João Luiz Cavalcanti Paschoa de Oliveira

Entrevista

João Luiz Cavalcanti Paschoa de Oliveira

Entrevista realizada no contexto do projeto pessoal do pesquisador Bernardo Buarque de Hollanda intitulado "Torcidas organizadas: criando fontes", que tem como objetivo constituir um banco de entrevistas de história oral acerca das torcidas organizadas nos âmbitos nacional e internacional.
Forma de Consulta:

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Bernardo Buarque de Hollanda
Rosana da Câmara Teixeira
Jimmy Medeiros
Data: 11/1/2011
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: João Luiz Cavalcanti Paschoa de Oliveira
Formação:
Atividade:

Equipe

Levantamento de dados: Bernardo Borges Buarque de Hollanda;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Bernardo Borges Buarque de Hollanda;

Transcrição: Layssa Bauer Von Kulitz;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Sumário: Layssa Bauer Von Kulitz;

Temas

Atividade profissional;
Club de Regatas Vasco da Gama;
Clube de Regatas do Flamengo ;
Esportes;
Esquerda;
Estádio Jornalista Mário Filho (Maracanã);
Eventos e comemorações esportivas;
Família;
Formação acadêmica;
Polícia;
Torcidas de futebol;
Viagens e visitas;
Violência;

Sumário

Entrevista: 11.01.2011

Origens familiares; a graduação em Economia na Pontifícia Universidade Católica (PUC); o contato com o futebol e com o Vasco desde a infância; a vocação para a natação; as travessias realizadas na natação; a primeira ida ao estádio; o ingresso na Força Jovem do Vasco a partir de 1987; lembranças sobre os conflitos entre torcidas; a construção de vínculos com os torcedores da Força Jovem; os roubos realizados nas torcidas; a relação com a torcida do Flamengo; o episódio da “noite das garrafadas” no Maracanã; a integração do grupo de Marechal Hermes na Força Jovem do Vasco; a coincidência da ida aos estádios com a entrada na Força Jovem; a participação em todos os jogos do Campeonato Brasileiro a partir de 1988; a consciência política de esquerda da torcida; a diferente composição social da Força Jovem; a dinâmica das brigas entre as torcidas; lembranças sobre a história das torcidas pelo entrevistado; o crescimento da Força Jovem; o eventual afastamento da torcida organizada; o emprego no Deutsche Bank; o contato com os amigos durante seu afastamento da torcida; as viagens a São Paulo nos jogos do Vasco; a aliança com a torcida do Palmeiras, Mancha Alviverde; as bandeiras da torcida; o retorno do entrevistado à Força Jovem em 2008; as ameaças recebidas pelas torcidas adversárias; os confrontos com a torcida do Flamengo; o aumento da violência entre as torcidas; a eleição para a presidência da Força Jovem; as disputas internas na Força Jovem; a aliança entre as torcidas do Vasco e Botafogo; a reunião da Federação das Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro (Ftorj); as viagens pelo Brasil com a torcida; os desafios da Ftorj com as torcidas; a relação da polícia com as torcidas; a mobilização da Força Jovem na conquista de mais torcedores; o batismo dos novos torcedores do time; a saída de Claudinho da presidência da Força Jovem; o roubo de símbolos do time adversário; as tensões entre torcidas de um mesmo clube; a venda de ingressos pela torcida; a filiação como sócio do Vasco; o projeto de organização de um galpão para a Força Jovem; os contatos com as escolas de samba e a torcida vascaína; a rivalidade entre as torcidas vascaínas; a atuação de Eurico Miranda na Força Jovem; as relações da Força com Romário.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados