Amália Lucy Geisel

Entrevista

Amália Lucy Geisel

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cidadania cultural e políticas públicas no regime militar”, em convênio com a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) e financiamento do Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex), desde janeiro de 2004. O projeto investe no estudo das relações entre Estado e cultura, pretendendo analisar o modo e os caminhos pelos quais o Estado Brasileiro, particularmente entre as décadas de 1960 e 1980, atuou no campo da cultura, criando, divulgando e incentivando o consumo de bens culturais como forma de inclusão social.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Lúcia Lippi Oliveira
Lia Calabre de Azevedo
Data: 3/3/2005
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h38min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Amália Lucy Geisel
Nascimento: 5/1/1945; Estrela; RS; Brasil;

Formação: Graduação em História na Pontifícia Universidade Católica- PUC (1966).
Atividade:

Equipe


Transcrição: Oswaldo Cordeiro de Farias;

Conferência da transcrição: Julia Alves Pinheiro;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes; Fernando Acar;

Sumário: Julia Alves Pinheiro;

Temas

Afonso Arinos de Melo Franco;
Aloísio Sérgio Barbosa Magalhães;
Amália Geisel;
Anos 1970;
Anos 1980;
Artesanato;
Brasília;
Colégio Pedro II;
Conselho Federal de Cultura;
Conselho Federal de Educação;
Conselho Nacional de Cultura;
Cultura;
Cultura brasileira;
Cultura popular;
Desenvolvimento cultural;
Folclore;
Fundação Nacional de Artes (Funarte);
Fundação Nacional Pró-Memória;
Gilberto Freyre;
Governo Castelo Branco (1964-1967);
Governo Ernesto Geisel (1974-1979);
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN);
Manuel Diégues Júnior;
Ministério da Cultura;
Ministério da Educação;
Ministério da Educação e Cultura;
Nei Braga;
Patrimônio cultural;
Patrimônio documental;
Patrimônio histórico;
Patrimônio público;
Pedro Calmon;
Política cultural;
Políticas públicas;
Preservação e Conservação de Documentos;
Projetos culturais;
Projetos sociais;
Raimundo Muniz de Aragão;
Roberto Daniel Martins Parreira;
Rodrigo Melo Franco de Andrade;
Serviço Nacional de Teatro;

Sumário

Entrevista: 03.03.2005

Arquivo 1: Considerações acerca do movimento da política nacional cultural e a criação Conselho Federal de Cultura; observações a respeito do trabalho com Roberto Parreira; menção às obras publicadas pela linha editorial do Conselho de Cultura e breve observação a respeito do caráter acadêmico da instituição; comentários sobre o projeto de criação dos Conselhos estaduais e municipais de Cultura; considerações acerca dos órgãos de proteção aos patrimônios: a Câmara do Patrimônio do Conselho Federal de Cultura, presidida por Rodrigo Melo Franco de Andrade e a aliança com o IPHAN; breve menção à constituição do Conselho de Cultura, entre eles: Gilberto Freyre, Rachel de Queiroz, Afonso Arinos e Pedro Calmon; comentários a respeito da criação de um plano de metas elaborado pelo Conselho e a rejeição do plano pelo ministro da Agricultura; breve menção à proposta de criação do Ministério da Cultura nas reuniões do Conselho; considerações sobre a reforma administrativa no MEC (1970): a criação do Departamento de Assuntos Culturais (DAC) e do Programa de Ação Cultural (PAC) e a evidência das questões culturais da época; comentários sobre a direção do DAC por Roberto Parreira: a organização dos movimentos culturais e o convite recebido pela entrevistada para atuar no departamento; breve observação acerca da distribuição dos cargos no Departamento de Assuntos Culturais; comentários a respeito da obra “Aspectos da Política Cultural Brasileira, uma Edição do Conselho Federal de Cultura”, documento sobre o aspecto político da cultura apresentado ao Ministro da Educação;
considerações a respeito do desenvolvimento dos planos de ação, metas e difusão da cultura nacional; comentários sobre a Política de Cultura Nacional de Nei Braga após a reformulação da política cultural feita por Afonso Arinos e Roberto Parreira; comentários sobre o Conselho Nacional de Referência Cultural (CNRC): a participação de Aloísio Magalhães e breve menção ao Programa de Cidades Históricas; considerações a respeito da política de Nei Braga frente ao Ministério da Educação e sua atuação voltada para a área cultural; observações acerca da proposta de Roberto Parreira de criação da Funarte; considerações a respeito dos projetos desenvolvidos pela Funarte e o plano nacional de cultura: o Projeto de Bandas e a movimentação do mercado de instrumentos, o Centro de Preservação de Fotografia e o Projeto Espiral, breve menção ao desenvolvimento da Campanha em defesa do folclore que se tornou o Instituto Nacional do Folclore.


Arquivo 2: Considerações acerca da construção do conceito e da identidade do Conselho Nacional de Cultura; a preocupação com a disseminação do folclore brasileiro e a criação da Exposição de Artesanato Folclórico; observações a respeito da abertura para a política popular no período de Nei Braga: a expansão dos projetos culturais; comentários a respeito do declínio da Funarte após os anos 80 e a opinião da entrevistada sobre o ocorrido; observações sobre a saída da Funarte em 1995; a experiência enquanto professora no Colégio Pedro II e sua atuação na área cultural; comentários sobre a relação do Instituto Nacional do Folclore com a Fundação Nacional de Artes (Funarte); breve menção sobre o primeiro contato com o folclore; considerações sobre o desenvolvimento do segundo módulo de pesquisa do Projeto de Artesanato Brasileiro: a criação dos livros de artesanato e o fim do projeto após sua saída.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados