Milton de Lima Araújo

Entrevista

Milton de Lima Araújo

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memória do setor petrolífero no Brasil: a história da Petrobrás", na vigência do convênio entre o CPDOC/FGV e o SERCOM/Petrobrás (1987-90). O projeto resultou no catálogo de entrevistas "Memória da Petrobrás: acervo de depoimentos", Rio de Janeiro: Sercom/Petrobras, 1988, 142p e no livro "A questão do petróleo no Brasil: uma história da Petrobrás", de autoria de José Luciano Dias e Maria Ana Quaglino (Rio de Janeiro, FGV/Petrobrás, 1993). Este livro possui apenas trechos de algumas entrevistas e está disponível para download: clique aqui A escolha do entrevistado se justificou pelo seu cargo como membro do Conselho Nacional do Petróleo (CNP).
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Maria Ana Quaglino
José Luciano de Mattos Dias
Data: 12/9/1989
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Milton de Lima Araújo
Formação: Escola Militar; faculdade de Engenharia Civil pela Escola Politécnica; Escola de Engenharia Militar (atual Ime).
Atividade: Membro do Conselho Nacional do Petróleo.

Equipe

Levantamento de dados: Maria Ana Quaglino;José Luciano de Mattos Dias;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Maria Ana Quaglino;José Luciano de Mattos Dias;

Conferência da transcrição: José Luciano de Mattos Dias;

Copidesque: Ana Luiza Penna Buarque de Almeida;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Conselho Nacional do Petróleo;
Indústria petroquímica;
Milton de Lima Araújo;
Monopólio;
Petrobras;
Petróleo;
Plano Salte (1950);
Política energética;

Sumário

Entrevista: a escolha pela carreira de engenheiro militar; a ida para o CNP: convite do gal. João Carlos Barreto; Organização do setor de racionamento; a elaboração do projeto da refinaria em 1944, o contato com as firmas de engenharia americanas; a concepção da Refinaria de Mataripe e a oposição no conselho à uma solução estatal; administração Horta Barbosa e as refinarias privadas; elaboração do plano Salte e posicionamento do entrevistado contra o monopólio estatal; o edital da concorrência para a construção das refinarias privadas e suas condições; a pressão das companhias de petróleo estrangeiras; Mário Bittencourt Sampaio e a elaboração do Plano Salte; a formulação dos investimentos no setor petróleo; a compra dos petroleiros na Europa e a primeira idéia de uma organização para a Fronape; a pressão da Cia. Nacional de Navegação Costeira e a organização da Fronape; o abastecimento de Porto Alegre e a Fronape; os primeiros afretamentos; a constituição de um quadro de oficiais comandantes para a Fronape, o papel da Marinha Mercante; os superintendentes posteriores; a pressão das companhias estrangeiras para obter o controle das refinarias nacionais; a oposição no CNP às refinarias estatais; a contratação da De Golyer and Mac Noughton; a elaboração do plano de investimentos na exploração e a descrença da Divisão Técnica; a comissão de construção de Mataripe; posicionamento contrário ao monopólio estatal; a primeira idéia de um contrato de risco; a saída do Conselho e as atividades privadas do entrevistado: transporte marítimo de petróleo e xisto betuminoso.


















Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados