José Mariano Benincá Beltrame

Entrevista

José Mariano Benincá Beltrame

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memórias do Pronasci", desenvolvido pela Fundação Getulio Vargas, através da FGV Projetos, em convênio com o Ministério da Justiça, entre agosto de 2008 e setembro de 2009. O projeto resultou na formação de um banco com cerca de 25h de entrevistas e um livro sobre o tema. O principal objetivo é registrar a memória das políticas públicas no Brasil contemporâneo, tomando por base experiências inovadoras da gestão do Estado. Está norteado por duas clivagens: o processo político (governo, agentes de segurança pública e representantes da sociedade civil - quem concebeu e/ou recebeu o Pronasci) e o processo técnico (o trabalho realizado pelo Ministério da Justiça e o monitoramento da FGV - ressaltando as técnicas e soluções empregadas).
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Segurança e cidadania: memórias do Pronasci: depoimentos ao Cpdoc/FGV/ Marieta de Moraes Ferreira e Ângela Britto (Orgs.).- Rio de Janeiro:Editora FGV, 2010.516p.:il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Marieta de Moraes Ferreira
Angela Britto da Cunha
Data: 4/5/2009
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h17min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: José Mariano Benincá Beltrame
Nascimento: 13/5/1957; Santa Maria; RS; Brasil;

Formação:
Atividade: Secretário de Estado de Segurança do Rio de Janeiro.

Equipe

Levantamento de dados: Angela Britto da Cunha;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Marieta de Moraes Ferreira;Angela Britto da Cunha;

Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Conferência da transcrição: Angela Britto da Cunha;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Katherine Nunes de Azevedo;

Temas

Administração de empresas;
Administração pública;
América do Sul;
Armamentos;
Caixa Econômica Federal;
Direito;
Drogas;
Economia;
Estado e sociedade;
Financiadora de Estudos e Projetos;
Formação acadêmica;
Formação profissional;
Geografia;
Habitação;
Márcio Thomas Bastos;
Militância política;
Ministério da Justiça;
Movimento estudantil;
Municípios;
Narcotráfico;
Polícia;
Polícia federal;
Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania;
Projetos sociais;
Rio de Janeiro (cidade);
Rio de Janeiro (estado);
Rio Grande do Sul;
Segurança pública;
Sérgio Cabral;
Território;
Trajetória política;
Violência;

Sumário

Entrevista: 4/5/2009

Local de nascimento; origens familiares; trajetória acadêmica: a Faculdade de Economia na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul; o concurso para agente da Polícia Federal; comentários sobre ter feito três faculdades: administração pública, administração de empresas e direito; motivo pelo qual não participou da militância política: o fato de ser policial e ao mesmo tempo estudante; os trabalhos desenvolvidos para a polícia fora do Rio Grande do Sul; a participação nas atividades de repressão ao tráfico de drogas em diferentes áreas do território brasileiro; o trabalho na chamada “Missão Suporte Rio”, criado pelo então Ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos (2003-2005); a experiência positiva de ter trabalhado nesse projeto; a facilidade que a Polícia Federal oferece para a atuação de seu contingente em outros estados; o trabalho como chefe de segurança no governo de Sérgio Cabral (2006-2010); menção sobre as pessoas que estudaram na Universidade Federal de Santa Maria e que atuam na política; declarações sobre sua atuação na Secretaria de Segurança; a montagem da equipe de trabalho; as melhorias obtidas para os policiais ao longo dos anos; as atividades desenvolvidas na Secretaria de Segurança junto às comunidades; o apoio ao Programa Nacional de Segurança Pública com cidadania- Pronasci: repressão qualificada atuando com os projetos sociais; os projetos enviados pela Secretaria de Segurança Pública ao Pronasci; o êxito do projeto Bolsa-Formação; comentários feitos pela subsecretária de segunça, Jessica Oliveira de Almeida sobre a seleção para o benefício da bolsa; a visão da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro como o maior centro de inteligência da América do Sul; o uso da inteligência como instrumento para a obtenção de provas e condenação de culpados; as armas não letais como alternativas na hora do combate; a dificuldade que os policiais enfrentam na hora do enfrentamento com criminosos bem armados; declarações de Jessica Almeida acerca da necessidade de um projeto de restruturação do modelo de ensino das polícias; a geografia do Rio de Janeiro como facilitadora de violência: a localização dos morros no centro, e não nas periferias; o problema da falta de financiamentos em habitação para os policiais; o apoio da Caixa Econômica Federal para facilitar a compra de moradias entre os policiais; os municipios e comunidades que são contemplados pelo Pronasci; o escritório de gerenciamento que acompanha os projetos do Pronasci; a relação entre o Pronasci e a Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro: bolsa-formação, investimento em treinamento e capacitação; comentários de Jéssica Almeida acerca dos programas de valorização do profissional; a necessidade de ampliação do Pronasci e de maior divulgação perante a sociedade................................................................pp.253-270.


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados