Adilson Gomes dos Santos

Entrevista

Adilson Gomes dos Santos

Entrevista realizada no contexto do projeto "EBAPE: 50 anos de história" desenvolvido pelo CPDOC em convênio com a Escola Brasileira de Administração Pública, entre junho de 2001 e março de 2002. O projeto resultou na publicação do livro "A ESCOLA que faz Escola: EBAPE 50 anos, depoimentos ao CPDOC" / Orgs. Helena Bomeny e Marly Motta. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. A escolha do entrevistado se justificou por ter sido aluno da EBAP na segunda metade da década de 60, e por sua participação ativa nos projetos de reforma administrativa da máquina pública nos anos 1970 e 80.
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: BOMENY, Helena; MOTTA Marly (Orgs.). A ESCOLA que faz Escola: EBAP 50 anos, depoimentos ao CPDOC. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 492p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Marly Silva da Motta
Data: 31/10/2001
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h50min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Adilson Gomes dos Santos
Nascimento: 31/5/1941; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Administração pela Ebap-FGV.
Atividade: Consultor.

Equipe

Levantamento de dados: Marly Silva da Motta;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Marly Silva da Motta;

Transcrição: Claudia Peçanha da Trindade;

Conferência da transcrição: André Vianna Dantas;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Administração;
Administração pública;
Anos 1970;
Atividade profissional;
Ciências Sociais;
Correios e Telégrafos;
Empresas estatais;
Empresas privadas;
Haroldo de Matos;
Política;
Pós - graduação;
Regime militar;
Universidade do Estado do Rio de Janeiro;

Sumário

FITA 1-A: primeiras atividades profissionais; a escolha por Administração e pela EBAP em 1967; o trabalho no Banco do Estado da Guanabara (BEG) e a graduação na EBAP; a forte carga de Ciências Sociais do currículo da EBAP: a influência dos professores; as idéias em torno da formação do administrador nos anos 60: generalista x instrumentalista; os anos 70 e a mudança de perspectiva da Escola: Kleber Nascimento na direção; a participação política na Escola no contexto do Regime Militar na segunda metade dos anos 60; o clima político dentro da Escola; a implantação do sistema de créditos e a sobrevivência dos grupos políticos.

FITA 1-B: a implantação do sistema de créditos e a sobrevivência dos grupos políticos (cont.); a primeira experiência em Organização e Métodos, no BEG; o professor Armando Bergamini de Abreu e a experiência do trabalho nos Correios e Telégrafos a partir de [1969]: o trabalho junto a Haroldo Correia de Matos e o processo de modernização administrativa da instituição; a saída dos Correio e Telégrafos em 1972.

FITA 2-A: a saída dos Correio e Telégrafos em 1972 (cont.): outras propostas de emprego e a entrada na CTB por intermédio de Haroldo Correia de Matos, em 1972; a curta experiência na CTB; o trabalho junto ao Grupo Financeiro TAA: a experiência de trabalho numa empresa privada, a saída da empresa e os descaminhos do Grupo; as idéias sobre administração pública após o trabalho numa empresa privada.

FITA 2-B: as idéias sobre administração pública após o trabalho numa empresa privada (cont.); o trabalho para a Companhia Brasileira de Energia Elétrica (CBEE - mais tarde, CERJ), de meados dos anos 70 até 1987: o sentido da administração pública a partir da experiência na área; sobre o fim da graduação na EBAP, no início dos anos 80: os motivos.

FITA 3-A: sobre o fim da graduação na EBAP, no início dos anos 80: os motivos (cont.); o retorno à EBAP, em 1988, para o mestrado e a relação com o trabalho na UERJ: a desistência; percepções sobre a pós-graduação na EBAP; novos comentários sobre o trabalho na UERJ: uma passageira atividade docente; sobre o retorno da graduação na EBAP, em 2002: o modelo de administrador a se formar em função de um novo contexto.

FITA 3-B: sobre o retorno da graduação na EBAP, em 2002: o modelo de administrador a se formar em função de um novo contexto (cont.), a empresa privada, a estatal privatizada e as agências reguladoras e o perfil do administrador moderno.FITA 1-A: primeiras atividades profissionais; a escolha por Administração e pela EBAP em 1967; o trabalho no Banco do Estado da Guanabara (BEG) e a graduação na EBAP; a forte carga de Ciências Sociais do currículo da EBAP: a influência dos professores; as idéias em torno da formação do administrador nos anos 60: generalista x instrumentalista; os anos 70 e a mudança de perspectiva da Escola: Kleber Nascimento na direção; a participação política na Escola no contexto do Regime Militar na segunda metade dos anos 60; o clima político dentro da Escola; a implantação do sistema de créditos e a sobrevivência dos grupos políticos.

FITA 1-B: a implantação do sistema de créditos e a sobrevivência dos grupos políticos (cont.); a primeira experiência em Organização e Métodos, no BEG; o professor Armando Bergamini de Abreu e a experiência do trabalho nos Correios e Telégrafos a partir de [1969]: o trabalho junto a Haroldo Correia de Matos e o processo de modernização administrativa da instituição; a saída dos Correio e Telégrafos em 1972.

FITA 2-A: a saída dos Correio e Telégrafos em 1972 (cont.): outras propostas de emprego e a entrada na CTB por intermédio de Haroldo Correia de Matos, em 1972; a curta experiência na CTB; o trabalho junto ao Grupo Financeiro TAA: a experiência de trabalho numa empresa privada, a saída da empresa e os descaminhos do Grupo; as idéias sobre administração pública após o trabalho numa empresa privada.

FITA 2-B: as idéias sobre administração pública após o trabalho numa empresa privada (cont.); o trabalho para a Companhia Brasileira de Energia Elétrica (CBEE - mais tarde, CERJ), de meados dos anos 70 até 1987: o sentido da administração pública a partir da experiência na área; sobre o fim da graduação na EBAP, no início dos anos 80: os motivos.

FITA 3-A: sobre o fim da graduação na EBAP, no início dos anos 80: os motivos (cont.); o retorno à EBAP, em 1988, para o mestrado e a relação com o trabalho na UERJ: a desistência; percepções sobre a pós-graduação na EBAP; novos comentários sobre o trabalho na UERJ: uma passageira atividade docente; sobre o retorno da graduação na EBAP, em 2002: o modelo de administrador a se formar em função de um novo contexto.

FITA 3-B: sobre o retorno da graduação na EBAP, em 2002: o modelo de administrador a se formar em função de um novo contexto (cont.), a empresa privada, a estatal privatizada e as agências reguladoras e o perfil do administrador moderno.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados