Luiz Antônio Constant Rodrigues da Cunha

Entrevista

Luiz Antônio Constant Rodrigues da Cunha

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Celso Castro
Data: 20/3/2012 a 3/5/2012
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h33min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Luiz Antônio Constant Rodrigues da Cunha
Formação: Graduação em Sociologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1964-1967); Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1970-1972); Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(1977-1980);Pós-Doutorado pela Université Paris Descartes (1992-1993).
Atividade: Professor titular de educação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997-); professor titular da Universidade Federal Fluminense (1983-1994); professor da Universidade Estadual de Campinas (1980-1986); professor pleno da Fundação Getúlio Vargas (1974-1982); professor agregado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1969-1974). Desenvolve pesquisas na área de educação.

Equipe


Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;Jonas Dias da Conceição;

Conferência da transcrição: Gabriela Mayall;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria; Ítalo Rocha Viana;

Sumário: Sérgio Pereira de Faria Junior;

Temas

Ação Popular (1962);
Atividade acadêmica;
Brasil;
Ciências Sociais;
Conselho Nacional de Educação;
Departamento de Ordem Política e Social - DOPS;
Diretórios acadêmicos;
Ditadura;
Educação;
Estatística;
Família;
Física;
Florestan Fernandes;
Fundação Getulio Vargas;
Igrejas evangélicas;
Juventude;
Migração;
Obras de referência;
Participação política;
Partido Comunista do Brasil - PCdoB;
Pesquisa científica e tecnológica;
Política;
Política educacional;
Pontifícia Universidade Católica;
Pós - graduação;
Regime militar;
Religião;
São Paulo;
Sociologia;
União Nacional dos Estudantes;
Universidade Federal do Rio de Janeiro;
Universidade Federal Fluminense;

Sumário

1º Entrevista: 20.03.2012


Origens familiares; origem aristocrática da família paterna; a migração de sua família para São Paulo; contatos com a política na juventude; origens de sua mãe; escolaridade de seus pais; o gosto pela disciplina Física; o encanto com o livro “O Homem: Uma Introdução à Antropologia”, de Ralph Linton; o contato com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP); a escolha por cursar Ciências Sociais; a entrada na FESPSP; professores importantes na FESPSP; a importância dos professores José Pastore e Geraldo Semenzato; orientação política; disputas políticas dentro da universidade; a prisão de Florestan Fernandes pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) de São Paulo; a transferência para a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ); o corpo discente da PUC-RJ em sua época; o contato com o historiador Odylon Nogueira de Matos; professores importantes na PUC-RJ; o contato com o campo de estatística; o encaminhamento para a vida profissional; o ambiente político na PUC-RJ durante o regime militar; a tentativa de reestabelecer a União Nacional dos Estudantes (UNE); a questão dos centros acadêmicos nas universidades; o esvaziamento de representação política nos centros acadêmicos; a seleção para o mestrado na Escola Latino Americana de Sociologia; a carreira em Pesquisa Social; a execução da pesquisa social de campo sobre a Cruzada da Ação Básica Cristã (ABC); o convite para lecionar Métodos e Técnicas de Pesquisa na PUC-RJ em 1969; a atuação na Ação Popular (AP); a saída da AP; a fusão da AP com o Partido Comunista do Brasil (PcdoB); o seu casamento; o mestrado em Planejamento Educacional pela PUC-RJ (1972); a departamentalização das universidades de humanas; a vontade de lecionar o curso de Sociologia da Educação; a tese de mestrado sobre a profissionalização universal e compulsória do ensino no segundo grau; a orientação de Cláudio de Moura Castro; a banca de avaliação do mestrado; o contato com a Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV-RJ) pelo Centro de Estudos e Treinamento em Recursos Humanos (CETRHU); a entrada no Instituto de Estudos Avançados em Educação (IESAE); o doutoramento pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); a ida para a Universidade de Campinas (UNICAMP) para fazer parte do corpo docente; a volta ao Rio de Janeiro para lecionar Sociologia da Educação na Universidade Federal Fluminense (UFF); a continuidade em Pesquisa Social; a interação entre consultoria e atividade acadêmica; a coordenação do Laboratório de Estudos das Universidades (LEU) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); a criação do Observatório da Laicidade do Estado (OLE) na UFRJ; a questão da laicidade do Estado e a educação; relações entre política, educação e laicidade do Estado; o tema do impacto das igrejas evangélicas na laicidade do Estado em seus estudos; as disputas no campo religioso; a atuação no Conselho Nacional de Educação; a orientação de teses e dissertações; a concentração de suas orientações no tema de Socialização Político-Ideológica; a importância dos livros “Educação e Desenvolvimento no Brasil”, de João Roberto Moreira e “Industrialização e Desenvolvimento Social no Brasil”, de Octavio Ianni; a tese de doutorado de Luiz Pereira e o livro “O Estudante e a Transformação da Sociedade Brasileira”, de Marialice Foracchi.

2º entrevista: 03.05.2012

A demanda de países estrangeiros por cientistas sociais brasileiros recém- formados em sua época; o pós-doutorado na França; a escolha pela França para a realização do pós-doutorado; a ocupação da cátedra Sérgio Buarque de Holanda da École Pratique des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) da I’Université Paris-Sorbonne; a experiência em Guiné-Bissau, através da Universidade Cândido Mendes; a missão de formar professores na Guiné-Bissau; o tema da política educacional na Guiné-Bissau; o método Paulo Freire na educação: contradições em sua prática em Guiné-Bissau; a importância da sua experiência na Guiné-Bissau; os contatos importantes realizados na Guiné-Bissau; a necessidade de aproximação acadêmica dos países de língua portuguesa; contatos com intelectuais portugueses; o Observatório da Laicidade do Estado (OLE) e os países de língua portuguesa; referências fundamentais durante sua trajetória; a importância do anexo do livro “Educação e Desenvolvimento no Brasil”, de João Roberto Moreira.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados