;
Assuntos familiares;
Câmara dos Deputados;
Campanha eleitoral;
Ciência política;
Ciências Sociais;
Classe operária;
Classes sociais;
Democracia;
Direita;
Ensino superior;
Esquerda;
Fernando Henrique Cardoso;
Florestan Fernandes;
Governos militares (1964-1985);
História de vida;
Ideologia;
Intelectuais;
Intercâmbio cultural;
Jânio Quadros;
Jornal O Estado de São Paulo;
Marxismo;
Militância política;
Movimento estudantil;
Movimento sindical;
Obras de referência;
Participação política;
Partidos políticos;
Política;
Política partidária;
Pós - graduação;
Reforma Universitária de 1968;
Ruth Corrêa Leite Cardoso;
São Paulo;
Sindicalismo;
Sistema político;
Sociologia;

Sumário

1ª Entrevista: 30.10.2008

Origens; história familiar; a ligação com São Paulo; a experiência em Assis; a ida para Santos; influência familiar; as primeiras leituras: lembrança acerca do gosto pelos livros da Coleção Terra, Mar e Ar, destacando os do autor Karl May; a tentativa de ingresso no Colégio Militar; a volta para São Paulo; o trabalho no escritório de advocacia; o interesse pela política; o ingresso no Partido Socialista por influência do tio José Calazans; menção às eleições de 1950; o contato com o trotskismo; a adesão ao Partido Socialista Revolucionário; a criação do Partido Operário Revolucionário (POR); a ruptura com o trotskismo; o contato com Fernando Henrique e Ruth Cardoso; o colégio Fernão Dias Paes; o emprego na Secretaria do Trabalho; o interesse pelo Centro de Estudos da Mão-de-Obra; comentários sobre o desempenho escolar; as boas relações como aluno de Ruth e Fernando Henrique Cardoso; a escolha pelas Ciências Sociais; o percurso até a entrada na universidade; o ingresso no curso normal; a participação no IV Congresso da IV Internacional; idas e vindas do curso normal; o ingresso na universidade; menção à produção intelectual de sua mulher, Arakcy Martins Rodrigues; traduções na Difusão Européia do Livro; o aprendizado da língua francesa; a experiência como auxiliar de pesquisa no Centro de Sociologia Industrial e do Trabalho (Cesit); o trabalho no jornal O Estado de São Paulo; comentários sobre o Cesit; a oferta para a cadeira de Sociologia I, chefiada por Florestan Fernandes; a pesquisa do Cesit e o mestrado; o mundo do trabalho como objeto de pesquisa; a pesquisa na montadora de automóveis Willys-Overland para o doutorado; a influência de Juarez Brandão Lopes; observações sobre a orientação de Florestan Fernandes; as conclusões e a avaliação da tese; recordações da militância política; a eleição de Jânio Quadros para prefeito de São Paulo, em 1952; a criação da União Operária Popular (UOP); a descrença no proletariado revolucionário; comentários sobre seu livro Sindicalismo e conflito industrial no Brasil; repressão e cassações durante a ditadura militar; a pesquisa na Argentina, juntamente com Fernando Henrique Cardoso; menção ao exílio de Fernando Henrique Cardoso no Chile; a recusa de um cargo no Instituto Latino-Americano de Planejamento Econômico e Social (Ilpes) por Fernando Henrique; as disputas pelas cátedras de Sociologia I, II e Ciência Política; a criação do Cebrap; a coordenação do Cesit; concepção sobre o modelo de universidade; o impacto da reforma de 1968 na estrutura acadêmica e intelectual; implicações e consequências dos modelos de cátedra e departamento; referenciais teóricos: "o Manifesto Comunista", "O 18 Brumário", "A revolução traída", "As regras do método sociológico", "As classes e seus conflitos na sociedade industrial", "Dezoito lições sobre a sociedade industrial" e "Modelos de partido"; a ida para a Ciência Política; o interesse pela política; os textos para a "História da civilização brasileira"; a escrita do texto "Quem é quem na Constituinte"; a referência à sua última obra sobre o sindicalismo: o "Destino do sindicalismo"; a diferença entre ser pesquisador no primeiro e no terceiro mundo; conflitos nas cadeiras de Sociologia e Antropologia; Fernando Henrique e Ruth Cardoso como referências; opinião sobre o Grupo d’O Capital; o intelectual e o poder: a relação com o governo FHC ; o cargo na OIT (Organização Internacional do Trabalho) durante o governo FHC; o trabalho no Conselho Deliberativo do CNPq; o prazer pela pesquisa; a aversão ao poder; comentários sobre o "Mudanças na classe política brasileira".

2ª Entrevista: 20.10.2011

A mudança de objeto de pesquisa; o estudo sobre os dirigentes de partidos políticos; a análise da câmara de deputados e seus integrantes; o recrutamento realizado pelos partidos políticos; as lideranças sindicais e a participação na política partidária; os segmentos sociais e os partidos políticos; a correlação entre a atuação política e o patrimônio pessoal; possibilidades e formas de entrada no campo político: sindicatos e movimentos estudantis; a correlação entre as fontes de recrutamento dos partidos e a posição ideológica; a postura ideológica e as legendas partidárias: esquerda, centro e direita; a “popularização” da classe política; a descaracterização de partidos; consequências da democratização da participação do eleitorado; o financiamento de campanhas; a relação entre o sistema político e o econômico; resultados do estudo sobre sindicatos; os estudos de política e os cursos de pós-graduação; considerações gerais sobre a política hoje; os cursos de Ciências Sociais e as múltiplas formações; a crise do marxismo e o retorno da técnica e dos métodos de pesquisa; a produção brasileira em Ciências Sociais; as influências intelectuais e o intercâmbio de experiências acadêmicas; autores que influenciaram a carreira; a politização dos estudantes; a contribuição da pesquisa no campo político para a Sociologia; os dirigentes sindicais e suas atuações no cenário político atual; o sindicalismo do setor público; a automação do setor produtivo e a mudança do sindicalismo deste campo.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados