Luiz Aquila da Rocha Miranda

Entrevista

Luiz Aquila da Rocha Miranda

Entrevista realizada como parte integrante de um projeto interno do CPDOC intitulado "Dossiê Brasília 50 Anos". Coordenado pela professora Helena Bomeny, este projeto contou com a participação de uma equipe de pesquisadores do Centro para o levantamento de dados acerca da história de Brasília no ano em que esta cidade completa 50 anos (2010). A escolha do entrevistado justificou-se pela sua experiência de morar em Brasília logo após a sua fundação – em 1962. Além disso, é filho de Alcides da Rocha Miranda e, portanto, conviveu com alguns dos construtores e idealizadores da capital e da UnB, universidade que freqüentou e participou de cursos.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Bernardo Buarque de Hollanda
Vanuza Moreira Braga
Data: 18/3/2010
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h40min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Luiz Aquila da Rocha Miranda
Formação:
Atividade:

Equipe

Levantamento de dados: Helena Maria Bousquet Bomeny;Bernardo Borges Buarque de Hollanda;Vanuza Moreira Braga;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Helena Maria Bousquet Bomeny;Vanuza Moreira Braga;Bernardo Borges Buarque de Hollanda;

Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Conferência da transcrição: Mariana Franco Lopes;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Marcela Baptista Teixeira;

Sumário: Mariana Franco Lopes;

Temas

Anos 1960;
Arquitetura;
Arte;
Artes plásticas;
Assuntos familiares;
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social;
Brasília;
Capital da República;
Carlos Drummond de Andrade;
Ensino superior;
Formação escolar;
França;
Golpe de 1964;
Governos militares (1964-1985);
Greves;
Inglaterra;
Lúcio Costa;
Movimento estudantil;
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro;
Portugal;
Projetos arquitetônicos;
Repressão política;
Rodrigo Melo Franco de Andrade;
Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional;
Transferência da capital (Brasília);
Universidade de Brasília;

Sumário

Entrevista: 18/03/2010

Arquivo em áudio 1: Origens familiares; comentários sobre o pai - Alcides da Rocha Miranda - e o seu ofício de arquiteto do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional); observações acerca da geração de arquitetos do seu pai: a preocupação com a questão social; a relação de Alcides da Rocha Miranda com Lúcio Costa, Carlos Drummond de Andrade e Rodrigo Melo Franco de Andrade; menção à convivência com artistas plásticos – amigos de seu pai -, que freqüentavam a sua residência; a descoberta do interesse pelas artes plásticas; as referências na adolescência: Osvaldo Goeldi e Aluísio Carvão; formação escolar: os estudos do primário em escolas públicas do Rio de Janeiro; a mudança para Brasília em 1960 e as suas impressões da capital; menção à ida de Alcides a Brasília para conhecer o projeto do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); a possibilidade da descoberta de um “outro” Brasil a partir de Brasília; a contrariedade em relação à ideia da capital como o “Brasil do futuro”, recorrente entre os arquitetos; breve comentário sobre Brasília nos anos anteriores ao golpe de 64; a volta para o Rio de Janeiro em meados dos anos 60; o relato de como acompanhou as primeiras conversas sobre o projeto de criação da UnB (Universidade de Brasília); o início das obras de construção da universidade: os primeiros prédios projetados por Alcides e a Escola de Arquitetura; breve comentário sobre os primeiros alunos da universidade; o “provincianismo” atual de Brasília, ao contrário das expectativas criadas pelas pessoas envolvidas com a fundação da UnB; observações acerca do Instituto de Artes e à Pós-Graduação da universidade; avaliação das pós-graduações de arte na Inglaterra, atualmente; relato da invasão da UnB pelo Exército em 1º de abril de 1964 e a organização, com demais artistas, de materiais de propaganda da legalidade; referência a demissão coletiva de 1965...........p.1-25


Arquivo em áudio 2: A relação com o designer Alex Peirano Chacon e as suas criações e invenções na UnB no período pré-1964; comentários sobre os primeiros reitores da UnB pós-golpe; outras observações acerca da demissão coletiva; a ida para a França e o emprego na Cité Internationale des Arts; a mudança de opinião de Alcides com relação a Brasília após 1964; as estadas na Inglaterra e em Portugal durante a década de 60; menção a ida para Paris em maio de 1968; a volta para o Brasil em setembro deste ano e as contestações dos estudantes da UnB: greves, assembléias, grupos de trabalho; a volta à Inglaterra em 1972 e o amadurecimento do seu trabalho; menção às facilidades e vantagens oferecidas pelas universidades inglesas; opinião com relação à mudança dos costumes em Brasília após o golpe; breve referência a violência policial à época da Ditadura Militar e a um processo de “aburguesamento” iniciado na capital; análise de Brasília nos dias de hoje: continuidade com relação à forma física e as suas contradições.........p.25-41
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados