Luis Octavio da Motta Veiga

Entrevista

Luis Octavio da Motta Veiga

Entrevista realizada no contexto do projeto “História Oral da Comissão de Valores Mobiliários”, desenvolvido pela FGV Direito Rio, com o acompanhamento e em parceria com o CPDOC e financiamento da Presidência da FGV, entre junho de 2017 e outubro de 2018, com o objetivo de construir um acervo audiovisual de entrevistas sobre a fundação da instituição e seu funcionamento nos primeiros anos.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Izabel Saenger Nuñez
Paulo Augusto Franco de Alcântara
Data: 26/1/2018
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h27min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Luis Octavio da Motta Veiga
Formação: Graduação em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1975; graduação em administração tributária na Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), em 1976; pós-graduação em Direito pela Universidade de Londres (1978-1979); especializou-se no Instituto Internacional de Administração Pública, em Paris (1980).
Atividade: Advogado da Price Water House até 1976; advogado da Shell, em 1978; superintendente jurídico da Anglo-American Corporation do Brasil, em 1980; assessor do grupo BBM – Banco da Bahia de Investimentos e Bahia Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários (1981); membro do Conselho Monetário Nacional (1986); presidente da Comissão de Valores Mobiliários (1986); presidente da Petrobrás, substituindo Carlos Santana (1990); vice-presidente da Rayner Coffee International, em Londres (1990-1993); diretor-presidente do Jornal do Brasil (1993-1994), sócio do escritório de advocacia Carvalhosa, Eizirik e Mota Veiga (a partir de 1994).

Equipe

Levantamento de dados: Clara Leitão de Almeida;Yasmin Curzi;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Clara Leitão de Almeida;Yasmin Curzi;

Transcrição: Gabriela Franco Duarte;

Conferência da transcrição: Yasmin Curzi;

Técnico Gravação: Ninna Carneiro;

Temas

Advocacia;
Assuntos familiares;
Atividade profissional;
Banco Central do Brasil;
Banco da Bahia;
Colégio Militar do Rio de Janeiro;
Crimes econômicos;
Dílson Funaro;
Direito;
Economia;
Empresariado;
Empresas Nucleares Brasileiras S.A.;
Faculdade Nacional de Direito;
Família;
Formação escolar;
Formação profissional;
Inglaterra;
Luís Carlos Bresser Pereira;
Mercado financeiro;
Ministério da Fazenda;
Petrobras;
Pós - graduação;

Sumário

Entrevista: 26 de janeiro de 2018

Apresentação e Origens familiares; Nascimento no Rio de Janeiro e ida para a França; Trajetória escolar no Colégio Militar e no Andrews; a escolha pelo Direito e pela Faculdade Nacional de Direito; História da família e formação de seus pais; Prisão política de seu irmão na ditadura; Família de advogados; Trajetória profissional: estágio no escritório de seu tio, Marcelo Cunha Monteiro de Carvalho; ida para a Price Water House (PwC); entrada na faculdade de Direito (1969); Memórias da Faculdade de Direito; impressões sobre a Lei das S/A durante o trabalho em escritório; As auditorias e o mundo empresarial; concurso para atuar como advogado na Shell; LLM na London School of Economics na década de 1970; passagem pela Nuclebrás; passagem pelo Banco da Bahia; Visão sobre as instituições e sobre a economia no Brasil; trabalho na Shell e na PricewaterhouseCoopers; Boom da Bolsa, expansão do mercado brasileiro com a promulgação da Lei das S/A e criação da CVM; passagem pelo Comitê de Desenvolvimento do Mercado de Capitais (CODIMEC); Visão sobre o mercado; Participação na elaboração da parte contábil da Lei das S/A; visão sobre a CVM durante o período na PricewaterhouseCoopers; passagem pelo Banco Anglo-Americano; passagem pelo Banco da Bahia e relação com a família Mariani; O convite para a CVM e relação com Dilson Funaro; Relação com Victorio Bhering Cabral; Relação com André Lara Resende e Fernão Bracher; Indicação para a CVM; Relação entre Banco Central e CVM; Presidência da Petrobras; Visão sobre Direito e Economia; Visão sobre a CVM; relação com o Ministério da Fazenda durante a gestão da CVM; a CVM como xerife do mercado; o Caso Cobrasma; impressões sobre os crimes financeiros; Saída de Dilson Funaro do Ministério da Fazenda e a entrada de Bresser Pereira; Presidência da Petrobras; retorno para Anglo-América; Passagem pela Rainier Coffee; Relação com Fernando Collor; Retorno para a advocacia; Ida para Londres; atividade na BTG Pactual; Carreira na arbitragem; Relação com JP Morgan, Visão sobre a CVM hoje.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados